Crítica | Jurassic World: Reino Ameaçado (2018)



Título: Jurassic World: Fallen Kingdom (Original)
Ano produção: 2018
Dirigido por: J. A. Bayona
Estreia: 21 de Junho de 2018 ( Brasil ) 
Duração: 128 minutos
Classificação 12 - Não recomendado para menores de 12 anos
Gênero: Ação Aventura Ficção Científica
Países de Origem: Estados Unidos da América

Quatro anos após o fechamento do Jurassic Park, um vulcão prestes a entrar em erupção põe em risco a vida na ilha Nublar. No local não há mais qualquer presença humana, com os dinossauros vivendo livremente. Diante da situação, é preciso tomar uma decisão: deve-se retornar à ilha para salvar os animais ou abandoná-los para uma nova extinção? Decidida a resgatá-los, Claire (Bryce Dallas Howard) convoca Owen (Chris Pratt) a retornar à ilha com ela.



A sequência de Jurassic World acontece quatro anos após o fechamento do parque. Está havendo uma audiência para decidir o futuro dos Dinossauros, se eles merecem (?) viver ou se tem que ser destruídos por terem sido uma afronta ao curso natural da história. Dr. Ian Malcolm (Jeff Goldblum) faz uma aparição para nos matar de nostalgia. 


Claire agora trabalha numa ONG que luta em defesa dos dinossauros. Ela é convocada para uma missão que promete retirar onze espécies da ilha Nublar, que está ameaçada de ser destruída por um vulcão que está prestes a entrar em erupção. Então Owen se junta a ela, a Dra. Zia Rodrigues (Daniella Pineda) e Franklin (Justice Smith), um nerd engomadinho que traz parte do alívio cômico ao longa, que ficou bem mais sombrio do que o anterior, talvez por ter sido dirigido por Antonio Bayona (Penny Dreadful) que é conhecido pelos filmes de terror. 



Podem falar que a fórmula já está esgotada, que é previsível, clichê, que já deu, bla bla bla. Eu amo Jurassic Park/World e vou defendê-lo. De fato, não é nenhuma mentira que o filme é previsível, não há nada de novo e o plot twist que, para mim, foi uma baita revelação, não foi explorado, talvez porque o final já deixa abertura para mais um filme (eba!) e que inclusive já tem data de estreia: 11 de junho de 2021! 



Como já dito anteriormente, Reino Ameaçado está bem mais sombrio que o primeiro filme, e tem cenas muito tristes, para quem como eu, é fã de dinossauros. A cena da ilha sendo destruída é de cortar o coração. Mesmo que dinossauros não sejam reais, não consigo não ligar isso à realidade, com o tanto de plástico sendo jogado nos oceanos diariamente e que pode levar à extinção várias espécies como Tartarugas, peixes e outros animais marinhos. 



Outra cena que eu achei muito boa, foi a sequência em que Claire e Franklin entram na bolha de vidro para tentar escapar da lava, (e da manada de todos os dinossauros da ilha, que também tentam escapar!) que está destruindo a ilha Nublar. Então eles caem de um penhasco no mar, e Owen que não conseguiu entrar na bolha está logo atrás (A PÉ! HAHAHA) e também cai, e incrivelmente os salva da morte por afogamento. A cena é realmente eletrizante, apesar de ser totalmente inverossímil, mas estamos falando de um parque de DINOSSAUROS que foram criados em laboratório, não é mesmo? Se vamos suspender a descrença, façamos isso certo! 



Tiveram algumas cenas que eu curti muito já no outro cenário, na casa do magnata Ben Lockwood, ex-sócio de John Hammond (Fundador da InGen e do antigo parque dos dinossauros), principalmente as cenas que apareceram a criança da vez, Maisie, neta de Benjamin, interpretada por Isabella Sermon, que é uma criança adorável e cheia de atitude, além de muito esperta! 


Enfim, eu me diverti muito com o filme, com toda certeza valeu a ida ao cinema. Claro que o filme tem problemas na narrativa, mas prefiro me deleitar com a grandeza dos efeitos especiais e dos dinossauros super realistas, misturando animatrônicos e computação gráfica, e a fotografia do filme também está incrível. Então agora só resta esperar 2021 pra saber o que aconteceu e pra, quem sabe, ver o Dr. Henry Wu se ferrar. O longa chega aos cinemas brasileiros em 21 de junho de 2018.
3 comentários via Blogger
comentários via Facebook

3 comentários

  1. Oi Dana, tudo bem? Assisti ontem ao filme e confesso que fiquei um pouco decepcionada. Sou mega fã da franquia, fez parte da minha infância e assisto milhares de vezes sem vergonha alguma. Só achei desnecessário algumas coisas, por exemplo, a parte da garotinha. Apesar do carisma e show de interpretação, achei sua história em si desnecessária dentro desse cenário.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol! Obrigada pela visita <3 Então, acho que é porque vão abordar no prox. filme... afinal ela foi o motivo da "separação" entre Ben e John Hammond... bom, é oq espero kkkk achei meio bizarro o leilão tb

      Excluir
    2. Oi Dana, tudo bem? Venho visitar o blog sempre que posso, amo os posts daqui <3 Então, foi bizarro mesmo e até entendo o motivo de terem abordado, mas acho que de todos os filmes da franquia, esse foi aquele em que o enredo em si não me conquistou. Os efeitos são incríveis, os dinos cada vez mais deslumbrantes e até mesmo nosso cientista favorito de se odiar está presente. Só que não terminei o filme com o "uau" que sempre faço assistindo a franquia rs
      Bjkas

      http://www.acordeicomvontadedeler.com/

      Excluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!