Resenha | A zona morta (Stephen King)

quarta-feira, 27 de setembro de 2017


A Zona Morta
Stephen King
R$ 37,20 até R$ 40,90
ISBN-13: 9788556510334
ISBN-10: 8556510337
Ano: 2017 / Páginas: 480
Idioma: português 
Editora: Suma 

Depois de quatro anos e meio, John Smith acorda de um coma causado por um acidente de carro. Junto com a consciência, o que John traz do limbo onde esteve são poderes inexplicáveis. O passado, o presente, o futuro – nada está fora de alcance. O resto do mundo parece considerar seus poderes um dom, mas John está cada vez mais convencido de que é uma maldição. Basta um toque, e ele vê mais sobre as pessoas do que jamais desejou. Ele não pediu por isso e, no entanto, não pode se livrar das visões. Então o que fazer quando, ao apertar a mão de um político em início de carreira, John prevê o que parece ser o fim do mundo?

A zona morta é um dos livros mais aclamados de Stephen King. O livro já estava esgotado nas livrarias e a gente só podia rezar pra que a Suma relançasse, e amém que ela chegou! E veio toda lindona! 

Bom, a história é sobre John Smith, um professor de inglês, cidadão de bem, tranquilo, tinha uma vida boa, pacata, uma namorada que amava e com quem pretendia se casar. Enfim, tudo ia muito bem, obrigada, para o nosso Johnny aqui, quando em uma noite comum ele sofreu um acidente de carro que o deixou em coma por quase cinco anos. 

Cinco longos anos. E então Johnny acorda, aparentemente ele é o mesmo, sem sequelas, além de um problema em esquecer algumas coisas, que foi causado pela forte batida na cabeça e que acabou lesionando uma parte de seu cérebro que os médicos chamam de zona morta. Fora isso, tudo normal. Johnny acorda como se fosse no dia seguinte ao acidente, ele não faz a menor ideia de que todo este tempo passou e que as pessoas seguiram em frente, incluindo Sarah, sua namorada, que agora está casada. E sua mãe, que depois que Johnny acordou do coma se tornou uma fanática religiosa bizarra. 

Como se tudo isso não fosse o bastante, Johnny descobre que ao tocar as pessoas ele consegue ter visões sobre o passado, o presente ou o futuro delas. Bizarro, né? Então os médicos fazem diversos exames para tentar saber o que está acontecendo, porém a imprensa fica sabendo e Johnny acaba ficando famoso, alguns até acham que ele é um charlatão. Quando Johnny aperta a mão de Greg Stillson, um político no início de sua carreira, ele tem uma visão aterradora sobre o futuro do MUNDO, caso o homem chegue ao cargo almejado, o de presidente dos Estados Unidos. E agora? O que fazer para evitar/mudar que isto aconteça?

Sério, que livro MARAVILHOSO! Não é à toa que todo mundo que já leu diz que este é um dos melhores livros do King, porque é muito verdade! 

Uma das coisas mais legais nos livros do King é a intertextualidade, ele coloca ligações diretas e referências a outros livros dele, como se tudo fosse uma grande história. Este livro contém spoilers de Cujo, então se você ainda não leu Cujo, leia este aqui antes pois a experiência vai ser bem mais interessante. E ele também cita Carrie, a estranha. 

O livro é enorme e como já estou acostumada com os calhamaços que são os livros do King e também com o estilo de escrita dele, não consigo sentir dificuldade de "engolir" o enredo. O que acontece é que o King dá muitas e muitas voltas para chegar a um local que ele claramente poderia ter chegado antes, mas se ele fizesse isso a gente perderia toda a profundidade que ele dá a vários personagens. Os personagens são muito bem construídos, mas isso não é novidade né? Eles não são perfeitos e você ao mesmo tempo gosta e não gosta de alguns deles. 

Bom, mas o mais interessante mesmo é como este livro é atemporal, mesmo tendo sido escrito em 1979, é super contemporâneo e com discussões super atuais, como a política, já mencionada e o fanatismo religioso. Johnny fica com raiva de seu dom, que ele chama de maldição, e decide não usá-lo, e então depois que ele conhece Greg, ele vê que pode fazer alguma coisa, que pode alterar o futuro. O final é incrível, não é um final feliz, mas é super legal e satisfatório. 

E aí, e se você tivesse esse poder, o que você faria? Você se aproveitaria do seu dom em benefício próprio? Você deixaria pra lá e não usaria por nada? Ajudaria quem precisasse? Eu acho que é um dom muito legal mas eu acho que teria medo de usá-lo também, afinal, tem coisas que a gente realmente não precisa saber antes do tempo certo para que não fiquemos loucos não é mesmo? 

‎"Todos nós fazemos o que podemos, e isso tem de ser bom o bastante… e se não é bom o bastante, temos de continuar fazendo. Nada jamais é perdido… Não há nada que não possa ser encontrado."

Recomendo demais super definitivamente este livro para os fãs do King que ainda não leram, e se você não sabe por onde começar, esta é uma boa oportunidade. O livro não dá medo, se você acha que é um terror de sustos, não é, mas é recheado de suspense e dá uma afliçãozinha básica em algumas muitas cenas. Leiam! Leiam! Leiam! 

O livro foi adaptado para o cinema em 1983, intitulado A hora da zona morta e em meados de 2000 para uma série de TV chamada The Dead Zone, que aqui no Brasil foi transmitida como O Vidente

| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D