Resenha: Música das Sombras (Julie Garwood)

domingo, 1 de março de 2015

ISBN: 8577750702
Ano: 2008
Editora: Landscape
Preço: R$ 45,90 a R$ 41,30
Sinopse: Para a princesa Gabrielle de St. Biel, a Escócia é uma terra com paisagens maravilhosas, rústicos chefes de tribos e profundos mistérios - astúcia e traições e agora assassinatos. Enaltecida por sua beleza e filha de um dos barões mais influentes da Inglaterra, Gabrielle é também a perfeita carta magna para um rei que busca paz na região montanhosa - o rei John concedeu a mão de Gabrielle a um chefe de tribo bom e gentil. Mas tal casamento nunca se realizará. Durante sua última tentativa de preservar a liberdade, um súbito acontecimento altera o futuro de Gabrielle.

Na época das cruzadas um pequeno país, na época chamado de Monchaceux, foi invadido por soldados. Após uma história conturbada, o rei desse país cristianizou o mesmo e o batizou de St.Biel, tornando-se posse da Inglaterra sob o julgo do Rei John. Nessa época houve um rumor sobre um tesouro, mas este nunca foi encontrado. Anos depois, a jovem princesa de St.Biel, Gabrielle se vê na disputa pela sua mão por dois nobres gananciosos por sua beleza, a influência de seu pai e o segredo do tesouro. Porém, o rei John, ciente dessa disputa e desgostoso dela, dá a mão da moça a um Laird escocês – que vive totalmente alheio as disputas de poder e vive de forma confortável o suficiente para não dar trabalho ao rei. 


A caminho de seu casamento, Gabrielle é surpreendida por uma injustiça e acaba tendo que matar um homem para salvar outro. Seus guardas e ela, totalmente desesperados para que o fato fique em segredo, dão um jeito e escondem o homem no mosteiro onde Gabrielle deveria se casar, sob os cuidados de dois padres. Enquanto isso, o irmão do homem que ela salvou, um poderoso Laird chamado Colm Mac Hugh, procura pelo por ele junto com um primo distante de Gabrielle – outro Laird chamado Brodick Buchanan (Laird são a nobreza, os chefes de tribo ou coisa assim dos escoceses).

Passado esses fatos, chega o dia do casamento da princesa, mas então... Seu futuro marido foi assassinado! E ao mesmo tempo em que isso aconteceu, os dois nobres já citados, que tanto disputavam a mão de Gabrielle, aparecem no mosteiro alegando ter poder total dado pelo rei e começam a brigar, numa tentativa de decidir o destino da pobre moça. A confusão acaba com Gabrielle sendo banida Inglaterra, sendo considerada uma pária em seu país e ficando totalmente a mercê dos dois lobos que tanto a queriam. Desesperada, ela tenta sair de lá o mais rápido possível, mas para onde ir?!

Como eu disse, o Laird MacHugh estava procurando por seu irmão e sua procura o levou até o mosteiro, onde  presenciou toda a desgraçada da princesa. Coagido por seu melhor amigo, o Laird Buchanan, ele decide resgatar Gabrielle e casar-se com ela, numa forma de dar-lhe proteção e salvá-la das garras de seres tão vis. Obviamente que ela resiste e tenta fugir desse destino, porém, há algo em MacHugh que começa a fazer com que ela queira ficar, e o próprio começa a ter dúvidas sobre ser forçado a casar com ela e começa a querer de verdade tê-la em sua vida. Enquanto isso, os tais nobres procuram pela princesa, determinados a tirá-la de onde quer que esteja.

Intriga, romance, uma pitada de comédia. Esses são os ingredientes chaves deste romance. Eu adoro as brigas entre Gabrielle, uma moça muito além do seu tempo, criada para ser totalmente dependente e livre, enquanto o Laird MacHugh é o típico chefe que é acostumado a ser obedecido. A química entre eles é excelente, e é diversão garantida ver o entrosamento dos dois. Também temos outros personagens ótimos, como os guardas de Gabrielle, o padre que a ajuda a resgatar o irmão de Colm e o próprio Liam MacHugh (irmão de Colm).  A leitura é muito agradável, a tradução está muito boa e sinceramente, na capa temos a participação especial da Bela de A Bela e a Fera. Julie Garwood é uma excelente autora, e se você, como eu, curte muito esse tipo de romance com um mesclado de mistério e intriga, ela é excelente.



Resenhado Por Rebecca Cunha

6 Comentários:

aninha disse...

não conhecia o livro, amo romances de época, esse tem todos os ingredientes pra ser uma boa leitura. os personagens são carismáticos, amei o jeito da Gabrielle, bem independente e decidida! e Lair me pareceu também assim, então já imagino eles batendo de frente. amo um bom romance, quem não gosta? a capa é boa, mas como vc disse, é muito a Bela e a Fera, o vestido da modelo é o da Bela! tá anotado a dica =)

Fábrica dos Convites disse...

Não conhecia o livro, e saber que a personagem é independete me deixa feliz. Não gosto quando me deparo com mocinhas cheias de mimim.
Bjs, Rose

Vinicius Teodosio disse...

Olá, não conhecia o livro e não sei se gostaria de ler, talvez seja por que nunca li romances de época, devo começar urgentemente. A sinopse é um tanto instigante e sua resenha atiçou ainda não a minha curiosidade em relação ao livro, apesar de não ter uma capa tão chamativa :/

Beijos,

http://marcasliterarias.blogspot.com.br

RUDYNALVA SOARES disse...

Rebeca!
Gosto muito de romances de época e se trazem uma pitada de huor, ficam ainda melhores.
Gosto de protagonistas femininas independentes, principalmente em uma época em que elas tinham de ser submissas.
Gostaria muito de ler.
cheirinhos
Rudy

Glabelle Maria disse...

Pois é...O fato da Gabrielle se mostrar uma mulher nada fraca (ela já matou um homem?!) já dá ao livro um toque bem mais interessante.

Nardonio Alves disse...

Não conhecia nem o livro, nem a autora. Confesso que não achei a trama tão interessante assim, mas quando vi que tem umas pitadas de mistério e intriga, passei a vê-lo com outros olhos. Afinal, me amarro em romances que tenham essa pegada.

@_Dom_Dom

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D