Resenha: Um passado sombrio (Peter Straub)

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Um Passado Sombrio
Peter Straub
R$ 32,00 até R$ 46,91
ISBN-13: 9788528620481
ISBN-10: 8528620484
Ano: 2016 / Páginas: 392
Idioma: português
Editora: Bertrand Brasil

O inigualável mestre do horror e do suspense retorna com um livro poderoso e aterrorizante que redefine o gênero de maneira única e inesperada
Em 1966, um carismático e astuto guru, de passagem por um campus universitário do Meio-Oeste norte-americano, reúne um restrito grupo de discípulos, entre estudantes de colegial e universitários de fraternidade, num ritual secreto que resulta em um corpo horrivelmente dilacerado, um garoto desaparecido e as almas abaladas de todos os envolvidos. Quarenta anos depois, um escritor de relativo sucesso e amigo de infância da maioria dos garotos que participaram do ritual – além de marido de uma das garotas envolvidas –, sai em busca de informações sobre essa noite aterrorizante, com um projeto de livro em mente. Porém, para consegui-las, precisará não apenas reencontrar antigos colegas com quem perdeu o contato há décadas, mas também incitá-los a reexaminarem os eventos inomináveis que os têm assombrado desde então. Ao revelar as histórias individuais dos membros do grupo, Um Passado Sombrio eletrifica o leitor de maneira arrepiante e imprevisível – e prova que Peter Straub é, indiscutivelmente, um mestre do horror moderno.


Esta foi a minha primeira experiência com os livros do Peter Straub, até tenho outros livros dele aqui mas ainda não li, inclusive uns escritos com o Stephen King, mas esta é uma outra história. Vamos lá falar sobre as minhas impressões de Um passado sombrio. E eu ressalto que eu tinha muita, mas MUITA expectativa em relação a este livro. Sabe aquela frase: crie tudo menos expectativa? Ela é válida. Principalmente depois da primeira frase da sinopse deste livro. 

Ok. Com essa premissa, qualquer fã de horror fica definitivamente pirando para ler esse livro. E então vem a decepção. Mas calma gente, não é aquela decepção de dizer que o livro não presta! O livro é muito BOM, mas o medo que eu esperava sentir quando vi aquela citação do Stephen King na capa, passou foi longe.

Vou me poupar de contar a história pois a sinopse é bem satisfatória. O que acontece é que o escritor, Lee, fazia parte do grupo de amigos citado, porém justamente nesta noite ele não quis sair, e então quarenta anos depois ele vai reencontrar os seus amigos, com quem não tem contato há decadas, e tentar desvendar o que aconteceu naquela noite que mudou a vida de todos os envolvidos, incluindo sua esposa, de mesmo nome Lee, porém apelidada de Eel. 

O livro é narrado em primeira pessoa, tanto por Lee quanto pelos outros personagens que participaram do ritual e cada um conta a sua versão da história. Os personagens são muito bem construídos, isso não dá para negar e nem posso tirar o mérito do autor quanto a isso. Ele sabe como construir personagens perturbados, enigmáticos e que carregam uma carga emocional pesadíssima. Keith em minha opinião é o melhor personagem, principalmente porque eu não consegui ir com a cara dele desde o começo, mas Hootie não fica muito atrás, é outro personagem bem misterioso. 

Bom, o livro tem toda uma atmosfera de suspense e certamente tem umas cenas bem estranhas que podem ser um pouco fortes, mas não a ponto de me dar frio na barriga ou ficar aterrorizada como deu a entender a citação do Stephen King. Acho que tá mais um terror psicológico porque ele entra profundamente no psicológico dos personagens e você quase se coloca no lugar deles se imaginando na situação e o que faria. 

Algumas coisas me incomodaram um pouco durante a leitura como por exemplo alguns erros que não sei se foram de tradução, mas algumas frases me pareciam meio sem nexo e eu tive que ler várias vezes para tentar compreender, algumas eu deixei passar mesmo, fora uns errinhos de revisão. Folhas brancas também me atrapalham um pouco na hora de ler, acabo demorando mais do que normalmente demoraria lendo se fossem páginas amareladas. A capa é linda, mas essa citação do King é meio exagerada e pode acabar criando muita expectativa no leitor e o mesmo se decepcionar. 

Gostei do livro, mas não está entre os meus preferidos do ano e nem da vida. Certamente demorarei a ler algo do Peter Straub novamente, achei a leitura um pouco cansativa em alguns pontos, a narrativa dele, de Lee, principalmente e no começo do livro. Depois fica um pouco melhor e mais fluída, mas até você engatar na leitura demora um pouco. 

Espero que leiam e tirem suas próprias conclusões. Aguardo os comentários de vocês! 


| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D