Carolina Sousa fala sobre Deuses Americanos de Neil Gaiman

sábado, 4 de novembro de 2017

Deuses americanos
Edição preferida do autor
Neil Gaiman
 R$ 33,00 até R$ 49,90
ISBN-13: 9788551000724
ISBN-10: 8551000721
Ano: 2016 / Páginas: 576
Idioma: português
Editora: Intrínseca

Obra-prima de Neil Gaiman, Deuses americanos é relançado pela Intrínseca com conteúdo extra, em Edição Preferida do Autor.

Deuses americanos é, acima de tudo, um livro estranho. E foi essa estranheza que tornou o romance de Neil Gaiman, publicado pela primeira vez em 2001, um clássico imediato. Nesta nova edição, preferida do autor, o leitor encontrará capítulos revistos e ampliados, artigos, uma entrevista com Gaiman e um inspirado texto de introdução.
A saga de Deuses americanos é contada ao longo da jornada de Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de ser libertado e cujo único objetivo é voltar para casa e para a esposa, Laura. Os planos de Shadow se transformam em poeira quando ele descobre que Laura morreu em um acidente de carro. Sem lar, sem emprego e sem rumo, ele conhece Wednesday, um homem de olhar enigmático que está sempre com um sorriso no rosto, embora pareça nunca achar graça de nada.
Depois de apostas, brigas e um pouco de hidromel, Shadow aceita trabalhar para Wednesday e embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos, um país tão estranho para Shadow quanto para Gaiman. É nesses encontros e desencontros que o protagonista se depara com os deuses — os antigos (que chegaram ao Novo Mundo junto dos imigrantes) e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas) —, que estão se preparando para uma guerra que ninguém viu, mas que já começou. O motivo? O poder de não ser esquecido.
O que Gaiman constrói em Deuses americanos é um amálgama de múltiplas referências, uma mistura de road trip, fantasia e mistério — um exemplo máximo da versatilidade e da prosa lúdica e ao mesmo tempo cortante de Neil Gaiman, que, ao falar sobre deuses, fala sobre todos nós.

“Deuses Americanos” é um livro escrito pelo autor Neil Gaiman, relançado pela editora Intrínseca ano passado, e que teve um destaque maior neste ano por causa de uma série de TV derivada do livro, com o mesmo nome.

Na história acabamos conhecendo Shadow, um ex-condenado que foi libertado mais cedo, por causa de um acidente envolvendo sua esposa e seu melhor amigo. Depois disso ele se vê sozinho, e por isso acaba aceitando um emprego ao lado do Mr. Wednesday, que após algumas páginas é descoberto que ele é a encarnação do deus Odin, e está tentando reunir outros deuses para participarem de uma batalha contra estes novos deuses.

O livro apesar de ter um foco maior nestes personagens e sua excruciante batalha contra os deuses novos, a reunião dos deuses antigos, batalhas, também há cenas secundárias e adicionais, com passagens de seres mitológicos.

Esse livro é aquela velha frase, “é 8 ou 80”, ou você vai amar demais o livro ou vai odiá-lo pela história, no meu ponto de vista. Eu devo ser uma que fiquei no meio disso, nem amei demais ou odiei. Achei que o desenvolvimento da história foi bastante promissor, porque como já sabia que iria sair “Deuses Americanos 2”, eu espero que muitas das lacunas deixadas em aberto sejam resolvidas no próximo livro.

O livro é uma leitura bastante dinâmica, uma hora você está louca para descobrir o próximo passo do Shadow ao lado do Mr. Wednesday, mas em outros momentos cai e acaba sendo uma leitura arrastada, porém os personagens secundários, os outros deuses acabavam nos pegando, pela curiosidade que eles despertavam.

O final do livro, eu achei, que foi esperado, não dou um 10 por este livro, mas vale a leitura, é no final que eu cheguei a ter um entendimento de diversas situações acontecidas nesta road-trip, mas ainda fiquei com questões que espero que sejam respondidas em sua continuação.

Resenhado Por:


| comente (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D