Resenha | A pequena caixa de Gwendy (Stephen King e Richard Chizmar)

A Pequena Caixa de Gwendy
Stephen King
Richard Chizmar
R$ 39,90 até R$ 49,90
ISBN-13: 9788556510754
ISBN-10: 8556510752
Ano: 2018 / Páginas: 168
Idioma: português
Editora: Suma

A pequena cidade de Castle Rock testemunhou alguns eventos estranhos ao longo dos anos, mas existe uma história que nunca foi contada... até agora.
Viaje de volta a Castle Rock nesta história eletrizante de Stephen King, o mestre do terror, e Richard Chizmar, autor premiado de A Long December. O universo misterioso e assustador dessa pacata cidadezinha do Maine já foi cenário de outros clássicos de King, como Cujo e A zona morta, e deu origem à série de TV da Hulu.
Há três caminhos para subir até Castle View a partir da cidade de Castle Rock: pela rodovia 117, pela Estrada Pleasant e pela Escada Suicida. Em todos os dias do verão de 1974, Gwendy Peterson, de doze anos, vai pela escada, que fica presa por parafusos de ferro fortes (ainda que enferrujados pelo tempo) e sobe em ziguezague pela encosta do penhasco.
Certo dia, um estranho a chama do alto: “Ei, garota. Vem aqui um pouco. A gente precisa conversar, você e eu”. Em um banco na sombra, perto do caminho de cascalho que leva da escada até o Parque Recreativo de Castle View, há um homem de calça jeans preta, casaco preto e uma camisa branca desabotoada no alto. Na cabeça tem um chapeuzinho preto arrumado.
Vai chegar um dia em que Gwendy terá pesadelos com isso.

A pequena caixa de Gwendy é uma novela escrita por Stephen King em parceria com Richard Chizmar. A história é sobre uma garota, Gwendy, que recebe de um estranho homem a missão de guardar uma pequena caixa de botões, onde dois deles, quando apertados, podem provocar melhorias na vida pessoal e financeira de quem a possuir. Parece incrível, não é? Só que essa caixa não é tão inofensiva assim. Os outros botões, no entanto, podem causar tragédias inimagináveis, e um deles pode realizar qualquer coisa que o "guardião" da caixa desejar. Como resistir à tentação?

Bom, a premissa é bem clichê. já inclusive tem filmes com o plot parecido. Até gostei do livro mas confesso que esperava algo mais sombrio. O que encontrei foi um livro mais adolescente com uma mensagenzinha legal no final. Nem parece coisa do King. 

Como é uma novela, e não um romance, é normal e até esperado que não haja tanto aprofundamento psicológico dos personagens, bem como o contexto e ambientação social. A história vai bem direto ao ponto, sem se estender muito com descrições detalhadas como é de costume do King fazer. Acompanhamos Gwendy desde os doze anos até mais ou menos vinte e quatro, quando ela se forma na faculdade. É tudo muito rápido, meio que não dá tempo a gente se apegar.

Gwendy passa de gorda a atleta sarada, de mediana a aluna exemplar, de vítima de bullying a garota mais cobiçada da escola em poucas páginas e talvez isso pudesse ter sido melhor explorado, se caso fosse um romance. O que tornou isso ruim pra mim é que não consegui aceitar que tudo isso que tava acontecendo com ela, que era apenas uma criança, e mesmo assim parecia que tava tudo bem, que era só mais um dia normal em Castle Rock. Não sei se me fiz entender, mas o que eu esperava eram surtos e mais surtos por parte de Gwendy, por guardar tão importante segredo e não poder compartilhar com ninguém, principalmente na fase da adolescência, que é onde fica mais difícil.

O livro é uma leitura rápida, você lê em apenas algumas horas e a edição da Suma está bem bonita. Tem capa dura e algumas ilustrações. A tradução fica por conta de Regiane Winarski, que é quem tem feito as traduções dos livros do King. Acho que da pra passar algumas horas entretido. Não é nem de longe a melhor história do King, mas também não é a pior. Se você já é fã do autor e lê tudo dele, já deve ter lido alguns não tão incríveis, então vai na fé, pega esse que vai dar tudo certo. 

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!