Crítica | Círculo de fogo: A revolta (2018)


Data de lançamento 22 de março de 2018 (1h 51min)
Direção: Steven S. DeKnight
Elenco: John Boyega, Scott Eastwood, Cailee Spaeny mais
Gêneros Aventura, Ficção científica
Nacionalidade EUA

Filho de Stacker Pentecost (Idris Elba), responsável pelo comando do programa Jaeger, Jake (John Boyega) era um promissor talento do programa de defesa, mas abandonou o treinamento e entrou no mundo do crime ao vasculhar ferros-velhos em busca de peças de robôs abandonados. Perseguido após não encontrar uma peça valiosa, ele encontra o esconderijo da jovem Amara (Cailee Spaeny), que clandestinamente está construindo um Jaeger de porte pequeno. Ambos tentam fugir usando o robô, mas acabam sendo capturados. Para escapar da prisão, eles são enviados ao treinamento de pilotos Jaeger. Lá Jake reencontra sua irmã de criação Mako (Rinko Kikuchi), uma heroína da época do combate contra os kaiju, que tenta lhe ajudar a se areadaptar ao ambiente militar.

Enfim a continuação de Círculo de Fogo, mas com um porém: não teremos Guilhermo Del Toro no volante, aqui ele ficou só na produção. Agora quem assume é Steven S. DeKnight (se voce assistia Smallville ou Buffy vai conhecer esse nome).

Nessa continuação vamos acompanhar Jake Pentecost (John Boyega), filho de Stacker Pentecost (interpretado por Idris Elba). Típico jovem adulto revoltado querendo sair da sombra do pai, Jake é um excelente piloto de Jeager junto de seu parceiro Lambert (Scott Eastwood). Decidido a ter uma vida fora do dos campos militares, Jake aproveita a paz, graças a derrota dos monstros Kaiju, e entra para o mundo do crime. Mas como nada dura para sempre, a calmaria é quebrada com outra guerra em iminência só que dessa vez os inimigos são outros Jeager (?). Agora Jake se vê na posição de ter que novamente pilotar o Jeager com Lambert para também salvar o mundo como seu pai.


 No começo o filme parece mais um filme da franquia Transformers, o que não agrada tanto. Mas o desenrolar da trama vai prendendo a atenção com seu desenrolar rápido e fluido e funciona muito bem, não deixando você perder o interesse.


Mais uma vez vemos robôs gigantes inspirados em Gundam e Neon Genesis Evangelion em batalhar épicas e lindas de se ver. 

Para quem assistiu o primeiro filme, preparem seus corações. Temos o retorno de alguns personagens importantes, como a meia irmã de Jake, Mako (Rinko Kikuchi) e os cientistas Newton (Charlie Day) e Hermann (Burn Gorman).


O filme está longe de ser um dos melhores, mas é diversão garantida e uma ótima propaganda de bonecos para a criançada, e vale a pena o ingresso.


Círculo de Fogo - A Revolta teve estréia desde 22 de Março de 2018 nos cinemas Brazucas.


2 comentários via Blogger
comentários via Facebook

2 comentários

  1. Em seu lugar na direção temos Steven S. DeKnight estreando no cinema, conhecido por trabalho na televisão em séries como Spartacus e Demolidor. Amei ver a Idris Elba novamente no filme, lembro dos seus papeis iniciais, em comparação com os seus filmes atuais, e vejo muita evolução, mostra personagens com maior seguridade e que enchem de emoções ao expectador. Desfrutei muito sua atuação neste filme A Torre Negra filme cuida todos os detalhes e como resultado é uma grande produção e muito bom elenco.

    ResponderExcluir
  2. Oi Eddy, tudo bem?
    Sempre que lançam continuações fico receosa com o produto final. Por um lado, fiquei feliz em saber que personagens já conhecidos retornam, por outro, pelo que percebi, essa continuação perdeu bastante o apelo de seu original.
    Parabéns pela crítica.
    Bjkas

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!