Resenha: Os Imortais de Meluha (Mashi) - Trilogia Shiva Livro #01

quarta-feira, 17 de junho de 2015



Título: Os Imortais de Meluha
Autor: Amish
Edição: 1
Editora: nVersos
ISBN: 9788564013964
Ano: 2014
Páginas: 394
Tradutor: Monique D'Orazio



Sinopse:  Os Imortais de MELUHA, primeiro volume da Trilogia SHIVA, é mais um lançamento da nVersos Editora e marca o início da história de Shiva, um homem que viveu cerca de 4.000 anos atrás, cujas aventuras eram tão grandiosas que as pessoas começaram a pensar nele como um Deus. A terra de Meluha, criada por um dos maiores monarcas, Lorde Rama, é um império cercado de perigos e ameaças, como a extinção do rio Saraswati reverenciado pelo povo, e que agora está lentamente secando. Eles também enfrentam ataques terroristas devastadores vindos do leste, a terra dos Chandravanshis. Para complicar ainda mais as coisas, estes parecem ter se aliado aos Nagas, uma linhagem de verdadeiros guerreiros que vivem à parte da sociedade em razão de suas deformidades físicas. A única esperança para os Suryavanshis é uma antiga lenda: Quando o mal atinge proporções épicas, quando tudo parece perdido, quando parece que os teus inimigos triunfaram, um herói vai emergir. Shiva é um rústico imigrante tibetano ou realmente esse herói? E afinal, ele quer ser esse herói? Desenhado de repente ao seu destino, por dever, bem como pelo amor, vai Shiva levar a vingança Suryavanshi e destruir o mal? Este é o primeiro volume da trilogia sobre Shiva, o homem simples cujo carma o transformou em o Deus dos Deuses.


              Os Imortais de Meluha é o primeiro volume da trilogia Shiva que foi escrito pelo autor indiano Misha e publicado no Brasil pela editora NVersos.Confesso que achei essa capa maravilhosa primeiro pra depois ler a sinopse.

               Shiva é um guerreiro líder de uma tribo no Tibet, ele vive no meio de uma selvageria sem fim até que forasteiros vindos das terras de Meluha chegam e fazem uma proposta de imigração, dessa forma toda a tribo se desloca para essas terras desconhecidas. Ao chegar nesse lugar tão estranho e diferente, Shiva é acomodado e bebe de uma poção que cura suas feridas e deixa sua garganta além de fria, azul. Os Meluhanos tem uma antiga profecia que afirma que um estrangeiro virá e ao tomar a bebida chamada somras irá ficar com a garganta azul e salvará todo o povo de seus inimigos. Dessa forma, Shiva se vê no meio de um turbilhão de informações e de reverências, levado a capital para ser apresentado ao imperador ele conhece a misteriosa Sati. No meio de tanta supertição, um amor, uma jornada e muitas batalhas ainda estão por vir.

                 A narrativa é em terceira pessoa com enfoque em Shiva, que é um homem honrado. O mais interessante nesse livro são as referências a cultura e a lenda de Shiva, o Destruidor, um dos três deuses indianos importantes. Essa ilustração abaixo mostra o deus Shiva.




              Além desses elementos mitológicos eu gostei bastante da forma que o autor trabalhou reflexões bem atuais, como o confronto entre o bem e o mal e a política do vencedor.

                  Elementos do romance levantado me deixaram muito contente, o autor conseguiu construir um romance onde apesar de se passar em um tempo inspirado em um passado onde a mulher era desvalorizada ele não colocou esses elementos, muito pelo contrário Shiva e Sati mantem uma relação igualitária e não uma relação abusiva. Já é muito mais do que podemos falar de algumas fantasias por aí, não é?

                      É um livro cheio de ação, mas acima de tudo é um livro introdutório, onde conhecemos todos os detalhes da civilização Meluhana, o que  me deixou muito contente foi que em vários momentos consegui identificar elementos das culturas maia e inca, além da própria cultura indiana e algo do budismo. Fiquei muito impressionada em como essa sociedade foi bem construída e em como o autor parece ter pensado em tudo.

                       Como falei lá em cima, essa capa é maravilhosa, sério parece que a qualquer momento o modelo vai virar e sair da capa para dar na sua cara. A diagramação está ok. Enfim, recomendo muito para os fãs de fantasia e afins.



| comente (:

aninha disse...

muito legal o autor ser indiano e nos mostrar uma cultura rica e de um certo modo, pouco explorada. tenho um certo fascínio por mitologias e lendas assim, todas são pautadas no melhor e no pior do ser humano. Shiva vai enfrentar uma responsabilidade inesperada, mas vi que Sati apesar de ter esse mistério ao redor dela, vai ser um complemento para Shiva. bem sacado a mistura de culturas e elementos de outras culturas. a capa é um tanto diferente, mas muito bem feita, amei esse tom esverdeado, muito a ver com o livro.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D