Resenha | Um acordo pecaminoso (Lisa Kleypas) Os Ravenels #03

Um Acordo Pecaminoso
Os Ravenels # 3
Lisa Kleypas
R$ 24,22 até R$ 29,90
ISBN-13: 9788580419023
ISBN-10: 8580419026
Ano: 2018 / Páginas: 304
Idioma: português 
Editora: Arqueiro

Lady Pandora Ravenel é muito diferente das debutantes de sua idade. Enquanto a maioria delas não perde uma festa da temporada londrina e sonha encontrar um marido, Pandora prefere ficar em casa idealizando jogos de tabuleiro e planejando se tornar uma mulher independente.
Mas certa noite, num baile deslumbrante, ela é flagrada numa situação muito comprometedora com um malicioso e lindo estranho.
Gabriel, o lorde St. Vincent, passou anos conseguindo evitar o casamento, até ser conquistado por uma garota rebelde que não quer nada com ele. Só que ele acha Pandora irresistível e fará o que for preciso para possuí-la.
Para alcançar seus objetivos, os dois fazem um acordo curioso, e entram em uma batalha de vontades divertida e sensual, como só Lisa Kleypas é capaz de criar.


Um acordo pecaminoso é o terceiro livro da série Os Ravenels onde cada membro da família é protagonista em um livro. Esse é o primeiro livro de época que leio da Lisa Kleypas, sim, mais uma vez eu comecei série fora de ordem, mas deu para ler tranquilamente. O problema é que fiquei curiosa para conhecer melhor o Devon, porque ele foi o único personagem que amei nessa leitura. Pesquisei e vi que ele é o protagonista do primeiro livro da série, Um sedutor sem coração, e já entrou na lista do quero ler. Outro personagem que gostei foi o Rhys, protagonista do segundo livro da série, Uma noiva para Winterborne. Os dois me conquistaram por todo o apoio e a maneira que tratam a Pandora.

Pandora é uma das protagonistas mais determinadas e diferentes entre os romances de época que li. Ela não sonha em se casar e ter filhos, muito pelo contrário, quando se vê em uma situação comprometedora onde o casamento é a única forma de manter a reputação da família, ela deixa bem claro que não quer casar, apesar de pensar na irmã gêmea, Cassandra, e como isso pode afetar a busca da irmã por um marido.

Gostei do início do livro e a forma que Pandora conhece Gabriel, foi divertida. Ele que não pensava em se casar, logo se rende aos encantos de Pandora (que só ele vê, porque ela é tudo que uma moça não deve ser, segundo os padrões da época) e tem a missão de convence-la a aceitar o seu pedido de casamento. Eles vão passar uma semana na casa dos pais do Gabriel (o Duque Sebastian e Evie, protagonistas do livro Pecados de inverno que faz parte de outra série da autora) para se conhecerem melhor e quem sabe assim Pandora aceite casar com Gabriel.

Quando ela conta para Gabriel porque não quer se casar, ele realmente percebe como Pandora é diferente de todas as mulheres que já conheceu e nessa altura ele não se imagina casando com mais ninguém. Tem que ser ela. 

"Uma mulher sempre nos surpreende com o que é capaz. Você pode passar a vida inteira tentando descobrir o que a empolga, o que a interessa, mas nunca vai conseguir saber tudo. Há sempre mais. Toda mulher é um mistério, não para se compreender, mas para se apreciar."

O ponto positivo da história é a luta de Pandora para ser uma mulher independente, por poder tomar suas próprias decisões. Ela quer trabalhar, ganhar seu próprio dinheiro e ajudar outras mulheres a ganharem o seu. Adorei que seu primo e seu cunhado dão todo o apoio pra ela. Gabriel também faz o possível para que o casamento aconteça e ela ainda possa administrar sua empresa de jogos de tabuleiro. O motivo de Pandora não querer se casar é que o marido passa a ter direito a tudo. Ele que manda, ela tem que jurar obedece-lo e tudo o que tem passa a ser dele. Eles conseguem um arranjo pra fazer as coisas darem certo, não é o ideal para Pandora, mas é o que a lei da época permite.

"Você está dizendo que eu devo confiar a um homem o poder de, por toda a vida, tomar decisões por mim, do modo como eu desejaria que fossem tomadas, quando eu preferiria tomá-las eu mesma? - Com um toque sincero de perplexidade, Pandora perguntou: - Por que eu faria isso?"

É bom termos personagens femininas decididas a irem atrás do que acreditam e lutarem por isso. Adorei ver que tem uma médica na série, a Dra Garret Gibson. No próximo livro, Um estranho irresistível, ela vai ser a protagonista e já estou curiosa pra ver mais dela em ação.

Voltando a falar do casal Pandora e Gabriel, devo dizer que não me conquistaram, eu não consegui sentir esse amor todo, não me convenceu. Gabriel é legal e bem atencioso. Ele percebe alguns problemas que Pandora tem e faz de tudo para ajuda-la e entende o que ela precisa e o que importa fazendo o possível para facilitar as coisas pra ela. Ela acaba caindo nos seus encantos, porque realmente ele é adorável, assim como sua família, mas pra mim faltou algo nesse romance.

Uma das melhores cenas envolve uma pergunta sobre o clima e as nuvens. Foi um dos diálogos mais emocionantes na história pra mim, talvez por eu adorar ver nuvens e já ter passado por conversas consideradas estranhas e outras cheias de significado por esse mesmo motivo. Me identifiquei.

"E, finalmente, Pandora compreendeu aonde poderia levar uma conversinha banal sobre o clima."

A escrita da Lisa flui, e foi mais que um típico romance de época clichê. Além de toda essa questão do direito da mulher, tem algo a mais na história que dá uma sacudida na calmaria do casamento de Pandora e Gabriel e já deixa um gancho para o próximo livro. Eu já quero mais dos Ravenels. 






0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!