Resenha: Ruína e Ascensão (Leigh Bardugo) Trilogia Grisha #03

quarta-feira, 11 de março de 2015


Ruína e Ascensão - Trilogia Grisha # 3
ISBN: 9788582352335
Ano: 2015
Páginas: 344
Idioma: português 
Editora: Gutenberg
R$ 18,00 até R$ 35,90
Ruína e Ascensão - A capital caiu.
O Darkling comanda Ravka em seu trono das sombras. Agora o destino da nação depende de uma Conjuradora do Sol arruinada, de um rastreador desonrado e dos cacos do que antes fora um grande exército mágico. No fundo de uma antiga rede de túneis e cavernas, uma fraca Alina deve se submeter à duvidosa proteção do Apparat e daqueles que a veneram como uma Santa. Porém, sua mente está na busca pelo misterioso pássaro de fogo e na esperança de que um príncipe foragido ainda esteja vivo. Alina deverá formar novas alianças e deixar de lado velhas rivalidades, enquanto ela e Maly buscam pelo último dos amplificadores de Morozova. Mas assim que começa a elucidar os segredos do Darkling, ela descobre um passado que mudará para sempre seu entendimento sobre a ligação que os une e o poder que ela carrega. O pássaro de fogo é a única coisa que está entre Ravka e a destruição — e reivindicá-lo pode custar a Alina o futuro pelo qual ela tem lutado.


Eu gostaria de registrar minhas impressões sobre Ruína e Ascensão, terceiro é último volume da Trilogia Grisha, no entanto está complicado, pois meus pensamentos encontram-se nebulosos após esse final. Encontro me fragmentado, sou obrigado a confessar que me sentir satisfeito por um desfecho, mas discordar dele em parte. Afinal de contas o meu papel é o de propiciar uma análise da obra.

Ruína e Ascensão inicia-se logo após o emocionante final de Sol e Tormenta. Alina encontra-se totalmente a mercê de sua sorte, a mesma foi praticamente enterrada viva, está sendo acompanhada por Aparrat e cerca por seguidores que a consideram uma santa capaz de levar luz às sombras. A falta da luz do sol a deixa cada vez mais debilitada e seu “ Guardião” a impede de ter contato com seus amigos, em especial Maly. Muitos Grishas foram dizimados pela insanidade doentia do cruel Darkling, Nicolai encontra-se desaparecido em baixo da terra o que deixa Alina aflita, pois não se sabe se o mesmo encontra-se vivo ou morto. O clima é tenso e a falta de esperança consome a todos. 

A esperança está em encontrar o terceiro amplificador, pássaro de fogo de Morozova que promete conceder esplendor a Conjuradora do Sol. Uma dúvida cruel consome Alina, pois a mesma não sabe se sua busca é motivada por altruísmo ou cobiça pelo poder, porém mesmo suas dúvidas não a impedem de ir adiante. E é quando ela, Maly e os outros conseguem escapar do subsolo e reencontram Nikolai que as coisas começam realmente a ficarem interessantes.

 Ruína e Ascensão continua denso e político. Em um mundo em guerra é de se esperar que muitas estratégias sejam tramadas, o que é muito bem vindo para o fluxo narrativo,  no entanto a autora pudesse ter dosado, para não deixar o fluxo temporal narrativo. Claro que já li livros mais lentos, mas o que me surpreendeu foi o fato de que os dois volumes anteriores foram tão empolgantes e apaixonantes que espera um terceiro livro mais dinâmico e repleto de ação. Confesso que logo nas primeiras páginas de Sombra e Osso surgiu um elo instantâneo entre mim e a obra.

Creio que faltaram cenas que ligassem emocionalmente leitor e personagens, além da própria Alina, que é a narradora. Cenas como as que ela dividiu com Nikolai , que valeram todo o livro. Sou levado a confessar que nos livros anteriores a minha apreciação entre Alina e Maly foi totalmente desfeita mediante ao elo criado entre a Conjuradora e Nikolai e deveras torci para que esse vínculo pudesse se fortalecer e se fortificar, esses momento me proporcionaram muita diversão e sorrisos frouxos.

Maly me decepcionou, pois ao longo da narrativa imaginava vê-lo amadurecer e crescer, acreditava que a autora fosse dar a Maly um papel de destaque ao lado de nossa Conjuradora. Mas o que realmente me decepcionou as perdas sofridas, acreditava que a crueldade do Drakling ceifaria várias e significativas vidas, mas o que autora me passou foi medo de matar personagens importantes. 

Claro, mortes ocorrem, mas não mortes que causem impacto no leitor. O desfecho tinha tudo para ser épico como o todo da obra, mas o que me parece é que Badurgo freia demais esse final com soluções mágicas para acontecimentos triviais que simplesmente não deveriam ter soluções. Um livro com cenas fortes e cruéis eu esperava mais atrocidades e sangue-frio no desfecho.

O último volume da Trilogia Grisha não encantou como os dois outros volumes da série, no entanto foi bom, mas poderia ter sido fantástico. A minha desilusão não comprometeu a minha leitura e recomendo a todos que apreciem uma boa fantasia repleta de elementos sobrenaturais e um bom tempero de romance.  A escrita de Leigh Bardugo é envolvente e fascinante e, certamente, lerei outras obras de sua autoria. Só espero que das próximas vezes o medo de ousar seja deixado de lado.

4 Comentários:

Glabelle Maria disse...

É mesmo decepcionante quando o fim de uma série não atende muito bem as nossas perspectivas.

aninha disse...

me pareceu um livro morno =/ o que é uma pena pq sempre vi resenhas positivas sobre os dois volumes anteriores. faltou aquele ápice, não deixa de ser um a história interessante. já li alguns livros que meio que decepcionaram justamente onde eram pra fechar com chave de ouro. quero muito ler essa trilogia, vou esperar um boxe ou alguma promo, mas já sabendo que não vou esperar muito do final.

RUDYNALVA SOARES disse...

É difícil imaginar uma trilogia tão boa, bem ambientada e com seres magnificamente elaborados com um final que deixa o leitor decepcionado.
Fico me perguntando o que acontece com os escritores que tem dado finais tão decepcionantes para livros que merecem um desfecho interessante?

Cheirinhos

Rudy

http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

Nardonio Alves disse...

Bem, quando uma série vai nos conquistando a cada volume lançado, é claro que esperamos que o melhor será o desfecho dela. Essas expectativas altas são normais, mas é uma pena que elas não foram alcançadas com essa. Pelo menos não foi ruim, só não teve aquele brilho que deveria. De qualquer maneira, vou querer ler muito em breve.

@_Dom_Dom

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D