Resenha: Ordem (Hugh Howell) - Trilogia Silo Livro #02

quarta-feira, 22 de abril de 2015



Título: Ordem
Autor: Hugh Howell
Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580576818
Ano: 2015
Páginas: 512


Sinopse: Ordem - E se a sobrevivência dos seres humanos dependesse do deslocamento de milhares de cidadãos para uma enorme cidade subterrânea, com gigantescas telas de TV transmitindo imagens desoladoras do mundo do lado de fora e ninguém fosse autorizado a sair? Esse é a história de Silo, a série escrita por Hugh Howey que desbancou Guerra dos Tronos na lista de livros de ficção científica mais vendidos na Amazon. No primeiro livro da série, a heroína era Juliette, uma mecânica nascida nos subterrâneos. A narrativa de Ordem, que alterna passado e presente, começa em um período anterior ao descrito em Silo, explicando como o mundo de Juliette foi transformado. São apresentados ao leitor um portador do século XXIII; um senador da Geórgia num futuro próximo; um garoto abandonado, cuja história termina quando a de Juliette começa, e Troy, que acorda em 2110 sem saber quem é.Em Ordem, os personagens escapam da morte ao serem congelados em cápsulas criogênicas, sendo acordados de tempos em tempos para tomar remédios, realizarem alguns trabalhos alienantes e depois dormir outra vez. O livro volta no tempo, ao ano de 2049, revelando as decisões tomadas por alguns poucos poderosos, responsáveis por bilhões de mortes que deixarão a humanidade em vias de extinção.Hugh Howey apresenta aos leitores um mundo pós-apocalíptico, com os poucos seres humanos restantes sobrevivendo à atmosfera tóxica do planeta Terra em um silo subterrâneo.A narrativa torna-se claustrofóbica e contrita à medida que a humanidade é forçada a viver no silo e a tomar medicamentos que a fazem esquecer a destruição infligida aos amigos e parentes. Ao contar uma história que se passa em um futuro bem próximo, Howey cria um apocalipse totalmente convincente e, à medida que revela as camadas de seu mundo distópico, pavimentando o caminho para a sequência da série, "Legado".



                   Ordem é o segundo livro da trilogia Silo e um dos livros mais aguardados por mim esse ano. Li Silo sem muitas pretensões e me apaixonei por essa história, quem me conhece sabe que eu não sou muito chegada a distopias, mas essa em especial conseguiu me prender.




                   Essa história se passa antes e durante a história de Silo, conhecemos novos peões nesse jogo de tabuleiro e nosso homem principal é Donald, um deputado que por meados do ano de 2049 se envolveu em um projeto misterioso de contrução. Anos depois ele desperta dentro do Silo 1 para descobrir que o mundo que ele conheceu não existe mais. Além dele conhecemos um pouco de Jimmy, um garoto que conhece o que é a solidão e o desespero impostos por outros.

                    Eu nem consigo fazer a sinopse desse livro direito, são muitas emoções misturadas. A narrativa é em primeira pessoa e nosso narrador principal é Donald e mais tarde Jimmy, o homem que Juliette encontra no Silo 17 e que viveu trinta anos sozinho. O tempo oscila entre séculos e ao mesmo tempo que podemos ter uma parte do livro que remete ao passado esses capítulos são revezados com partes de um passado mais recente, mas que ainda não é o que temos atualmente, Vemos passagens anteriores de revoltas no Silo 18, onde Juliette mora e não tenho certeza, mas quase de que o pai dela se envolveu nisso. 

                      Esses novos personagens nos contam como e por que os Slios foram criados, por quem foram criados e o que colocou pessoas dentro deles. Mostra até onde a crueldade humana pode ir e principalmente o desespero de um homem que foi deixado longe da esposa que amava por séculos e acordou apenas para descobrir que em meio ao desespero dela outro estava lá para consolá-la e que ela viveu uma vida plena, com filhos e a carreira que sempre quis. As coisas no Silo 1 ocorrem de maneira completamente diferente, eles não vivem suas vidas e depois morrem e deixam descendentes, mas as pessoas do Silo 1 são congeladas e acordadas em turnos para cumprirem funções especificas que controlam e decidem a vidas nos outros Silos. Então sim, as pessoas responsáveis pela destruição da civilização ainda vivem lá dentro.

                       O mais assustador disso tudo é que todas as razões que o autor coloca como respostas a algumas de nossas perguntas são perfeitamente plausíveis de acontecer, tudo é muito real e você se pega pensando "Cara, isso poderia acontecer amanhã que ninguém iria se surpreender de certa forma" não é uma guerra que começa a ser travada ou algum acontecimento natural, são apenas alguns homens loucos com poder suficiente para dar um reset  no mundo. 

                         Quando começamos a nos focar um pouco mais nas relações humanas que permeiam toda a trilogia, percebemos que quando colocados em situações extremas o homem fará de tudo para sobreviver e que as lembranças são muito mais perigosas para nós mesmos do que a esperança. Com Silo você aprende que o poder nas mãos da pessoa errada pode acabar com o mundo como conhecemos, nos faz refletir e muito sobre a situação mundial.

                    Essa capa é maravilhosa, eu amo em como ela consegue refletir um pouco da história metaforicamente falando, A diagramação está ok. Enfim, essa trilogia até agora tem se mostrado maravilhosa, estou em cólicas pelo próximo volume.

| comente (:

Fábrica dos Convites disse...

Oi Priscila, não tive o prazer de ler ainda o livro 01, mas é uma série que me interessa. É muito bom quando os volumes seguem deixando o leitor ineressado no enredo.
Bjs, Rose

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D