Resenha: Lições do Desejo (Madeline Hunter) - Rothwell Brothers Livro #02

segunda-feira, 4 de julho de 2016



Título: Lições do Desejo
Autor: Madeline Hunter
Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412017
Ano: 2013
Páginas: 261
Tradutor: Teresa Carneiro



Sinopse:Atraente, sutil e tentador, lorde Elliot Rothwell é um homem acostumado a fazer sucesso entre as mulheres e a conseguir tudo o que deseja delas. Mas isso não se aplica a Phaedra Blair. A brilhante e exótica editora não parece disposta a ceder a seu pedido e cancelar a publicação das memórias de um membro do Parlamento que podem manchar o nome da nobre família Rothwell. A pedido de seu irmão mais velho, o marquês de Easterbrook, Elliot vai a Nápoles para negociar com Phaedra. Historiador de renome e autor de livros respeitados, tudo indica que ele seja a pessoa ideal para a tarefa. Porém, em vez de encontrar a bela mulher descansando à beira do mar Tirreno, Elliot descobre que ela está presa por causa de uma acusação injusta. Graças ao prestígio da família, o nobre consegue libertá-la, mas também se torna responsável por ela até voltarem à Inglaterra. Percorrendo juntos uma das regiões mais belas e românticas da Europa, eles vão descobrir que discordam de quase tudo o que o outro pensa ou faz – exceto o que fazem juntos na cama. E, nessa aula de prazer, será cada vez mais difícil saber qual dos dois tem mais a ensinar.





Lições do Desejo é o segundo livro da série Os Rothwells da autora Madeline Hunter, publicado pela Editora Arqueiro. Bom, como eu não curti muito o primeiro,coloquei minhas esperanças no segundo, e minha expectativa foi parcialmenteatendida... assim, o livro é ok, mas não é aquele livro de romance de época quelhe prende e você não consegue mais viver se não terminar a história (acho que
peguei essas expectativas altas de ler Julia Quinn!), enfim, mas vamos falar sobre a história.

O livro vai contar a história de Phaedra Blair, uma mulher a frente do seu tempo (ela é toda pra frente viu #adorei) que não vive em função das regras da sociedade, pra época, ela é a famosa “diferentona” dos dias atuais. Ela é uma editora “por acidente”, pois herdou se seu pai uma Editora que a fez prometer em seu leito de morte, que publicaria em sua memória o livro que ele deixou, onde conta alguns segredos obscuros de alguns membros da alta sociedade, motivo esse, que é o nosso estopim da história. Phaedra coloca esse último pedido do seu pai como sua missão de vida, então ela sai em uma busca incessante para confirmar as informações contidas nessas memórias o que a faz conhecer o lorde Elliot Rothwell, que tem grande interesse nesse livro, já que há uma parte que seu pai é mencionado em uma situação particularmente capciosa, por assim dizer...

Adendo: lorde Elliot é irmão do esposo da melhor amiga de Phaedra, Alexia. (essa informação é importante porque, caso publicado o “segredo” do pai de lorde Elliot no livro de Phaedra, as conseqüências dessa história podem recair em Alexia!)

A partir desse “impasse” entre a publicação ou não desse livro com essas Memórias, a história começa a desenrolar entre o nosso casal Phaedra e lorde Elliot que se veem em uma situação inesperada quando o nosso lorde viaja para encontrar Phaedra e tentar persuadi-la a não publicar no livro a parte que fala sobe seu pai. Quando ele chega à Nápolis, a encontra “presa”, numa espécie de prisão domiciliar, já que a natureza revolucionária da nossa “mocinha” faz com que ela se meta em algumas confusões (#barraqueira). Lorde Elliot, consegue, devido ao prestígio de sua família soltá-la e começa a jornada dos dois em busca de respostas, ela para conseguir as confirmações das histórias do livro de seu pai e ele “que fez a egípcia” e disse que estava viajando para colocar experiências novas no seu livro, mas na verdade, só queria surrupiar o livro da outra...#vaivendo

Enfim, a partir daí começa o desenrolar desse romance que tem como empecilho o grande orgulho de Phaedra que não aceita de forma alguma ter um homem ao seu lado para ser reconhecida e aceita na sociedade, assim, é uma briga de gato e rato, até enfim, os dois poderem ficar juntos, longe das amarras impostas pela sociedade da época.

O que eu mais achei legal na história é que a Phaedra é uma personagem forte, sabe o que quer e tem pensamentos feministas, o que fez dela pra mim, uma personagem especial, já que geralmente, em livros de época as mocinhas são belas, recatadas e do lar, Phaedra veio para quebrar esse paradigma e traz suas convicções sobre o lugar da mulher na sociedade de uma forma muito enfática e objetiva.

No geral, a história é legal e a diagramação da Arqueiro, como sempre, é massa. Vale a pena conferir!

PS: já li a sinopse do terceiro livro da série e estou jogada no chão viu, tinha altas expectativas para o segundo livro, mas acho que o babado forte vai ser no terceiro mesmo #ansiosa

Resenha Por: Jamille Moura

| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D