Resenha: Quem era ela (J.P Delaney) + Sorteio

quarta-feira, 31 de maio de 2017


Quem era ela
JP Delaney
R$ 35,77 até R$ 35,90
ISBN-13: 9788551001394
ISBN-10: 8551001396
Ano: 2017 / Páginas: 336
Idioma: português
Editora: Intrínseca

É preciso responder a uma série de perguntas, passar por um criterioso processo de seleção e se comprometer a seguir inúmeras regras para morar no nº 1 da Folgate Street, uma casa linda e minimalista, obra-prima da arquitetura em Londres. Mas há um preço a se pagar para viver no lugar perfeito. Mesmo em condições tão peculiares, a casa atrai inúmeros interessados, entre eles Jane, uma mulher que, depois de uma terrível perda, busca um ponto de recomeço. 
Jane é incapaz de resistir aos encantos da casa, mas pouco depois de se mudar descobre a morte trágica da inquilina anterior. Há muitos segredos por trás daquelas paredes claras e imaculadas. Com tantas regras a cumprir, tantos fatos estranhos acontecendo ao seu redor e uma sensação constante de estar sendo observada, o que parecia um ambiente tranquilo na verdade se mostra ameaçador.
Enquanto tenta descobrir quem era aquela mulher que habitou o mesmo espaço que o seu, Jane vê sua vida se entrelaçar à da outra garota e sente que precisa se apressar para descobrir a verdade ou corre o risco de ter o mesmo destino. Com um suspense de tirar o fôlego e um clima de tensão do início ao fim, JP Delaney constrói um thriller brilhante repleto de reviravoltas até a última página. Uma história de duplicidade, morte e mentiras.

Oi gentessss... então, tava devendo essa resenha a vocês né? Desculpem a demora, mas é porque eu fiquei tão impactada com o livro que eu não consegui escrever assim que terminei, precisava processar o final da história.

Então vamos lá...

Quem era ela é um livro publicado por J.P Delaney, pseudônimo do autor Tony Strong. É um thriller psicológico e confesso que eu não dava muita coisa por ele não. Mas olha, mordi a língua viu! Dos livros que li até agora em 2017, do gênero suspense, esse é de longe o melhor. Muito louco e eu vou tentar explicar o porquê. Tentar? É, tentar. Porque como é um suspense psicológico, não dá pra revelar muita coisa porque definitivamente vai estragar a leitura de vocês. Qualquer spoiler é fatal hahaha.



Então, a história se passa numa casa na Folgate Street, nº1, em Londres. Essa casa não é uma casa qualquer. É uma casa ultra tecnológica, minimalista e para morar lá o candidato tem que responder um questionário com as perguntas mais pessoais e absurdas que eu já vi na vida. O arquiteto que projetou a casa é um homem super conceituado na Inglaterra e já ganhou diversos prêmios por suas criações arquitetônicas. Folgate Street nº1, é uma espécie de casa modelo. Quem por ventura for aceito pelo proprietário para ser inquilino, vai ter que cumprir uma série de regras, que em hipótese alguma podem ser quebradas, pois a casa é inteligente, ela vai vigiar e saber se a pessoa está ou não cumprindo com as regras que estão no contrato.

Gente, a casa é uma invenção bizarra, eu acho que eu teria medo até de entrar, sério. O autor descreve de uma maneira que a gente consegue imaginar e até Temer (haha) o local. É uma casa de vidro, com temperatura ajustável de acordo com a temperatura do corpo da pessoa, luzes, chuveiro, enfim, tudo se adapta à rotina do morador para que ele fique confortável. No entanto, se você fizer alguma coisa errada ou deixar de cumprir alguma coisa, o sistema da casa vai meio que travar e desativar as funções, ou seja, banho não dá, café não tem como... nada. Pra vocês terem ideia, pra entrar na casa é tudo controlado por uma dispositivo que o morador carrega consigo. Todo o sistema é controlado por este dispositivo. A decoração é toda minimalista, branca em sua maioria, e não pode ter quadros, plantas, animais, tapetes, nenhum objeto pode entrar lá, somente o que o proprietário permitir.



Ah, não pode ter criança, não pode ter animal de estimação e a casa sempre deverá ser aberta para visitação de estudantes de arquitetura. São tantas exigências que eu teria desistido na mesma hora. Mas eu não estava na pele de Emma, ou de Jane...

Então, quem são essas duas mulheres? Não faço a menor ideia. HaHa Brincadeira.

Antes, era Emma. Agora, é Jane. Emma era uma mulher extremamente complexa, e que é difícil descrever. Ela morava com seu namorado Simon, e a casa em que eles moravam foi assaltada e ela ficou traumatizada e resolveu que queria se mudar. Então, como o preço da Folgate Street n°1 cabia no orçamento do casal eles decidiram se "inscrever". Mesmo achando que não seria aceita, deu tudo certo e eles foram morar na casa. E então, Emma morreu. (Não é spoiler, gente! Logo no começo você fica sabendo.)

Jane também sofreu um trauma, ela sofreu um aborto e mesmo assim teve que passar por um parto normal para que o bebê natimorto nascesse. Sua casa já estava totalmente pronta para receber Isabel, sua filha. Jane largou o emprego e decidiu se mudar para a Folgate Street n°1.

O que sabemos de Emma são coisas que ela conta e ainda assim não são tantas coisas.  Jane, que narra "atualmente" começa a perceber sinais de Emma e vai tentar descobrir o que aconteceu com a antiga moradora da casa modelo. Apesar de, aparentemente, elas não terem nada em comum, suas histórias vão se cruzar em algum ponto e nós vamos ter que descobrir onde e o porquê.  E aí eu não posso falar mais nada. Sério, esse livro é muito louco. Achei meio parecido com Garota Exemplar, pois você a cada capítulo não sabe em que ou quem acreditar, o autor nos faz de trouxas mesmo! Ele consegue estender o mistério até quase o finalzinho do livro e eu realmente não consegui desvendar antes. Posso estar "enferrujada", mas acredito que não. O livro é realmente surpreendente.

A narração é feita em capítulos curtos, alternando entre os pontos de vista de Emma e Jane. Isso ajuda muito na fluência da leitura. Eu, particularmente, amo capítulos curtos pois eu tenho meio que um TOC de não parar de ler no meio do capítulo, tenho que esperar ele acabar. E com esse livro eu sempre queria ler só mais um capítulo. Recomendo demais a leitura para os fãs de Gillian Flynn e adoradores de suspense psicológico em geral. Com certeza é uma ótima pedida!

Clique na imagem para ir ao formulário

*A Editora Intrínseca nos cedeu o livro em troca de uma resenha honesta*

| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D