Resenha | Poliana (Eleanor H. Porter)


Autor: Eleanor H. Porter
ISBN: 9788520941973
Formato: 15,5 x 23cm
Páginas: 192
Preço: R$ 39,90
Após a morte do pai, Poliana, que já era órfã de mãe, vai morar com a tia Paulina, uma solteirona rica, severa e pouco afetuosa, em Beldingsville. Mas a vida da cidadezinha vai mudar com a chegada desta menina de dez anos que se tornou a própria personificação do otimismo na literatura ocidental. Poliana nunca deixa de praticar algo que o pai criou e lhe ensinou: o "jogo do contente" — a tentativa de sempre se posicionar de maneira positiva frente às adversidades. Inspiração para a novela "As aventuras de Poliana", do SBT, este livro acaba de ganhar uma edição especial, repleto de ilustrações e um belíssimo projeto gráfico.



Fiquei muito contente em ser presenteada com essa história. Senti isso mesmo, como se tivesse ganhado um presente ao conhecer Poliana. Já havia escutado bons comentários sobre esse clássico, mas não imaginei que fosse ficar tão encantada. Sabe aquela leitura que nos enche de coisas boas? Que nos inspira a ver o mundo de outro jeito? Então, Poliana fez isso comigo.



Poliana é uma garotinha de 10 anos que perdeu a mãe cedo e foi criada pelo pai. Com ele aprendeu a jogar o jogo do contente, uma maneira que o pai encontrou para que ela visse as dificuldades da vida com outros olhos, sempre procurando enxergar o lado bom das coisas.

Após a morte do pai ela vai morar na casa da tia Paulina em outra cidade. Tia Paulina é uma pessoa amarga, que já sofreu por amor e não é nenhum pouco carinhosa com Poliana, mantendo a menina afastada.


Poliana é tão acostumada a jogar o jogo do contente que nem percebe que a tia não a trata tão bem. E com seu jeito encantador de viver a vida, ela vai conquistando todos da cidade, faz amizades inesperadas e por onde passa fala sobre o pai e o jogo que ele ensinou. Tia Paulina não deixa Poliana falar sobre o pai, então é a única que não sabe sobre o jogo do contente.

Sabemos que é difícil estarmos sempre contentes e ver algo bom em determinadas situações, mas é possível tentar. É isso que a Poliana nos ensina, a sermos gratos e tentarmos ver o lado bom das coisas. É um exercício diário, difícil, mas na maioria das vezes é possível jogar o jogo do contente. Só que mesmo a garotinha mais otimista tem dificuldade em jogar seu jogo por um momento. 


Poliana irradia uma luz e é impossível não se encantar com seu jeito doce, com aquela inocência de criança. A sua maneira de ver a vida me fez sorrir várias vezes. Aos poucos ela foi ganhando espaço e iluminou a vida de várias pessoas, inclusive a minha. Esse livro é favorito de muitas pessoas e é fácil entender o motivo depois que a gente lê. Amei.




Essa nova edição da Editora Nova Fronteira está a coisa mais linda do mundo. Nunca vi uma edição tão linda desse livro! Ele tem a capa ser dura e acolchoada, brilhos localizados, papel especial, todas as páginas são super coloridas e cheias de ilustrações diferentes. Enfim, a edição está simplesmente MARAVILHOSA! Quero parabenizar em especial à autora do projeto gráfico desta edição, Larissa Fernadez Carvalho, pois é uma obra prima! 





0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!