Resenha Premiada: Pax (Sara Pennypacker)

sábado, 10 de setembro de 2016


Pax
Sara Pennypacker
R$ 29,80 até R$ 39,90
ISBN-13: 9788551000229
ISBN-10: 8551000225
Ano: 2016 / Páginas: 288
Idioma: português 
Editora: Intrínseca

Peter e sua raposa são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas. Alternando perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens centrais, Pax expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada, segue o caminho contrário, de explorar sua natureza selvagem. Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos. Pax emociona o leitor desde a primeira página. Um mundo repleto de sentimentos em que natureza e humanidade se encontram numa história que celebra a lealdade e o amor.

Ok, vamos lá. É um desafio imenso falar sobre Pax, assim como foi um desafio imenso falar sobre Extraordinário. Agora imaginem, eu tive que falar sobre esse livro no encontro de blogueiros parceiros da Intrínseca na Bienal do Livro de São Paulo. Foi o livro que fechou as apresentações dos parceiros e acredito eu, o mais esperado, pelos inúmeros "shhhhh" na hora que eu ia começar a falar. Gente, fiquei tão nervosaaaa rsrs mas deu tudo certo.

Bom, eu já estava meio cansada de livros sobre romances entre homens e mulheres ou adolescentes e afins. A verdade é que estou procurando os livros mais diferentes possíveis, para tentar fugir um pouco da mesmice. Eis que Pax surge como um bálsamo em meio a tantas leituras medianas que eu fiz esse ano. Pax é a história da amizade verdadeira entre um menino e uma raposa. 

Peter resgatou Pax quando este era ainda um filhotinho e criara o animal selvagem como um animal doméstico. Um dia o pai de Peter precisa ir lutar na guerra e o menino irá morar com o seu avô, precisando devolver Pax ao seu habitat natural, a floresta. O primeiro capítulo do livro é um sofrimento muito grande. Toda a angústia de Peter durante o trajeto de carro até a beira da estrada que terá que deixar Pax, é passada para o leitor, no meu caso, chorei muito. Pax não sabe o que está acontecendo e acha que eles estão indo dar um passeio. 

Peter deixa Pax na beira da estrada e vai embora com o coração na mão e o sentimento de arrependimento, culpa e medo, porque Pax é inofensivo e indefeso, apesar de naturalmente ser um animal selvagem. A raposa fica lá, esperando "o seu menino" voltar para apanhá-lo, o tempo passa e Peter não vem. Pax precisa comer, beber água e a noite está se aproximando. O cheiro de Peter está quase desaparecendo, Pax está ficando preocupado e não quer sair dali para o caso do seu menino voltar para pegá-lo.

Cerca de 500km dali, Peter resolve fugir da casa de seu avô com praticamente a roupa do corpo e alguns poucos objetos, o menino vai buscar Pax, seu melhor amigo. O caminho é longo e os obstáculos são muitos, logo nas primeiras horas Peter sofre um pequeno acidente que pode acabar atrasando seu reecontro com Pax. Enquanto isso, Pax conhece outros dois de sua espécie e vai com eles aprender a agir como uma raposa. 

Oh gente, é muito sofrimento viu. Só queria dizer que eu chorei o livro todinho e essa foi sem dúvida uma das melhores leituras do ano, senão a melhor, até agora. 

O livro é narrado nas duas perspectivas, de Peter e de Pax, o que torna tudo muito mais interessante. A devolução de Pax a seu habitat natural e a readaptação da raposa é um processo árduo e interessante. Peter tendo que lidar com a culpa, saudade, amor, lealdade e raiva de si por ter abandonado Pax provoca no leitor um misto de sentimentos. 

Não vou falar mais nada do enredo, para isso vocês terão que ler este livro maravilhoso. A Intrínseca preparou uma edição capa dura e ilustrada que vale a pena cada centavo. Certamente é um livro que você lerá outras vezes. São muitos ensinamentos e reflexões. Tenho certeza que Pax é um livro que você, assim como eu, vai adotar pra vida e indicar a todo mundo. Criança, adulto, idoso... É um livro para a vida! Amei e recomendo demais!!!

*Este exemplar foi cedido pela Editora Intrínseca em troca de uma opinião sincera. 



E tem sorteioooooo!!!
a Rafflecopter giveaway

| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D