Resenha | Tarde demais (Colleen Hoover)

Tarde Demais
Colleen Hoover
R$ 27,93 até R$ 39,90
ISBN-13: 9788501115003
ISBN-10: 8501115002
Ano: 2018 / Páginas: 384
Idioma: português 
Editora: Record

A autora best-seller do The New York Times está de volta com um romance ainda mais sombrio, intenso e assustadoramente real.
Para proteger o irmão, Sloan foi ao inferno e fez dele seu lar. Ela está presa em um relacionamento com Asa Jackson, um perigoso traficante, e quanto mais os dias passam, mais parece impossível enxergar uma saída. Imersa em uma casa incontrolável que mais parece um quartel general, rodeada por homens que ela teme e sem um minuto de silêncio, também parece impossível encontrar qualquer motivo para se sentir bem. Até Carter surgir em sua vida.
Sloan é a melhor coisa que já aconteceu a Asa. E se você perguntasse ao rapaz, ele diria que também é a melhor coisa que já aconteceu a Sloan. Apesar de a garota não aprovar seu arriscado estilo de vida, Asa faz o que é preciso para permanecer sempre um passo a frente em seu negócio e proteger sua garota. Até Carter surgir em sua vida.
A chegada de Carter pode afetar o frágil equilíbrio que Sloan lutou tanto para conquistar, mas também pode significar sua única saída de uma situação que está ficando insustentável.
Colleen Hoover não tem medo de escrever sobre assuntos delicados e Tarde demais prova isso. Perpassando as formas mais cotidianas de machismo até as formas mais intensas e cruéis de abuso, a autora mergulha na espiral atordoante que é um relacionamento abusivo.


Tarde demais é o último livro lançado pela Colleen Hoover aqui no Brasil. Este livro foi lançado inicialmente no wattpad em um momento de bloqueio criativo da autora, e por isso ela afirma no começo que ele é diferente de tudo que ela já escreveu e que não tinha intenção de publicá-lo. 

Esta foi a minha primeira experiência com a Colleen Hoover, e se eu não tivesse tantas amigas que me dizem todos os dias que ela é maravilhosa, seria a primeira e última porque eu definitivamente não gostei desse livro. 

O livro conta a história de Sloan, uma garota que tem a vida mais desgraçada que alguém poderia ter. Sério, pense numa pessoa azarada. Pensou? É a Sloan. Vou dar um breve panorama da história dela. Sloan não tem pai e a mãe é uma viciada em drogas que toda semana levava um homem diferente pra dentro de casa, tinha dois irmãos gêmeos com saúde frágeis e um alto grau de autismo, um deles bateu a cabeça durante uma convulsão e morreu. A mãe sumiu no mundo e Sloan teve que cuidar do irmão que sobrou, sendo que ela era só dois anos mais velha que ele. Stephen agora está numa espécie de asilo, onde tem tratamento e cuidados específicos, só que o preço desse tratamento Sloan paga com o próprio corpo. Não, ela não é prostituta, vou explicar.

Sloan conheceu Asa, um cara que no início era gentil, educado e parecia se preocupar com ela. Asa ofereceu casa, comida, estudo e ainda pagava o tratamento de Stephen, e por isso Sloan resolveu ficar com ele. Só que com o passar do tempo Sloan descobriu a origem do dinheiro de Asa, ele é traficante de drogas, mas como ela não tinha condições de pagar aluguel, faculdade e o tratamento do irmão, resolveu ir ficando e se submetendo a todo tipo de abuso físico, moral e psicológico por parte de Asa.

Então entra na história Carter, um policial disfarçado (não é spoiler porque a autora deixa claro o tempo todo) que está investigando a rede de tráfico na faculdade local, e Asa é o principal suspeito de ser o manda-chuva. Carter começa a ter aulas com Sloan e se aproxima da garota, e ela acaba encantada por ele. Porém, quando ela chega em casa, quem ela encontra confraternizando com Asa? Isso mesmo, Carter. 

E aí é um festival de incoerências. Muita coisa não faz sentido, Colleen deixa muitas pontas soltas e o desenvolvimento dos personagens é paupérrimo. Tarde demais não é nada além de uma grande colcha de retalhos, pois a autora foi escrevendo a partir da interferência e pedidos das fãs. Ela não se preocupou em ser verossímil, ela só queria um personagem que ela pudesse judiar bem muito, não importando se iria parecer real ou não.

Sloan se mostra muito inteligente em alguns momentos e extremamente burra em outros. Ela é extremamente consciente de tudo que passa, por isso não dá nem pra dizer que ela tem meio que uma síndrome de Estocolmo. Ela tem asco do Asa mas mesmo assim continua lá. O livro teria sido OK, se tivesse terminado no FIM. Colleen resolveu colocar um prólogo, um epílogo, um epílogo do epílogo, um Sloan dois anos antes, um POV do Asa, etc. Gente, apena NÃO.

Asa é de longe o MELHOR personagem, estou falando em termos de desenvolvimento. Ele é inteligente, manipulador e um baita ator. Foi o único personagem que me despertou algum sentimento durante a leitura dessa história. Senti um nojo tão grande dele, um ódio que nem sei explicar, mesmo a Colleen tendo tentado justificar várias atitudes dele por causa da criação e dos traumas de infância, mas em minha opinião ele é essencialmente MAU, ele é psicopata. 

Carter é uma vergonha. Não engulo que um policial experiente, pois não é a primeira missão dele disfarçado, faz as presepadas que ele faz, colocando a vida dos outros e a sua própria em risco. Não pensa, não projeta e não executa nada que preste. É uma vergonha de personagem. Carter é inacreditável, no sentido literal da palavra. 

Muitos personagens não tiveram serventia nenhuma na história, que apareceram e desapareceram com a mesma rapidez. Sloan parece ser muito inteligente em alguns momentos mas em outros é tão burra que fica até difícil acreditar. Queria pontuar todas as incoerências que encontrei, porém já acho que essa resenha ta muito cheia de pequenos spoilers haha. 

Enfim gente, eu não curti a história, apesar de achar que ela tinha um potencial enorme. Achei mal escrita, incoerente e preguiçosa. Eu entendo que a Colleen não quis que ela passasse por um trabalho de edição, pois queria publicar na mesma ordem em que ela foi lançada no wattpad, entendo toda a questão pessoal da autora, mas se ela tivesse passado por uma edição, ouso dizer mesmo sem ter lido nada anterior a ela, uma das melhores histórias da autora. 

Teve quem gostou, teve quem amou, teve quem odiou, enfim. Eu só não gostei, achei fraca. Espero ter mais sorte com os próximos livros da Colleen. Não é porque não gostei desse que vou desistir da autora, pelo contrário, agora que vou ler mesmo, pois apesar da história ser ruim, na minha opinião, a leitura flui, isso mostra que a autora tem competência pra escrever boas histórias, ela só foi infeliz na criação desta.

E você, ja leu? O que achou? Pode deixar sua opinião nos comentários, mas por favor, seja razoável, mesmo que você seja muuuuito fã da Colleen e tenha ficado com ódio de mim durante essa resenha hahaha. Vamos respeitar a opinião dos coleguinhas, certo? Um abraço e até a próxima! 
1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Oi Dana, tudo bem?
    Não li esse livro e sinceramente, após ler a sua resenha, não sei se será uma leitura futura. Às vezes, os leitores ficam tão empolgados com o autor e acabam relevando o texto em si e acho que isso foi o que aconteceu nesse caso, pois li várias críticas positivas da obra.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!