Resenha | Deuses Americanos (Neil Gaiman) #HQ

Deuses Americanos
Sombras # 1
Neil Gaiman
 R$ 26,00 até R$ 49,90
ISBN-13: 9788551003060
ISBN-10: 8551003062
Ano: 2018 / Páginas: 264
Idioma: português 
Editora: Intrínseca

O grande clássico de Neil Gaiman agora em quadrinhos.
Mistura de road trip, fantasia e mistério, o romance Deuses Americanos alçou Neil Gaiman à fama mundial e ao posto de um dos maiores escritores de sua geração. Agora, os fãs de quadrinhos e da obra-prima do autor têm mais um motivo para celebrar: chega às livrarias o primeiro volume das graphic novels inspiradas em Deuses americanos. Ao todo, serão três volumes.
Em Sombras, as cores e os traços vibrantes de P. Craig Russell e Scott Hampton nos apresentam Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de sair da prisão e descobre que sua mulher morreu em um acidente de carro. Sem lar, sem emprego e sem rumo, ele aceita trabalhar para o enigmático Wednesday e embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos. É nesses encontros e desencontros que o protagonista se depara com os deuses - os antigos (que chegaram ao Novo Mundo junto dos imigrantes) e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas) -, que estão se preparando para uma guerra que ninguém viu, mas que já começou. O motivo? O poder de não ser esquecido.

Deuses americanos foi lançado originalmente em 2001 como um livro. E em 2018 a Intrínseca trouxe para o Brasil o primeiro quadrinho, dos três, que formam esta história tão peculiar.

Eu vou evitar falar da história porque já tem resenha do livro aqui no blog, para conferir clique AQUI. Vou me ater somente à adaptação e aspectos gráficos da edição. Mas eu não consigo não dar um panorama da história, é mais forte que eu. 

Shadow está prestes a sair da prisão, onde esteve nos últimos anos. A vida parece estar lhe dando uma nova chance: ele tem uma esposa por quem é apaixonado, uma casa e um trabalho garantido para quando sair da cadeia. Só restam alguns dias e enfim estará livre. Só que um inesperado acidente com sua esposa e seu melhor amigo acaba matando os dois, e Shadow é libertado antes do tempo para providenciar o funeral da esposa. O cara está totalmente devastado, sem perspectiva nenhuma, e em seu voo de volta para casa ele conhece o sr. Wednesday (lê-se ˈwɛnzdeɪ), um cara estranho que parece conhecer Shadow melhor que ele mesmo. O homem lhe oferece um trabalho, ele até reluta por um tempo mas no final das contas, aceita. E aí é onde as coisas mais estranhas começam a acontecer. 

Em resumo, Deuses Americanos é sobre os antigos deuses tentarem não ser esquecidos face aos novos deuses que estão sendo adorados, os deuses modernos, ou seja, a tecnologia, o dinheiro, o poder, as drogas, etc.

Neil Gaiman escolheu dois de seus velhos conhecidos para trabalhar nesta adaptação, P. Craig Russell e Scott Hampton. P. Craig Russell trabalhou em O livro do cemitério e Scott Hampton em Sandman. 
Posso dizer que a adaptação ficou boa e ruim ao mesmo tempo, depende do seu ponto de vista, vou explicar: está extremamente fiel ao livro, eu digo literalmente mesmo, é a mesma coisa que está no livro! Ou seja, tem MUITO texto! Pra HQ eu não acho isso muito legal, porque acaba meio que se distraindo das ilustrações e é uma leitura densa. Mas se você gosta de adaptações bem literais, é um deleite. Está incrivelmente fiel.

Não sou uma consumidora ávida de quadrinhos, admito que li bem menos do que gostaria, mas essa é a minha visão, a de uma pessoa que começou ha pouco tempo a se aventurar no mundo dos quadrinhos e que está gostando muito. Eu acho que por mais densa que a história seja, quando ela for adaptada para HQ, deve ser mais leve e rápida de ler, com mais diálogos do que o narrador explicando o que está acontecendo. Como eu já tinha lido o livro Deuses Americanos, a leitura foi mais rápida porque eu já conhecia a história, então minha prioridade aqui foi apreciar a beleza das ilustrações, que estão perfeitas. 

Recomendo principalmente para quem NÃO leu o livro e tem vontade de conhecer a obra. Realmente é uma adaptação fidelíssima e você não vei perder nenhuma nuance. A edição da Intrínseca tá incrível! Capa linda e papel de excelente qualidade. Não sei se lerei os outros dois volumes, mas talvez sim, para acompanhar a história através das imagens.
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!