Resenha | Querida Filha (Elizabeth Little)

segunda-feira, 9 de outubro de 2017



Querida Filha
Luz Negra
Elizabeth Little
R$ 30,80 até R$ 54,50
ISBN-13: 9788532530622
ISBN-10: 8532530621
Ano: 2017 / Páginas: 368
Idioma: português
Editora: Rocco

A relação mãe e filha – e os segredos que podem se esconder em seus meandros – é o combustível do bem-sucedido romance de estreia de Elizabeth Little, lançamento da coleção Luz Negra, que reúne o melhor do suspense feminino contemporâneo. O livro acompanha a ex-it girl Janie Jenkins, que, ao sair da prisão 10 anos após ter sido condenada pela morte da mãe, só deseja fugir dos holofotes e encontrar o verdadeiro assassino. Só há um problema: Janie não tem certeza absoluta de que não cometeu o crime. E, seguindo a única pista que possui, inicia um périplo que a levará a uma pacata cidade em Dakota do Sul e a um revelador encontro com o passado.

Bom, eu estou um pouco confusa com esse livro. Não porque a história foi tão incrivelmente arrebatadora que me deixou sem palavras, mas justamente pelo contrário.
Até agora eu não entendi o que a autora quis fazer, mas tenho uma vaga suposição. Vocês vão entender. Vem comigo!

Logo no início conhecemos Janie Jenkins, uma mulher de 26 anos que acabou de sair da prisão, onde permaneceu em reclusão por 10 anos pelo assassinato da própria mãe. Só que Janie afirma não saber o que aconteceu naquele dia, ela não sabe como as coisas aconteceram, a única coisa que ela sabe é que ela foi encontrada próximo ao corpo da mãe, toda suja de sangue, com DNA da mãe embaixo de suas unhas e as únicas impressões digitais naquele quarto eram dela.

Janie tinha apenas 16 anos quando tudo aconteceu e o fato de ela ser uma patricinha chata e metida, e que para completar, não se dava bem com a mãe, só contribuiu para que as suspeitas recaíssem sobre ela. E agora com 26 anos, ela vai buscar respostas.

Pronto, isso é tudo que vocês precisam saber da história para não estragar a surpresa. Estou um pouco (ou muito?) decepcionada com esse livro porque ele me prometeu uma história inteligente, com uma personagem esperta e que tem um senso de humor ácido. Mas a única coisa que eu encontrei aqui foi uma narradora chata, que tem o irritante hábito de conversar consigo, eu realmente detesto essa técnica, para isso funcionar tem que ser de uma forma muito bem feita, mas não foi o caso de Elizabeth Little. Neste caso ficou parecendo que ela era só louca mesmo.

Outra coisa que eu não gostei foi porque ela arrastou muito a narrativa, ou seja, é tão lenta que você fica rezando para que as divagações dela terminem logo porque são muito entediantes. Em vários momentos eu me dispersei da história e fiquei pensando em várias coisas aleatórias e aí eu me dava conta de que não estava entendendo nada, aí tinha que voltar as páginas. Sério, isso é muito chato.

Além do fato de a autora fazer uso de metáforas que em nada serviram para engrandecer a história, cujo propósito, a meu ver, foram apenas para tentar distrair o leitor. A personagem Janie não é nada carismática e eu não consegui sentir um pingo de simpatia por ela, tudo que eu queria era que ela calasse a boca e voltasse pra cadeia, mesmo se for/fosse inocente. 

A autora também usou de recursos como a inclusão de transcrições, matérias jornalísticas, sms, etc., mas infelizmente nada desse material era de fato relevante, poderia ter sido facilmente cortado e ainda assim não ia fazer diferença. 

Outro problema do livro é a verossimilhança. Quando um leitor decide ler um livro de ficção, ele precisa suspender a descrença e embarcar naquela história, naquele mundo. Eu sempre faço isso, obviamente, mas neste caso ficou um pouco difícil. A partir de quando um personagem leva um tiro no ombro, e o que ele faz é, com toda calma, olhar pro ombro e dizer: "a cor vermelha não me cai bem". Sério??? Isso foi no mínimo absurdo. 

Eu demorei mais do que o normal para ler este livro pelos diversos motivos acima citados. Muita coisa não convenceu, de verdade, e não é como se fosse uma ficção fantasiosa, poxa, é um suspense! Eu estive a muito pouco de abandonar, mas é muito difícil eu abandonar um livro, ainda mais um suspense porque eu sempre vou querer saber o que aconteceu no final das contas, independente de qualquer coisa. O final é muito "oi???". Resumindo o final: Qual a necessidade?

De resto, a capa é linda, a diagramação e revisão estão super ok, quanto a isso não tenho o que reclamar da Rocco, porque sempre capricham nos livros. Então gente, eu realmente não curti a leitura, mas isso é apenas a minha opinião, espero que vocês leiam para tirarem suas próprias conclusões. Deixa aqui seu comentário se você já leu e vamos falar sobre ele! ;) 

| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D