Resenha: Os Bons Segredos (Ann Leary)

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016



Título: Os Bons Segredos
Autor: Ann Leary
Edição: 
Editora: Companhia Editora Nacional
ISBN: 8504019586
Ano: 2015
Páginas: 384


Sinopse: Hildy Good é uma caipira chique que sempre viveu numa histórica comunidade da região da costa norte de Boston. Ela sabe quase tudo sobre todo mundo. Hildy é descendente de uma das bruxas de Salém, e acredita-se que ela possa ter herdado alguns dons paranormais. Não é verdade, claro; ela apenas é boa em decifrar as pessoas. Hildy é boa em várias coisas, aliás. É uma bem-sucedida corretora de imóveis, mãe e avó. Seus dias são atarefados, mas suas noites têm sido solitárias desde que suas filhas, convencidas de que a mãe estava bebendo além da conta, a mandaram para uma clínica. Agora ela está em recuperação — ou não.Os Bons Segredos é ao mesmo tempo cômico, triste e mordaz. Um clássico tipo de história que revela os segredos de uma cidade pequena, esse espirituoso romance vai ficar na memória do leitor até muito tempo depois de terminada sua leitura.




                 Os Bons Segredos foi escrito pela Ann Leary e publicado pela Companhia Editora Nacional. Não sei nem por onde começar a falar sobre esse livro.

                         Acho que esse vai ser o primeiro livro na minha história como blogueira que não farei um pequeno resumo sobre a história, simplesmente por que o livro NÃO TEM UMA HISTÓRIA! Não sei nem como dizer isso, mas é a verdade. O livro não tem uma história, não tem um cerne que você pode dizer: "ok conta a história da mulher nesse momento da vida dela" por que a narrativa é tão confusa que você não sabe realmente o  que está acontecendo.

                         Vou tentar esclarecer um pouco: Hildy é corretora de imóveis, velha, com duas filha, um ex-marido gay e que é alcoólatra. Pronto, essa é a história, não temos um drama existencial que envolve Hildy, ela é alcoólatra, sabe disso e pensa que pode controlar e na maioria dos momentos a gente não sabe se ela pode ou não. Como falei a narrativa é bem confusa. Há uma mulher na cidade que parece ser louca, que vira amiga da protagonista e que está tendo um caso com o psiquiatra, outa perda de tempo, pois é uma história completamente mal aproveitada, pois fica em segundo plano o livro inteiro para no final ganhar uma importância sem sentido nenhum mais uma vez.

                           A narrativa é toda em primeira pessoa, o que só dificulta, pois a protagonista é chata e mimizenta. As cenas são completamente sem graça e mesmo que o tempo seja algumas vezes alternado entre passado e presente você não consegue distinguir a mulher de mais de cinquenta anos da moça de dezoito, por exemplo.

                        Outra coisa, essa frase da capa e a sinopse são as mais "pega trouxa" que já passaram pela minha mão, as duas dão a entender que é uma história sobre bruxas e NÃO É absolutamente nada sobre isso, é a tentativa de história de uma mulher sozinha que se afoga na bebida. Poderia ser um drama maravilhoso, mas foi apenas mais um livro desastroso.

                        A capa até que é bonita, a diagramação também contribui, mas não rolou. Não sei se eu recomendaria alguém ler esse livro.



| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D