Resenha: Redenção de Um Cafajeste (Nana Pauvolih) - Redenção Livro #01

sexta-feira, 13 de novembro de 2015



Título: Redenção de Um Cafajeste
Autor: Nana Pauvolih
Edição: 1
Editora: Rocco Fábrica231
ISBN: 978-8568432136
Ano: 2015
Páginas: 560



Sinopse: Pioneira da autopublicação no segmento erótico nacional, com mais de um milhão de visualizações de suas histórias na plataforma online Wattpadd e sucessivos primeiros lugares na lista dos e-books mais vendidos da Amazon, Nana Pauvolih estreia na Rocco com a trilogia Redenção, um de seus maiores sucessos. Lançamento da coleção Violeta, do selo Fábrica231, Redenção de um cafajeste, o primeiro volume da série, conta a história de uma garota simples, que sonha terminar a faculdade e ser professora, e se envolve com um empresário sem escrúpulos. Uma história que mistura doses certeiras de paixão, romantismo e erotismo, tendo o Rio de Janeiro como cenário. Em Redenção de Um Cafajeste, a autora narra a história de uma garota simples, que sonha terminar a faculdade e ser professora, e que conhece um empresário, dono de uma das revistas masculinas mais escandalosas do país. Uma história que mistura doses certeiras de paixão, romantismo e erotismo, tendo o Rio de Janeiro como cenário.


                       Redenção de Um Cafajeste é o primeiro livro de uma trilogia intitulada Redenção, escrita pela autora nacional (uma das minhas favoritas) Nana Pauvolih e publicado pela Fábrica 231. Dentre todas as publicações independentes ou não dessa autora que eu já li, esse livro foi o que eu menos gostei, mas mesmo assim não deixa de ser um bom livro.

                            Arthur é um reizinho, é assim que ele se sente desde criança. Criado pela avó que o acostumou a ter tudo de seu jeito, ele é um libertino que encontrou um desafio: Maiana, a irmã de uma das vagabundas que ele costumava levar para a cama. Maiana é uma moça batalhadora provinda de uma comunidade humilde, tem uma mãe extremamente interesseira que criou as filhas para serem prostitutas de luxo, o que só funcionou com Juliane, pois a mais velha é extremamente honesta. Arthur então faz um acordo com Juliane para que ela facilite seu acesso a Maiana, quando eles começam a se envolver as coisas começam a mudar um pouco de figura.

                           Eu adoro a narrativa da Nana, é sempre envolvente e mesmo que você não goste dos personagens não consegue largar de jeito nenhum o livro. Confesso que eu detestei Arthur, achei ele mimado, mau caráter e um sem noção das coisas. Desde o começo até o fim do relacionamento deles, ele trai Maiana e ainda acusa a menina de estar tentando dar o golpe nele e de ter um caso com seu amigo. Não consegui ter nenhum tipo de empatia por ele e acho sim que Maiana fez ele pagar muito pouco, no mínimo eu teria arrancado as bolas dele.

                           Em contrapartida temos uma mocinha que eu gosto bastante, ela é batalhadora e decidida quando descobre o que está acontecendo ela toma uma atitude não fica se fazendo de coitada nem nada do tipo. Acho que essas mocinhas são sempre as minhas preferidas, menos mimimi e mais ação. Os outros personagens que eu gosto são Matheus, claro, e Antônio que serão os protagonistas dos segundos e terceiros livros, respectivamente.

                             Acho legal as capas que trazem inspirações assim para os personagens. A diagramação está ótima, destaque para a lombada rosa que é amor. Enfim, Nana gente, se juntem a nossa religião. 


| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D