Resenha: Encrenca (Non Pratt)

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Encrenca
Non Pratt
R$ 26,91 até R$ 32,81
ISBN-13: 9788576864103
ISBN-10: 857686410X
Ano: 2016 / Páginas: 307
Idioma: português 
Editora: Verus

Quando o colégio inteiro descobre que Hannah Sheppard está grávida, ela tem um verdadeiro colapso. E quem está ao seu lado é Aaron Tyler, um aluno novo e o único garoto que não parece ter segundas intenções em relação a ela. Desejando compensar seus erros do passado, Aaron toma uma difícil decisão: ele se oferece para fingir ser o pai do bebê. E, temendo revelar quem é o verdadeiro pai, Hannah aceita.
Encrenca é a história de dois jovens que estendem a mão um para o outro quando todas as demais pessoas parecem lhes dar as costas. Em um período marcado por perdas, arrependimentos e esperança, os dois vão descobrir que nada se compara a encontrar o seu primeiro melhor amigo de verdade.
Este livro inteligente, por vezes comovente, por vezes engraçado, mostra que crescer pode ser complicado, mas é assim que se descobre o que realmente importa na vida.

Ô gente, sabe aquele livro que você olha pra capa, lê a sinopse e já sabe que vai amar? Encrenca é um desses. O début de Non Pratt traz um tema que eu sentia falta nos livros de hoje em dia: gravidez na adolescência. Gente faz tanto tempo que eu não leio nada sobre esse tema que nem lembro mais o último livro que li sobre. Mas vamos à Encrenca. 

Hannah tem 15 anos, está no colegial e só pensa em garotos e farras. Ela tem uma melhor amiga, Kate, que é tão safadenha quanto ela. A garota não tem uma fama nada boa na escola, tem fama de ser pegadora e fácil e quando ela descobre que está grávida e NÃO PODE revelar quem é o pai do bebê, a especulação cresce ainda mais pois todos acham que nem ela mesma sabe quem é o pai. E aí o que acontece? Todo mundo a abandona! Até quem ela julgava ser seus amigos. 

Aí tem o Aaron, garoto novo na escola, filho do professor de matemática de Hannah, aquele garoto que só quer passar despercebido pois já acha que atingiu sua cota de problemas e culpas em sua antiga escola. Para tentar se redimir do seu passado, Aaron se oferece para assumir o bebê de Hannah como sendo filho dele. 

Plot construído com sucesso. Encrenca é um livro que aborda um assunto tão atual e que deveria ser mais discutido, pois a vida sexual dos jovens está começando cada vez mais cedo. É uma história completamente verossímil e por muitas vezes me deixou enjoada e perplexa. Hannah com 15 anos já tem uma vida sexual mais ativa que a minha, com 29 anos. Rsrs. 

Encrenca toca em diversos temas neste livro e nos faz refletir sobre nossas escolhas, sobre quem são nossos verdadeiros amigos e sobre como o bullying, neste caso o cyberbulling, pode fazer mal a alguém, e também sobre estruturas familiares. Quando descobri quem é o pai biológico do bebê de Hannah, fiquei enojada e triste, até deu vontade de chorar. Mas não pense que o livro é um dramalhão! Não! Hannah é uma garota bem humorada e muito irônica. Apesar de ser apenas uma adolescente, ela lida muito bem com a sua condição e adquire um senso de responsabilidade impressionante. 

Aaron é muito fofo, ele é bem porrinha louca, mas é um fofo e quando todo mundo chutou a Hannah quando ela apareceu grávida, ele ficou ao lado dela. Quando tudo parecia estar perdido, ele se mostrou a luz no fim do túnel. Também tem Neville, um cara mais velho que se tona amigo de Aaron e que lhe dá muito apoio, tão ou mais que sua família. 

Ah gente, Encrenca não é um livro surpreendente e cheio de reviravoltas, é bem previsível, você até desconfia do pai do bebê quando ele entra na história porém a confirmação é bem chocante. O mais interessante desse livro é o quão sutil e delicada é a narrativa da autora para lidar com um assunto tão polêmico quanto gravidez na adolescência. Os pais não querem admitir que os filhos estão começando as suas vidas sexuais cada vez mais cedo e em vez de conversarem abertamente sobre o quão difícil é criar um bebê aos 15 anos, tentam ignorar a situação e tem aquele choque e revolta quando acontece. 

Foi uma leitura agradável e enriquecedora, mesmo para mim que já passei dos 15 já faz 15 anos Ha Ha Ha. E sim, é um livro que eu daria para uma jovem de 15 anos, pois a Hannah apesar de ter seus xiliques de adolescente, enfrenta o problema de cara e toma as rédeas da situação e quando ela segura o seu bebê, que eu não vou revelar se é menino ou menina hahaha pela primeira vez, é uma cena tão linda e tão emocionante que eu até fiquei com vontade de ter um. #brincadeeeeeira! Leiammm!!!




| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D