Resenha: Bangalô 2: Hotel Beverly Hills (Danielle Steel)

segunda-feira, 8 de junho de 2015



Título: Bangalô 2:  Hotel  Beverly Hills
Autor: Danielle Steel
Edição: 1
Editora: Record
ISBN: 9788501096586
Ano: 2015
Páginas: 352
Tradutor: Vera Whately


Sinopse: O agente literário de Tanya Harris liga com uma notícia bombástica: um famoso produtor de cinema quer que ela escreva o roteiro de seu próximo filme. E mais: a proposta inclui trabalhar hospedada no exuberante Bangalô 2 do Hotel Beverly Hills. De uma hora para outra Tanya precisa escolher se vai continuar com a rotina perfeita de escritora freelancer, dona de casa, esposa dedicada e mãe de família em São Francisco, ou se vai aceitar o convite e passar vários meses em Los Angeles, longe do marido e dos filhos, desestruturando a vida familiar para realizar um antigo sonho. Relutante e dividida, Tanya acaba aceitando o desafio. Mas será que tomou a decisão certa? Ao chegar a Hollywood, Tanya é envolvida por um mundo novo e intoxicante, e mergulha em um trabalho que exige mais dela do que poderia imaginar. Inevitavelmente, vai se afastando da família, que começa, aos poucos, a se desintegrar, e seu sonho se transforma em seu pior pesadelo. Será que Tanya conseguirá conciliar a vida pessoal e a profissional em meio a tantas demandas opostas? Ou uma reviravolta do destino vai garantir para sua vida uma cena final inesperada e digna de um filme vencedor do Oscar? Uma trama emocionante com um desfecho surpreendente!


                   Bangalô 2: Hotel Beverly Hills foi escrito pela Danielle Steel e publicado no Brasil pela editora Record. Eu adoro os livros da Danielle, mas esse foi a maior decepção e um dos piores livros que li em 2015.


                     Tanya Harris é uma mulher de família, casada há 20 anos, ela se dedica ao marido e aos filhos e nas horas vagas toca sua carreira de escritora roteirista. Até que seu agente liga com uma proposta para que ela possa escrever um roteiro de cinema, só que para isso ela teria que morar durante nove meses em Los Angeles. Dividida, Tanya fala com o marido que a apoia e fala que ela precisa aceitar a oportunidade. A partir daí  tudo desanda.

                      A narrativa é em terceira pessoa com enfoque em Tanya, uma mulher realmente honesta, doce e que ama demais a família. Todo o tempo em que está longe ela só pensa em terminar seu trabalho e voltar para a família. Enquanto isso, outra mulher está tomando seu lugar, nada mais nada menos que sua melhor "amiga" que Tanya pediu que desse uma força durante sua ausência.

                       Sim, o negócio é que o marido trai Tanya com a amiga, deixa a mulher para ficar com ela e os filhos apoiam os pais, já que a mãe estava longe. Ora, então quer dizer que a vida inteira que ela esteve se dedicando a família foi apenas para ser apunhalada pelas costas? Não concebo, não aceito e meu sangue ferve só de lembrar. A personagem sofre horrores, pois ainda ama o marido e sofre ao ver que os filhos aceitaram tão bem o que o pai fez com ela, sem nem ao menos pensar no quanto a mãe poderia estar sofrendo.

                        A maior decepção, acho que a história tinha tudo para ser sobre como se pode encontrar o equilíbrio de uma vida profissional com o cuidar de uma familia, mas a autora trabalhou isso de forma em que não se pode ter os dois e isso eu acho de um machismo tremendo. Ela até tenta dar um final feliz para Tanya, mas sinceramente nada do que ela passou antes é algo que compensa.

                        Não gosto dessa capa, acho feia e sem graça. Apesar de ser rosa. A diagramação está, ok. Enfim, leiam e me falem nos comentários se vocês passaram tanta raiva como eu.

3 Comentários:

aninha disse...

mas poxa em. nem os filhos pra ficar do lado da mãe! não sei o que a autora quis passar com esse livro, errou totalmente a mão. se a intenção era mostrar personagens egoístas e sem um pingo de caráter, conseguiu nesse marido da Tanya e na "amiga". uma pena mesmo, Danielle Steel conseguiu fazer um livro chato e sem noção. posso até ler um dia, mas com certeza não agora.

Kemmy Oliveira disse...

Realmente essa capa tá bem feia.

Não tinha lido resenha nenhuma, mas lembro que vi e achei que fosse a continuação de alguma série hahaha

Concordo com você que sentiria muita raiva ao "ver" uma mulher que sempre se dedicou sendo apunhalada dessa forma, até mesmo pelos próprios filhos!

Já odiei, rs.

Beijos,

Duas Leitoras

Naiara Aimeé disse...

Oie!
Eu li esse livro e fiquei chocada de ver como a autora destruiu a personagem dela desse modo. Fiquei bastante chateada com tudo que aconteceu com a Tanya, além de achar a narrativa repetitiva e enfadonha =/



Essa foi minha primeira experiência com a Danielle, mas não desisti dela rs... quem sabe outro livro...


Beijos
www.seja-cult.com

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D