Crítica | Fragmentado (Split) 2017

segunda-feira, 20 de março de 2017



Título Original: Split
Ano de produção: 2017
Distribuição: Universal Pictures
Direção: M. Night Shyamalan
Estreia: 23 de Março de 2017 ( Brasil )
Duração: 117 minutos
Classificação: 14 - Não recomendado para menores de 14 anos
Gênero: Terror/Thriller
País de Origem: Estados Unidos
Sinopse:

Kevin (James McAvoy) possui 23 personalidades distintas e consegue alterná-las quimicamente em seu organismo apenas com a força do pensamento. Um dia, ele sequestra três adolescentes que encontra em um estacionamento. Vivendo em cativeiro, elas passam a conhecer as diferentes facetas de Kevin e precisam encontrar algum meio de escapar.


Precisamos falar sobre Kevin! Mas vamos falar sobre 23 Kevins.
M. Night Shyamalan, diretor de "O Sexto Sentindo", nos apresenta Kevin Wendell Crumb, interpretado por James McAvoy, um homem perturbado que tem sua mente fragmentada em 23 personalidades distintas, que juntas são chamadas de "A Horda" e conseguem também alterar sua estrutura química e genética.

Um dia, Kevin sequestra três garotas e as mantem em cativeiro, com um propósito de servir como oferendas para "A Besta". As garotas tem que lutar pela sobrevivência e tentar fugir do cativeiro.



Fragmentado é uma pequena sequela do filme "O Corpo Fechado", também dirigido por Shyamalan, com Bruce Willis e Samuel L. Jackson no elenco.

Com seu característico suspense psicológico, Shyamalan te prende do começo ao fim, com seu roteiro perturbador e cenas de te fazer prender a respiração, como a cena da tentativa de fuga de Casey Cooke, interpretada pela excelente atriz Anya Taylor-Joy.



McAvoy da um show de interpretação. Suas feições, sua voz e até as expressões corporais mudam de uma maneira extraordinária, que em certo momento do filme as identidades já não precisam ser mais apresentadas. 

Mas é aí onde reside um defeito do filme que me incomodou. Infelizmente só são exploradas algumas personalidades, como Patrícia, uma senhora cruel e perfeccionista; Dennis, um homem meticuloso, didático e que aparenta ser o líder das personalidades; e Hedwig, um garoto de 9 anos aparentemente alegre e inocente (particularmente esse foi o meu favorito e Et Cetera); realmente não eram necessárias as 23 personalidades, mas isso não tira o mérito do show de interpretação de McAvoy.



O restante do elenco também não deixa a desejar. Betty Buckley está maravilhosa como a Dra. Karen Fletcher, a psicóloga que estuda e trata o transtorno de Kevin.

Apesar de seu orçamento baixo, de apenas 9 milhões, Fragmentado foi bem trabalhado e funciona muito bem assim. Sua fotografia é muito bonita e com um bom trabalho de sombra e luz que nos mantém bem imersos no filme, fazendo uma boa mesclagem com o figurino bem simples.

Não podemos deixar de mencionar a trilha sonora do então desconhecido West Dylan Thordson, que se torna a cereja do bolo.

Se você é fã dos filmes do Shyamalan, fica de olho nos detalhes, porque o filme é cheio de referências aos outros filmes do diretor (dei um pulo na cena final).

Enfim, o filme cumpre o que promete, que é te deixar preso `à tela, apesar de deixar de lado algumas das outras personalidades de Kevin, o que não incomoda tanto, mas você acaba sentindo falta.

Fragmentado estreia hoje, 20 de Março, nos EUA e aqui no Brasil estreia 23 de Março.

TRAILER 




Crítica por Eddy Silva 





| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D