Crítica de filme | Cinquenta tons mais escuros

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Cinquenta Tons Mais Escuros (2017)
(Fifty Shades Darker)
País: EUA
Classificação: 16 anos
Estreia: 9 de Fevereiro de 2017
Duração: 117 min.
Direção: James Foley
Elenco: Dakota Johnson , Jamie Dornan , Tyler Hoechlin , Kim Basinger , Bella Heathcote , Luke Grimes
Distribuidora: Universal Pictures



Incomodada com os hábitos e atitudes de Christian Grey (Jamie Dornan), Anastasia (Dakota Johnson) decide terminar o relacionamento e focar no desenvolvimento de sua carreira. Ele, no entanto, não desiste tão fácil e fica sempre ao seu encalço, insistindo que aceita as regras dela. Tal cortejo acaba funcionando e ela reinicia o relacionamento com o jovem milionário, sendo que, aos poucos, passa a compreender melhor os jogos sexuais que ele tanto aprecia.

Christian Grey está de volta na sequência do sucesso de bilheteria, Cinquenta tons de cinza, que arrecadou mais de 500 milhões de dólares mundialmente. Após a bela Anastasia Steele ter dado um fim ao relacionamento no primeiro filme, decidindo focar na sua carreira editorial, neste filme, o playboy bilionário precisa reconquistar Ana e tentar trazê-la de volta para o seu mundo - de dor e prazer. 

Ana já não é mais aquela menininha bobinha e desastrada que era no primeiro filme e nem se faz mais de rogada. A moça se despiu de todos os pudores e mostra quase tudo nas cenas de sexo com o galã Christian Grey. Christian, por outro lado, está bem mais tolerante com os desejos e pedidos de sua amada. Ele realmente parece estar disposto a deixar seu lado sádico de lado e construir uma relação baseada no amor e na confiança com Anastasia. 


Bom, o filme é basicamente ele tentando fazer a Ana aceitar ser sua namorada. mas também é mais focado no sombrio passado de Christian e em como ele tenta lidar com os "fantasmas" que insistem em aparecer para perturbar-lhe o sono. 

Podemos perceber a dimensão do trauma que o rapaz sofreu e como ele é problemático em tantos aspectos. Ana Steele também não fica muito atrás no quesito problema, a garota é uma confusão só, não sabe o que quer! Ela termina com o cara porque não gosta de apanhar, depois lá está ela pedindo uns tapinhas e pedindo pra ir ao quarto vermelho. 


Alguns novos personagens são acrescentados à trama e outros ganham um destaque maior no longa de James Foley. Apesar de vários novos personagens terem aparecido, eles não parecem ter importância nenhuma e nem fazem nada memorável, são só mais alguns aleatórios para preencher a cota dos conflitos vivenciados pelo casal principal. O que é uma pena, pois é um elenco muito bom, como Kim Basinger, que vive Elena, a pessoa que introduziu Christian ao mundo do sadomasoquismo e também Eric Johnson que vive Jack Hyde, o chefe de Ana Steele, e que se Deus quiser vai fazer alguma coisa no terceiro filme, porque parece que ele e Christian tem um passado.


Também tem muitas cenas de nudez, dessa vez mais explícita do que no primeiro. Rolam peitinhos, bundinhas e até umas bitocas na perseguida da Ana! Eita! As cenas de nudez e sexo, em sua maioria, são gratuitas e meio que um "cala a boca e vai olhar umas peitolas ali", porque em algumas cenas que algo importante ou relevante parecia que iria ser discutido e foi meio que silenciado pelo abdômen musculoso de Jamie e pelas pitombinhas que chamam de peitos da Dakota. 


Este filme é bem mais absurdo do que o primeiro. Absurdo em que sentido? No sentido de que tem situações que são forçadas demais, até para uma ficção. Ah, e não espere mistério porque realmente não tem nenhum, apesar de o diretor ter tentado jogar uns mistérios na nossa cara. Cinquenta tons mais escuros é altamente previsível.

Mesmo com todos os problemas, a adaptação me rendeu duas horas de diversão e muuuuitas risadas. Como assim? É comédia? Bom, se a intenção foi fazer o espectador rir ou não, eu não sei. Mas eu dei boas risadas com o filme. 

Em suma, o filme é bom, mas ainda não decidi se gosto mais desse ou do primeiro. Mas preciso falar de algo que me incomodou: diferente do primeiro, neste parecia que Jamie e Dakota estavam tensos demais o tempo todo e não achei que existisse química entre eles. Não acho que eles passam veracidade como casal na ficção. Tem uma cena em específico, que era pra ser dramática e só emoção, Dakota fica apática e seu choro não convence nem uma criança. A atuação de Jamie está bem melhor que no primeiro filme, achei ele mais à vontade na pele de Christian, porém Dakota parecia que estava ali à força. A atuação da bela realmente não me agradou, a carinha de songa monga dela não me comove.


Um destaque especial para a trilha sonora que está ESPETACULAR. Recomendo Cinquenta tons mais escuros como um filme de romance com uma pitadinha só de safadeza. Não espere grandes reviravoltas e uma trama muito elaborada porque certamente vai se decepcionar. Se sua intenção for ver a bundinha de Jamie Dornan, aproveita miga, porque tá demais! O filme valeu a saída de casa e eu estou até pensando em rever depois. Ha Ha Ha.

TRAILER LEGENDADO

| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D