Resenha: A Casa Assombrada (John Boyne)

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015



Título: A Casa Assombrada
Autor: John Boyne
Edição: 1
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535925265
Ano: 2015
Páginas: 296



Sinopse: A Casa Assombrada - Eliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio de um tal H. Bennet. Ele busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk – sem, no entanto, mencionar quantas são, quantos anos têm ou dar quaisquer outras explicações. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior.  Chegando a Gaudlin Hall, Eliza se surpreende ao encontrar apenas Isabella, uma menina que parece inteligente demais para sua idade, e Eustace, seu adorável irmão de oito anos. Os pais das crianças não estão lá. Não se veem criados. Ela logo constata que não há nenhum outro adulto na propriedade, e a identidade de H. Bennet permanece um mistério. A governanta recém-contratada busca informações com as pessoas do vilarejo, mas todos a evitam. Nesse meio tempo, fica intrigada com janelas que se fecham sem explicação, cortinas que se movem sozinhas e ventos desproporcionais soprando pela propriedade. E então coisas realmente assustadoras começam a acontecer… 




                          Esse é o primeiro livro do John Boyne que eu leio que é de horror, é um lançamento da Companhia das Letras e eu estava bastante curiosa para ver esse autor fora de sua "zona de conforto".


                            Eliza Caine é uma moça de 21 anos que acaba de perder o pai, ela vive em Londres nos anos de 1800epouco, Durante o luto ela vê um anúncio misterioso a procura de uma governanta no interior e resolve se candidatar, então parte de sua casa para Gaudlin Hall, onde terá que cuidar de Isabela e seu irmão Eustace. O que é estranho é que parece que só há as duas crianças na casa, além de um caseiro e uma estranha mulher que ela pensa ser a empregada e principalmente estranhos acidentes que parecem acontecer. Ao descobrir que a casa foi palco de um brutal assassinato seguido de estranhas mortes de suas antecessoras, Eliza terá de lutar pela própria vida.

                       A narrativa é toda feita em primeira pessoa e nossa narradora é a Eliza, preciso dizer que no caso de um livro de terror eu prefiro narrativas assim, pois cria uma atmosfera de mistério.

                 Eu gostei muito da personalidade da Eliza, ela é realmente muito corajosa e principalmente muito difícil de se assustar, pois se acontecesse comigo metade do que aconteceu com ela na casa, eu teria com certeza saído correndo e gritando. 

                Isabela é uma menina assustadora, ela é muito assustadora realmente e parece ter o controle de algumas coisas que poderiam ter acontecido com Eliza. Eustace também é assustador, mas de uma maneira fofa, ele vê um velho e parece ser o único que consegue ver as pessoas mortas.

                Todo o livro me lembrou muito aquele filme Os Outros, teve muito mais cenas de suspense que de terror mesmo, muito mais tensão do que poderia vir a acontecer do que medo. Eu não classificaria esse livro como um livro de terror, mas como uma história de suspense sobrenatural. John Boyne joga com os sentidos do leitor, coisas extraordinárias acontecem e sim há fantasmas na  história, mas isso não o classifica como um livro de terror.

              


              Apesar das ressalvas foi muito legal poder ler um outro lado da escrita de Boyne, para um autor que arrasa no drama com pitadas históricas ele até que  mandou muito bem escrevendo suspense.

               Enfim, até gostei muito da capa preta com as letras amarelas. A diagramação está ok. Enfim fãs de terror e suspense não irão se decepcionar.

3 Comentários:

Nardonio Alves disse...

Legal ver autores saindo de sua zona de conforto, e o melhor, conseguindo mandar bem. Só em ler essa resenha, vi que essa Eliza é uma corajosa, mas louca de pedra. Nunca que eu iria ficar em um lugar que acontecesse coisas estranhas. Sairia correndo na hora também. Apesar de gostar de narrativas compartilhadas, acho que, nesse caso, se faz necessário apenas um ponto de vista. Claro que vou querer ler.

@_Dom_Dom

aninha disse...

Priscila se você souber como sou covarde pra ler livros com essa temática =/ me impressiono fácil, fico com medo mesmo essa é a verdade. mas é interessante o autor se ariscar num suspense, que parece ser bem feito, sem amarras e com uma personagem que segura a história. se lembra Os Outros, então acho que vou custar a ler esse livro lol é trauma kkkkk! fica anotado a dica, um dia eu leio =)

Gabriela Az disse...

Gosto de livros de suspense, já conhecia o autor, e com certeza deve ser muito legal ver esse outro lado da escrita de Boyne. Gostei da capa, e principalmente dos personagens, Eliza com certeza tem que ser muito corajosa, pois sempre que ouço um barulho estranho já saio correndo, haha. E concordo com você, prefiro ler livros assim narrados em 1°pessoa. E gostei da sua comparação com o filme Os Outros.
Bjs Pri.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D