Resenha | Tudo aquilo que eu não disse (Kathryn Hughes) + Sorteio

Editora: ASTRAL CULTURAL
ISBN: 8582467001
ISBN13: 9788582467008
Edição: 1ª Edição - 2018
Número de Páginas: 352
A vida da doce Tina Craig parece estar destinada a mesmice dos anos 70: ela vive presa em um casamento infeliz com um marido problemático. Isso desafia Tina a unir todas as suas forças para sair desse abismo e finalmente conquistar a paz de espírito que ela tanto quer. Seu destino toma um rumo diferente quando ela encontra uma carta escrita em setembro de 1939. A carta, que nunca chegou ao destino certo, lhe traz uma nova esperança, um alento para o seu coração tão maltratado. Tudo muda de figura quando a vida de Tina se choca com os destinos do casal Billy e Chrissie, trazendo William, um jovem em busca de sua mãe biológica, para sua jornada por conta de um mero acaso.



Tem muitas coisas que quero comentar sobre esse livro, mas vou me segurar pra não soltar spoilers. Capa e título são os principais fatores para despertar o meu interesse na leitura de um livro e quando vi esse lançamento da Astral quis logo ler, e ainda bem que tive uma agradável surpresa.
Gosto muito de livros que intercalam a narrativa entre o presente e o passado. Nesse caso, temos duas mulheres com o mesmo nome e essa coincidência vai afetar a vida delas.

A Christina de 1973 vive em um relacionamento abusivo. Ao casar-se com seu amor não imaginou que as agressões começariam já na lua de mel e, como tantas mulheres que sofrem com isso, acompanhamos as incertezas de Tina. Ela quer sair dessa vida mas ao mesmo tempo tem esperança que o marido mude, afinal ele sempre promete isso a ela. No seu trabalho, Tina encontra um envelope fechado e dentro uma carta com data de 1939 direcionada a uma Christina, e Tina fica se perguntando porque essa carta nunca foi postada e o que aconteceu com essas pessoas. Dessa forma ela resolve esquecer um pouco dos seus problemas e fazer com que essa carta chegue ao seu destino.

E assim o leitor conhece a Christina de 1939. A jovem Chrissie tem um pai rigoroso e que se preocupa muito com as aparências e com o que a sociedade pensa. Ele não aceita que sua filha esteja apaixonada por Billy, rapaz que ficou órfão quando ainda era um bebê, em decorrência da Primeira Guerra. E quando é anunciada a Segunda Guerra ele fica feliz porque assim esse namoro vai ter que acabar.

Sabemos que nem sempre as coisas acontecem como planejamos, e que a vida reserva surpresas que em poucos minutos podem mudar completamente o rumo dos nossos planos. E ao mesmo tempo que é triste perceber a fragilidade das coisas, é encantador ver que de uma coisa ruim em determinada época pode surgir algo belo em outra.

Tudo aquilo que eu não disse nos mostra sobre a importância das palavras. Uma coisa não-dita no momento certo pode afetar a vida de várias pessoas, mesmo depois de tantos anos. É um livro que aborda vários temas e nos faz refletir sobre as pequenas grandes decisões que tomamos ao longo da vida, e também sobre aquelas que tomam por nós. Essas são as piores. Quando nos tiram o poder da escolha e só nos resta viver com as consequências. Acontecem muitas coisas no decorrer da história e isso faz com que a leitura flua bem. Eu estava sempre querendo saber o que viria em seguida e quando voltaria a narrativa do outro ano. A autora soube dosar e envolver nos momentos de cada história, e com o surgimento de novos elementos a história foi ficando mais interessante. Ela não é muito detalhista e algumas coisas não são bem aprofundadas, mas nada que atrapalhe o panorama geral do livro. A maneira que algumas coisas acontecem podem ser difíceis de acreditar, mas se tratando da vida, acho que tudo é possível. Sabe aquele lance de “seria cômico se não fosse trágico”!?

Quero destacar que adorei a maneira que as histórias se conectaram. Quando cheguei na última parte, e percebi o que iria acontecer, fiquei feliz. Quando fui apresentada a essas personagens, não poderia ter imaginado um final melhor. Foi bacana acompanhar tudo o que teve que acontecer para que o final das histórias das Christinas fosse assim. É difícil saber em que momento a nossa vida tomou o rumo que ela tem hoje, mas é bom pensar que tudo o que passamos acontece por um motivo. Livros assim me fazem acreditar nisso.

SORTEIO - CLIQUE NA IMAGEM!



SORTEIO! ate 30.04


5 comentários via Blogger
comentários via Facebook

5 comentários

  1. Renata!
    O livro parece profundo e carregado de ensinamentos. Realmente quando nos abstemos de dizer alguma coisa em um determinado momento, poderá fazer uma diferença incrível no futuro.

    Participo e sairá divulgação no blog.
    Rudynalva Correia Soares
    rudynalva@yahoo.com.br
    Bom final de semana!
    “Violência gera violência, os fracos julgam e condenam, porém os fortes perdoam e compreendem.” (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA ABRIL – ANIVERSÁRIO DO BLOG: 5 livros + vários kits, 7 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  2. Oi Renata, tudo bem com você?
    Adorei a sua resenha. Esse livro está na minha listinha de desejados e pelo que eu li do seu texto, apenas reforçou o fato de que preciso realizar essa leitura.
    Bjkas

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carol
    Que bom que gostou.
    Obrigada!
    Foi uma ótima leitura.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito deste livro também, terminei de lê-lo ontem e a história ainda está comigo. Achei interessante ler sobre você também, já que encontrei tantas coisas em comum. bjs

    ResponderExcluir
  5. também tenho um blog www.leituracompipoca.wordpres.com e agora canal no youtube...

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!