Resenha: Esperança (Mary Jordan)

segunda-feira, 3 de agosto de 2015



Título: Esperança
Autor: Mary Jordan
Edição: 1
Editora: Paralela
ISBN: 9788584390052
Ano: 2015
Páginas: 384



Sinopse: Os fatos chocantes por trás do sequestro de três garotas na cidade de Cleveland Ariel Castro, um motorista de ônibus escolar, enganou Amanda, Gina DeJesus e Michelle Knight para que entrassem em sua casa, onde as manteve acorrentadas por anos. Ao longo da década seguinte, as garotas sofreram abusos sexuais e psicológicos e foram ameaçadas de morte. Em Esperança, Amanda Berry e Gina DeJesus descrevem uma história de tormenta inimaginável com base em suas memórias e no diário mantido por Amanda. Com a ajuda dos premiados repórteres Mary Jordan e Kevin Sullivan, elas narram a história completa por trás das manchetes – incluindo detalhes nunca antes revelados sobre a vida e motivações de Castro –; um relato assombroso, mas inspirador, de duas mulheres cuja coragem, inocência e fé permitiram que sobrevivessem e voltassem para suas famílias.




                   Esperança é o relato real de Amanda Berry e Gina DeJesus, duas garotas que foram mantidas em cativeiro por anos por um psicopata. Esse livro foi lançado no Brasil pela Companhia das Letras e é sim um livro bastante forte.

                         Aos 17 anos Amanda saiu de seu emprego no Burguer King e aceitou a carona do pai de uma das amigas, Ariel Castro, o que ela não sabia era que essa carona seria sua sentença para passar anos no inferno. Ariel, pai de três filhos e um psicopata de marca maior, já havia sequestrado Michelle Knight, outra garota a qual abusava sexualmente, humilhava e espancava. Esse também seria o destino de Amanda e mais tarde de Gina DeJesus de apenas quatorze anos.

                         Primeiro e necessário ter muito estômago para ler esse livro, quem é mãe ou tem uma irmã ou mesmo está próximo a idade das meninas vai se sentir muito desconfortável com esse relato. Sim, o cara era realmente um monstro, ele estuprava as três garotas de 3 a 5 vezes por dia, as espancava, humilhava e promovia todo tipo de bizarrice com elas.

                         Durante todo o tempo em que estiveram com ele, as três viveram momentos de terror, Michelle e Gina dividiam o quarto e muitas vezes suportaram os mesmo maus tratos e humilhações sendo submetidas uma a outra. A terceira garota era mantida em um quarto diferente e segundo as outras duas, era tida como a queridinha do sequestrador. Gina nunca engravidou de Ariel, sorte que as outras duas garotas não tiveram,  Michelle engravidou e teve sua filha, Jocelyn, em condições sub-humanas. Essa é uma cena grotesca e me deixou muito enjoada,

                            Não gosto nem de lembrar muito desse livro, provavelmente será o último livro nesse estilo que eu pegarei para ler, pensar que o ser humano é capaz de tamanha atrocidade nos faz perder um pouco da esperança que temos no mundo.

                           Essa capa mostra o desenho da casa os as meninas ficaram prisioneiras. A diagramação está bem ok. Enfim, não recomendo se você não tiver um estômago forte. 


| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D