Resenha | Melodia Mortal (Pedro Bandeira)

quinta-feira, 14 de setembro de 2017


Melodia Mortal
Sherlock Holmes investiga as mortes de gênios da música
Pedro Bandeira
R$ 20,70 até R$ 24,90
ISBN-13: 9788595170025
ISBN-10: 8595170029
Ano: 2017 / Páginas: 240
Idioma: português 
Editora: Fábrica 231
Será que Mozart foi assassinado por Salieri? Tchaikovsky morreu de cólera ou envenenamento? Chopin morreu mesmo tuberculoso? E Beethoven, foi vítima do alcoolismo? A resposta, ou, pelo menos, algumas hipóteses plausíveis para essas perguntas estão em Melodia mortal, estreia na ficção adulta de um dos maiores autores para o público juvenil do país. Escrito a quatro mãos por Pedro Bandeira com o médico Guido Carlos Levi, o livro examina, à luz dos conhecimentos da medicina contemporânea, os indícios possíveis sobre as mortes polêmicas de alguns grandes compositores da música clássica. E quem conduz a investigação é ninguém menos que Sherlock Holmes, auxiliado pelo seu fiel escudeiro, o doutor John H. Watson, que narra as aventuras do detetive na empreitada. Talvez não seja possível, tanto tempo depois, elucidar a causa dessas mortes que a medicina da época não foi capaz de precisar, mas a diversão é garantida neste romance cheio de teorias científicas e enigmas que formam um intricado quebra-cabeça, na tradição da melhor literatura policial.


Melodia Mortal é o primeiro livro adulto do consagrado escritor Pedro Bandeira. É, aquele velhinho simpático mesmo, que recheou a nossa infância de deliciosas histórias. Neste livro ele pega o detetive mais querido da literatura e resolve investigar as mortes de gênios da música clássica como Beethoven, Mozart, Chopin, etc.


Estou falando de ninguém menos que Sherlock Holmes, que caiu em domínio público. Em Melodia Mortal, Holmes, com a ajuda de seu fiel parceiro, o dr. John Watson, ao investigar alguns casos, começam a deliberar sobre as mortes de vários compositores clássicos. John Watson é quem narra o livro, que é composto por oito capítulos. Sempre ao final dos capítulos, nos é apresentado um breve resumo sobre o músico em questão, as principais composições e como ele morreu de fato. 


Já nos tempos atuais, conhecemos a "Confraria de Médicos Sherlockianos", que são um grupo de médicos fãs de Sherlock Holmes, que encontraram os manuscritos deixados por Watson, que eram desconhecidos por mais de 100 anos. Estes médicos se reúnem sempre em restaurantes diferentes, para debater e confabular sobre os diagnósticos apresentados nas histórias contadas por Watson com a ajuda da ciência e técnicas avançadas de investigação. Cada capítulo é dedicado a um músico e há bastante informação pra quem é curioso pesquisar. Não vou falar sobre cada capítulo isoladamente. 


Não tem muito mais o que contar, nós já conhecemos o Holmes e seu jeito peculiar de detectar coisas que ninguém mais consegue. Acho que o Pedro Bandeira conseguiu dar uma personalidade bem interessante ao Holmes, a partir de sua própria percepção, porém acho que ficou muito mais cômico do que eu esperava, aliás, o Holmes do Pedro é bem diferente do Holmes que a gente conhece, criação do Conan Doyle. Mas nem por isso o personagem perde sua essência. A leitura é fluída, gostosa, divertida e instrutiva. A gente fica sabendo um pouco mais sobre música clássica e até se pega ouvindo de vez em quando. Leitura mais do que recomendada.





| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D