Resenha: A Sereia (Kiera Cass)

terça-feira, 26 de janeiro de 2016



A Sereia
Kiera Cass
ISBN-13: 9780130427014
ISBN-10: 0130427012
Ano: 2016 / Páginas: 368
Idioma: português
Editora: Seguinte

Anos atrás, Kahlen foi salva de um naufrágio pela própria Água. Para pagar sua dívida, a garota se tornou uma sereia e, durante cem anos, precisa usar sua voz para atrair as pessoas para se afogarem no mar. Kahlen está decidida a cumprir sua sentença à risca, até que ela conhece Akinli. Lindo, carinhoso e gentil, o garoto é tudo o que Kahlen sempre sonhou. Apesar de não poderem conversar — pois a voz da sereia é fatal —, logo surge uma conexão intensa entre os dois. É contra as regras se apaixonar por um humano, e se a Água descobrir, Kahlen será obrigada a abandonar Akinli para sempre. Mas pela primeira vez em muitos anos de obediência, ela está determinada a seguir seu coração.

Aproveitem que o lançamento do livro que é HOJEEEE!!! Já podem correr para a livraria mais perto e garantir o seu!!!

A Sereia é o mais novo livro lançado por Kiera Cass, autora de A Seleção. Na verdade, A Sereia foi escrito primeiro que A Seleção mas só agora foi publicado de forma oficial. A história é sobre Khalen, uma garota de 19 anos que estava a bordo de um navio que naufragou sob circunstâncias misteriosas. Quando estava à beira da morte, ela pediu para ser salva pois queria muito viver. A Água ouviu o seu clamor e deu a Khalen uma escolha: servi-La por 100 anos ou juntar-se à sua família, no fundo do oceano.

Khalen escolhe servir à Água por cem anos em agradecimento por Ela ter salvo a sua vida. Ela só não sabia que seria tão difícil. Servir à Água significava tornar-se uma sereia e de tempos em tempos cantar para atrair pessoas para o mar e alimentar a Água. E matá-las. Khalen passou 80 anos tendo que naufragar vários navios para alimentar a água e todas as vezes tem pesadelos com os rostos das pessoas que teve que matar.

Então, quando só faltavam 20 anos para o fim da sentença de Khalen, ela conhece Akinli, um humano que é a coisa mais fofa do mundo! Um garoto sensacional do jeito que eu sempre sonhei (pena que ele é de papel) e muda o rumo da vida da garota. Ela não pode falar com ele pois sua voz é tóxica e cantar, seria fatal.

Bom, a história tem começo, meio e fim (glória!). Achei bem mais adolescente do que A Seleção, é uma história fofinha mas a Kiera não desenvolveu muito não. Tem muitas coisas que ela não explica e tem personagens que você quer conhecer melhor e não consegue porque ela dá só um breve panorama. Akinli por exemplo, é um garoto tão incrível que você fica morrendo de vontade de conhecê-lo mais, mas só sabe o superficial. Aisiling é outra personagem muito interessante e que em dado momento do livro revelou muitas coisas que a Kiera só deixou o gostinho pra gente, não explorou nada.

Khalen tem duas "irmãs", é assim que as sereias se chamam, Miaka e Elizabeth e logo depois mais uma é "recrutada", a indiana Padma, que não sei porque não me convenceu e achei ela muito chata e cheia de mimimi. Khalen também é um pouco chatinha porque passa o livro todo falando na mesma coisa e em determinado ela passa por uma situação que foi meio tensa, e eu a compreendo. Mas eu gostei muito dela e me identifiquei com ela em alguns aspectos, principalmente em Akinli! HaHaHa

Não vou entrar em detalhes feministas, sociais, intelectuais, bla bla bla porque: 1- é um livro de ENTRETENIMENTO e como o tal, o seu papel é cumprido; 2- é um livro para pré-adolescentes/ adolescentes; 3- Não sou crítica literária, portanto, não sou obrigada.

Curti a mitologia que Kiera criou em torno da Água, é como se ela fosse uma divindade, semelhante a um dos deuses da antiga Grécia, até quando as meninas vão falar nela, é representada com letra maiúscula. A Água é muito possessiva e tive raiva dela na maior parte da história. Outra coisa bacana é que aqui as sereias não tem cauda e nem precisam morar na água. Quando elas entram na água vestidos belíssimos feitos de sal são materializados em seus corpos, e eles se desintegram depois de alguns dias, depois que elas os tiram. Elas não precisam comer, beber e nem dormir. MEU SONHO. E aparentemente nem trabalhar, não sei de onde vem o sustento financeiro delas para tantas viagens e aluguéis de casa sem trabalhar e sem poder falar com ninguém. As quatro se passam de mudas. Okaaaay.

Detalhes à parte, a história é legal, eu gostei muito. Tem falhas? Sem dúvida, muitas falhas. Compensa? Com certeza, pois Kiera sabe nos envolver em suas histórias e a gente simplesmente não consegue mais largar o livro. A capa é LINDAAAA e até a diagramação da prova antecipada está fofa; Em cada começo de capítulo tem uma conchinha! Muito amor. Leiam, vocês também vão se apaixonar pelo Akinlin.

P.s: Oh Kiera com criatividade pra criar nomes viu?!


| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D