Resenha: Funny Girl (Nick Hornby)



Título: Funny Girl
Autor: Nick Hornby
Edição: 1
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535925562
Ano: 2015
Páginas: 424



Sinopse: Os anos 1960 estão fervilhando e toda a Inglaterra está impressionada com o sucesso improvável de Sophie Straw, a nova estrela das comédias que saiu de Blackpool, uma pequena cidade no norte do país, adora Lucille Balle e sempre teve o sonho de fazer as pessoas darem risada. Nos bastidores, o elenco e a equipe estão vivendo o melhor momento de suas vidas. Porém, quando o roteiro do programa televisivo Barbara (e Jim), estrelado por Sophie, começa a ficar familiar demais, e a vida começa a imitar a arte, todos terão de fazer escolhas e Sophie Straw, que mudou de nome e abandonou sua vida anterior, precisa decidir se continua com eles ou muda de canal.Nick Hornby fala de cultura popular, juventude e velhice, fama, diferenças de classe e trabalho em equipe. Ele nos apresenta um retrato da exuberância da juventude e do processo criativo, em uma época especial em que ambos puderam florescer. 


                      Funny Girl foi escrito pelo Nick Hornby e publicado no Brasil pela editora Companhia das Letras. Não é minha experiência com esse autor, na verdade eu li Alta Fidelidade e odiei, mas resolvi dar mais uma chance a ele e não deu muito certo.


                        Barbara é uma moça que mora em Blackpool no interior da Inglaterra, pensando em ser atriz, ela se muda para Londres onde vira Sophie Shaw a estrela do sitcom Bárbara(e Jim) uma popular série da BBC dos anos 60. A pequena equipe se desdobra e o trabalho para colocar a série no ar envolve muito mais que as gravações, mas envolve a vida pessoal e experiências de todos os envolvidos.

                         Narrativa em terceira pessoa com enfoque em Sophie, que é a nossa funny girl. Gosto da construção dos personagens, Sophie é divertida, completamente fora dos padrões das moças nos anos 60, ela não quer casar e construir uma família, ela é focada em sua carreira e em seu programa. Durante anos ela vive casos amorosos com atores e famosos não se importando muito com casamento. Os roteiristas da série Tony e Bill são outros personagens super interessantes, Bill é gay e odeia ter de se esconder, ele que ser subversivo e ter a liberdade de poder viver com outros homens sem ter a possibilidade de ser preso ( era o que acontecia com gays na Inglaterra dos anos 60), já Tony acha que é gay, mas é casado e apaixonado pela esposa, apesar de não conseguir ter relações sexuais com ela. Dennis o produtor e diretor, está em um casamento falido, com uma esposa que é indiferente e o trai com um idiota intelectual. Por último temos Clive, o co-star de Sophie, ele acha que o mundo deve girar em torno dele, é um homem mulherengo que tem um relacionamento conturbado com a moça.

                          Todos os personagens por si só já dariam um bom livro, eles são interessantes, bem construídos, com características maduras e nuances sérias, alguns polêmicos, outros fora de seu tempo. Infelizmente todos eles foram mal aproveitados por um autor que conseguiu deixar a narrativa arrastada e circular, eles giram em um círculo de propagação que nunca termina, nada realmente acontece e tudo termina no mesmo lugar que começou. Levei algumas horas pensando se eu tinha gostado ou não, pois os personagens realmente me agradaram, eles são inteligentes, mas a história não é e isso realmente sobrepujou as coisas boas. Essa definitivamente é minha última experiência com Nick Hornby que se mostrou um autor capaz de construir bons personagens, mas não de colocá-los em uma história que valesse a pena ser lida.

                        Eu gosto muito dessa capa, acho representativa. A diagramação está boa, com fotos de referências da Inglaterra dos anos 60. Enfim, cada um tem sua opinião e eu realmente quero saber a de vocês.
1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Cuando se trata de productos, el próximo año queremos tener cuatro aspectos hechos con productos reciclados.replicas de relojes El embalaje será de material 100% reciclado. Para el caso, una vez más, utilizaremos Eco-Titanium. Las correas se harán nuevamente con botellas de plástico PET. Finalmente,replicas relojes el dial se hará con mallas. En total, esto representará el 40% del valor del reloj.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!