Resenha | A assombração da Casa da Colina (Shirley Jackson)

A Assombração da Casa da Colina
Shirley Jackson
R$ 35,30 até R$ 39,90
ISBN-13: 9788556510631
ISBN-10: 8556510639
Ano: 2018 / Páginas: 240
Idioma: português 
Editora: Suma
Considerada uma das melhores histórias de terror do século XX, a A Assombração da Casa da Colina promete calafrios aos seus leitores. Vista por mestres como Stephen King e Neil Gaiman como a rainha do terror, Shirley Jackson entrega um livro perturbador sobre a relação entre a loucura e o sobrenatural. Sozinha no mundo, Eleanor fica encantada ao receber uma carta do dr. Montague convidando-a para passar um tempo na Casa da Colina, um local conhecido por suas manifestações fantasmagóricas. O mesmo convite é feito a Theodora, uma alma artística e “sensitiva”, e a Luke, o herdeiro da mansão. Mas o que começa como uma exploração bem-humorada de um mito inocente se transforma em uma viagem para os piores pesadelos de seus moradores. Com o tempo, fica cada vez mais claro que a vida, e a sanidade, de todos está em risco.

Pra começar essa resenha eu preciso dizer que terminei o livro há semanas mas ainda não me sinto totalmente capaz de falar dele. Reli alguns trechos para conseguir escrever algo e ainda acho que vai ficar horrível, mas okay, vamos nessa.

A história gira em torno de Eleanor, que acabara de perder a mãe, foi meio que enxotada de casa pela irmã e está sem perspectivas, pois a única coisa que fez nos últimos anos foi cuidar da mãe doente. Eleanor, junto com um grupo de outras pessoas, foi convidada pelo Dr. Montague, um estudioso de fenômenos paranormais, a se juntar a ele num experimento na Casa da Colina, uma casa que existe há oitenta anos e que ninguém consegue morar lá por muito tempo, pois a mesma tem fama de ser mal assombrada. Dr. Montague quer publicar um livro sobre fenômenos paranormais que seja aceito pela ciência.

Do grupo de pessoas que o Dr. Montague convidou, apenas Eleanor (Nell) e Theodora (Theo) responderam. Mas a dona da casa só concordou com a locação se um membro da família herdeira estivesse presente, logo Luke se juntou ao grupo. Esse grupo de pessoas foi escolhido pelo Dr. Montague porque em algum momento de suas vidas eles tiveram experiências sobrenaturais. 

Então o grupo chega à Casa da Colina. De início tudo estava normal, eles começaram a explorar o local e parecia que a casa estava sempre se modificando, eles chegavam a se perder. Mas depois de algum tempo, coisas estranhas começaram a acontecer e afetar diretamente a personalidade dos personagens desta história. 

“Agora a casa tremia e sacudia, as cortinas batendo contra as janelas, a mobília oscilando, e o barulho no corredor aumentou tanto de volume que empurrava as paredes; ouviram vidro se quebrando quando os quadros no corredor despencaram das paredes, e talvez quando janelas se quebraram.”

Vi algumas pessoas comentando que o livro era parado, que não dava medo, que era chato, que se decepcionaram, etc. E o que eu posso dizer é: leu errado, lê de novo. HaHaHa Brincadeira, gente. Mas a realidade é que a história é muito bem escrita. Para começo de conversa, a Casa da Colina é muito mais que apenas uma casa, é um personagem da história, eu diria que é a protagonista. À medida que vemos os personagens se conhecerem, conhecerem a história da casa e interagirem com ela, a Casa vai afirmando sua importância. 

Todos ali tem um caráter duvidoso, ou pelo menos não são pessoas confiáveis. Eu não consegui gostar de ninguém, apesar de que em alguns momentos me identifiquei com Eleanor. Ela é uma mulher muito insegura. A todo momento eu me perguntava se aquilo tudo estava de fato acontecendo, principalmente os diálogos entre Eleanor e Theodora, personagem por quem Nell desenvolve uma verdadeira obsessão. Alguns diálogos eram tão esdrúxulos, infantis, que eu ficava questionando a sanidade das duas ou se aquilo era só um devaneio de Eleanor. 

As personalidades de todos eles também vão mudando com o passar dos dias, com certeza por influência da casa, e o relacionamento entre eles também vai mudando, inclusive há cenas um tanto tensas principalmente entre Nell e Theo. A chegada da Sra. Montague também altera as emoções de todos e as coisas se intensificam com algumas práticas que ela tem. A mulher é extremamente odiosa. 

Eleanor é uma personagem interessante e ela me fez lembrar muito a Merricat de Sempre vivemos no castelo. Uma mulher com atitudes extremamente infantis e egoístas, é insegura, invejosa, cheia de repressões resultantes do ambiente em que viveu a sua vida toda. Acredito que isso é muito recorrente nos livros de Shirley pois andei lendo sobre a autora e a própria teve muitos problemas familiares, principalmente com sua mãe, com quem tinha um relacionamento um pouco tumultuado. 

Gostei muito de como a história foi construída e do tipo de terror que Shirley aplica neste livro. É o verdadeiro terror psicológico. Eleanor é a pessoa perfeita para a Casa da Colina manipular, é sua personalidade fraca e influenciável que dará o alimento para que o mal que sustenta aquela casa siga firme. Realmente se você pegar o livro achando que dará de cara com monstros, fantasmas e coisas do tipo, pode se decepcionar. O vilão aqui se manifesta de outras formas. Apesar de que fiquei com o coração acelerado em algumas cenas, principalmente depois da metade do livro, que é onde as coisas realmente começam a acontecer.

“...a casa está se destruindo. Ouviu as risadas em toda parte, finas e lunáticas, subindo na mesma melodia louca, e pensou: Não; para mim terminou. É demais, pensou, renunciarei à posse desse meu eu, abdicarei, entregarei de boa vontade aquilo que nunca quis, seja o que for que quiser de mim pode tomar.”

Recomendo para quem gosta de histórias com personagens mais complexos, e onde tudo que é dito tem um motivo, todas as ações tem um propósito. Não é uma história mastigada. Então já fique sabendo que pode demorar a engrenar, mas quando pega, é pra valer! Eu adorei! A edição da Suma tem capa dura e um projeto gráfico lindo, onde o primeiro parágrafo, que é tão sublime, tem uma página só pra ele. O livro está impecavelmente revisado. 

Existem duas adaptações desse livro para o cinema, uma se chama The Haunting ou em português A casa maldita, (1963) e A casa amaldiçoada (1999), e a Netflix está produzindo uma série baseada neste clássico do terror. A série está prevista para estrear ainda neste ano de 2018. O filme A casa da colina não tem nada a ver com este livro. 
1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Oi Dana, tudo bem com você?
    Ainda não li essa continuação, mas gostei imensamente do primeiro livro. Agora, lendo a sua resenha, tenho a impressão de que irei amar esse livro.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!