Resenha: Sedução no Convento (Jacques Lagôa)

sábado, 22 de agosto de 2015



Título: Sedução no Convento
Autor: Jacques Lagôa
Edição: 1
Editora: Companhia Editora Nacional
ISBN: 9788504019612
Ano: 2015
Páginas: 168


Sinopse: Dois corpos cedem ao prazer, duas almas cedem ao amor. Este livro narra a trajetória de Marcel, um homem bonito, atraente e cheio de vigor. Na França, ele descobre sua sexualidade ao lado de Collete, uma noviça do convento onde ele servia como empregado.Marcel e Collete não deveriam ficar juntos, mas todas as dificuldades deste improvável romance são vencidas pela coragem que apenas a junventude pode dar aos amantes. Apaixonados e tomados pelo desejo, o casal não mede esforços para cultivar o amor que os une. A vida, no entanto, parece ter outros planos para os dois...




                Sedução no Convento foi escrito pelo autor nacional Jacques Lagôa e publicado pela Editora Companhia Nacional. Eu na verdade comecei a ler esse livro sem nenhum tipo de expectativa, ainda bem pois as coisas poderiam ser muito piores.

                       Marcel é um jovem que mora em um mosteiro controlado por freias. No auge de sua juventude e cheio de saúde ele começa a ter desejos por Collete, uma jovem noviça. O desejo entre eles é palpável e embora seja impossível eles acabam por ceder a esse intenso relacionamento.

                      Gente, eu não sei nem por onde começar a falar do desastre que esse livro é. É um livro relativamente pequeno, apenas 175 páginas e a história tem conteúdo zero, nem de distração e nem é aquele tipo de história que muda de alguma forma sua vida.

                       Vou começar, decidi, falando sobre a linguagem repetitiva do autor, em 175 páginas ele conseguiu usar mais a palavra tesão que Cinquenta Tons de Cinza. Não sei como, mas em muitas passagens deu vontade de entrar no livro e dizer ao nosso narrador que já tinha entendido que Collete era um tesão e que ele estava com tesão.


                     Além disso o livro não teve nenhum clímax significativo, muito pelo contrário, os personagens pareciam superficiais e todo o "amor" que diziam sentir foi colocado completamente de lado assim que houve uma mínima complicação. As escolhas do autor também não foram algo que me agradaram, o fato de ter passagens de Marcel já adulto bebendo e lembrando do passado nesse contexto não contribuíram para melhorar a situação.

                          A capa é meio sem graça, combina com o livro. A diagramação é o único ponto favorável com adoráveis rosas marcando as páginas. Enfim, uma decepção que eu nem estava esperando.

| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D