Featured Slider

Resenha | Ascensão (Stephen King)

Ascensão
Stephen King
R$ 37,99
ISBN-13: 9788556510891
ISBN-10: 8556510892
Ano: 2019 / Páginas: 124
Idioma: português

Editora: Suma


Uma história fascinante, curiosa e comovente sobre um homem cujo misterioso problema ajuda os habitantes de Castle Rock a superar as diferenças e se tornar uma comunidade.

Scott Carey tem muito em que pensar ― o projeto enorme que pegou no trabalho; o casal lésbico que mora na casa ao lado e o cachorro delas, que insiste em fazer as necessidades no seu quintal; e a súbita e inexplicável perda de peso das últimas semanas.
Apesar de não querer ser estudado e examinado, Scott decide compartilhar a questão com seu velho amigo, o dr. Bob Ellis. Afinal, apesar dos números decrescentes na balança, sua aparência continua a mesma ― além disso, seu peso não varia quando está nu ou usando roupas pesadas, quando está de mãos vazias ou carrega algo no colo.
Não importa o que ele faça ou coma, Scott está cada vez mais leve ― embora não mais magro ―, e conforme seu peso se aproxima de zero, ele sabe que logo nada vai prendê-lo ao chão.
Scott não quer se preocupar com o que vem pela frente; ele ainda tem tempo para resolver todas as suas questões antes do Dia Zero, e por que não começar pelas mais difíceis? Por exemplo, encarando o preconceito que suas vizinhas têm sofrido da comunidade ― e dele ― e fazendo o possível para ajudar.
Amizades improváveis, a maratona anual da cidade e a misteriosa condição de Scott são a fórmula para grandes transformações. Incrivelmente alegre e profundamente triste, Ascensão é um verdadeiro antídoto para nossa cultura intolerante.


Ascensão é um dos últimos livros do King lançados aqui no Brasil pela Suma. A história é curtinha, está mais para uma novela, maior do que um conto e menor que um romance. Se trata da história de Scott Carey, que mora em Castle Rock, cidade fictícia que já foi palco de muitos outros livros de Stephen King. Scott é recém divorciado e mora apenas com seu gato Bill D. Cat, e trabalha de casa, na construção de sites. Ele começa a notar uma coisa estranha em si mesmo, ele está perdendo muito peso, cada dia o peso diminui mais, mas seu corpo não muda. Não importa se ele está nu ou vestido, portando algum objeto ou não, quando ele sobe na balança, seu peso não muda. Ele está encucado com isso mas sabe que se for a um hospital, vai ser um escândalo porque isso não pode ser uma coisa normal, além de que ele não quer ser estudado como se fosse uma aberração, então ele decide chamar seu amigo, o Dr. Bob Ellis, um médico aposentado. 

Dr. Ellis nunca viu nada parecido e não acha que há como reverter o caso. Embora ele aconselhe Scott a procurar um hospital, este se recusa terminantemente. Tudo o que Scott quer é resolver algumas pendências que tem na Terra, antes que o "dia zero" chegue. E ele vai começar por Missy Donaldson e Deirdre McComb. Elas são um casal, chegaram a pouco em Castle Rock e tem um restaurante mexicano vegetariano que parece estar indo de mal a pior. As pessoas da cidade são muito conservadoras e tem um preconceito enorme contra elas pelo fato de serem casadas. Scott acha que se nada acontecer, em breve o restaurante fechará as portas, e quer fazer algo para mudar esta situação, ele quer se aproximar delas.

"Deirdre diz que não é só porque somos lésbicas, mas porque somos lésbicas casadas."

Ai gente, esse livro foi tão importante pra mim. Sério. Fazia tempo que não lia uma história tão tocante e maravilhosa. King usou seu dom de escrever coisas sobrenaturais para nos contar uma história sobre a intolerância e preconceitos infundados, neste caso contra homossexuais, e acima de tudo, sobre o que estamos fazendo com as nossas vidas e como estamos gastando nosso tempo aqui na Terra.

Scott estar passando por este "problema" que para ele não era bem um problema, o fez rever várias atitudes e principalmente enxergar o que acontecia ao seu redor, coisa que antes ele não se importava. Ele podia não ser preconceituoso, não gostar de injustiça, etc, mas ele também não fazia nada para mudar, e após esta estranha questão que ele estava enfrentando, ele passou a prestar atenção em como os cidadão de Castle Rock agiam, e ele acreditava que sua última missão, antes da balança chegar em zero, era fazer algo por Missy e Deirdre.

"Estava com medo, seria um idiota se não estivesse. Mas também estava curioso. E alguma outra coisa. Feliz? Era isso? Sim. Devia ser loucura, mas era isso. Ele se sentia único. [...] Por que se sentir mal sobre algo impossível de mudar? Por que não apenas aceitar?"
Eu amei a história, ela é triste e inspiradora ao mesmo tempo. Todos os personagens são cativantes e tem algo a ensinar e aprender. Mesmo Deirdre sendo uma pessoa bem difícil no começo, a gente vê que era só uma forma de se defender, de não se machucar, e Missy, mesmo passando por tudo aquilo, nunca deixou de ser gentil com todos. A esposa do Dr. Ellis foi uma grata surpresa também. Enfim, gente a história é inspiradora, não consigo achar outra palavra agora.

Ah, só uma coisa, não leia achando que o autor vai explicar a condição de Scott, ele não fala. A minha dica é, releve os por quês e foque no aprendizado, no que essa história mesmo curtinha tem a te ensinar. Se deixe envolver pela Ascensão de Scott e reflita sobre suas atitudes e sobre como você está gastando seu tempo aqui neste planeta. Recomendo principalmente para quem tem curiosidade em ler algo do King mas não sabia por onde começar ou para quem gostaria de ler mas tem medo do lado terror dele. Aqui não há nada de terror, mesmo sendo uma história com uma pegada sobrenatural. Amei!!! 

"Em algum lugar lá em cima, Scott Carey continuou a ascender, a subir para além do aperto mortal da terra, com o rosto virado para as estrelas."

16 de janeiro: Feliz dia do Intrínsecos!

Feliz dia do intrínsecos!! 🎉💓

Oi gentes! Ontem dia 16 de janeiro foi o dia do Intrínsecos. Infelizmente eu estava no hospital o dia inteiro e não consegui postar, mas já tô chegando aqui com duas novidades fresquinhas pra vocês! Vamos lá?! 



Para comemorar esse dia tão especial para nós, temos algumas novidades para contar:

Vai sair livro novo da C.J. Tudor!!! 📚

C. J. Tudor, autora de O Homem de Giz e O que aconteceu com Annie está voltando com o livro As outras pessoas. Na trama, acompanhamos a intensa e dolorosa saga de Gabe em busca de sua filha Izzy, uma garotinha de cinco anos que é misteriosamente levada por um carro velho e enferrujado. Cruzando dia e noite a estrada em que a viu pela última vez, Gabe segue com esperança de reencontrar a filha perdida. Contudo, ele não é o único a percorrer aquele caminho todos os dias. Fran e sua filha Alice também estão lá. Mas não estão procurando ninguém. Estão fugindo. Porque Fran sabe o que aconteceu com a filha de Gabe. E também sabe o que pode acontecer se ela e Alice forem pegas.
Sinistro, né? 
O livro será lançado no dia 16 de março!


 Leia um trecho de Stranger Things: Cidades nas trevas! 🌃


Outro sucesso que chegará em breve às livrarias é Stranger Things: Cidade nas trevas, o segundo livro oficial da série. A história explora o passado de um dos nossos personagens favoritos, o policial Jim Hopper, que conta para Eleven um dos casos mais misteriosos e perturbadores de sua carreira.

Quer saber mais sobre o livro? 

Leia um trecho exclusivo aqui.


E se você ainda não faz parte do Clube Intrínsecos...

Entre para o clube do livro da Intrínseca, receba uma caixa exclusiva com um livro inédito todo mês na sua casa e acompanhe de perto os bastidores da editora.

Escolha seu plano e receba uma caixa na sua casa todo mês

PADRÃO

54,90/Mês
+ frete fixo de R$10,00 por mês para todo o Brasil
 Sem fidelidade: você pode cancelar sem multa

ANUAL

49,90/Mês
+ frete fixo de R$10,00 por mês para todo o Brasil
 Com fidelidade: 12 meses


Assine agora e garanta a caixa de FEVEREIRO!

O que vem na caixa?

Assine agora mesmo! < 3

Resenha | Enfim, capivaras (Luisa Geisler)


Enfim, capivaras
Luisa Geisler
R$ 30,95
ISBN-13: 9788555340857
ISBN-10: 8555340853
Ano: 2019 / Páginas: 173
Idioma: português
Editora: Seguinte

Em seu primeiro livro para o público jovem adulto, a premiada autora Luisa Geisler narra uma aventura inusitada de cinco jovens em busca de uma capivara perdida.
A cidade no interior de Minas Gerais para onde Vanessa se mudou é o tipo de lugar onde anunciam os horários do cinema e os obituários com o mesmo carro de som. Nada de muito interessante acontece por lá, a não ser para Binho, que, segundo ele mesmo, tem várias namoradas e conhece um monte de cantores sertanejos famosos.
A verdade é que Binho é um mentiroso contumaz e agora passou dos limites: inventou que tem uma capivara de estimação. Cansados das histórias cada vez mais mirabolantes do garoto, Vanessa se junta aos amigos ― Léo, Nick e Zé Luís ― para desmascará-lo. E eles estão decididos a ir até as últimas consequências.
Narrado durante as doze horas de uma noite regada a álcool, salgadinhos, segredos e romances mal resolvidos, Enfim, capivaras explora, através de diferentes pontos de vista, os relacionamentos entre um grupo de adolescentes em busca de uma capivara ― ou muito mais do que isso.

A narrativa de Enfim, capivaras é bem interessante. Os capítulos são númerados em ordem decrescente e autora aproveita os números para montar uma lista. O tema das listas são diversificados e já nos faz conhecer um pouco do personagem e o que ele pensa.
O livro conta a história de 5 jovens (que não se consideram tão amigos assim, mas eles só tem uns aos outros) em busca de uma capivara. Os capítulos vão se alternando entre o ponto de vista de Vanessa, Zé Luis, Léo e Nick.

"Porque se você mora na Chapada do Pytuna, precisa tomar a iniciativa e criar a aventura."

Não temos capítulo do Dênis, porque ele é o motivo de tudo isso. Afinal, ele ganhou mesmo uma capivara? É verdade que ela fugiu? Dênis é um mentiroso compulsivo, ele conta as histórias mais mirabolantes e estão todos cansados disso. Zé Luis, principalmente, porque ele acredita que se provarem que Dênis está mentindo a respeito da capivara, vai conseguir fazer com que a garota que ele gosta, acredite que o que o Dênis espalhou sobre ele é mentira.

O livro nos mostra as 12 horas que o grupo fica junto em busca da capivara. Antes de pegar a estrada, eles passam no mercado para se abastacerem de bebidas e besteiras para comer. Ah, vale ressaltar que eles tem apenas 16 anos, mas Leo é membro de uma família importante da cidade e por isso é cheio de privilégios, como dirigir sem a preocupação de ser punido. Ele também é o único que tem celular, e no ano que a história se passa, o celular mais moderno é o V3. Uma boa aventura precisa de um contratempo, não é mesmo? E nesse caso o carro quebra no meio de uma estrada onde não passa ninguém, e dessa forma eles são obrigados a passarem a noite juntos, e assim eles vão andando pela mata.

"Zé Luis tinha uma dívida, a mãe sempre dizia."

Zé Luis é filho da empregada da casa da família do Leo. Eles cresceram juntos, teve seus estudos pagos e Zé Luis sempre ficou com o que não servia mais pro Leo. 

Vanessa, ou Nessinha como é chamada por todos, está apenas há 3 meses morando na cidade. Ela morava com seus pais em Porto Alegre, mas após o divórcio e seu pai não querer a sua guarda, ela se muda com a mãe para a casa da vó. Ela ainda não se sente em casa, nunca se sentiu na verdade, mas um dos meninos faz com que ela se sinta próximo disso.

"E, para poder ser Nick, Nick precisa esconder Nick. Ela acha quase irônico que seu apelido, vindo de “Nicole”, seja a mesma palavra para definir nomes de usuário. “Nicknames”. Nick precisa ser um avatar de si mesma, com nome falso e tudo. E precisa esconder isso — todo esse “isso”."

Acho que de todos os personagens apresentados, Nick é a que poderia ter sido melhor explorada, por ainda não saber quem ela é, por se vestir diferente, gostar de hentai, ter dúvidas da sua orientação sexual, sofrer abuso verbal do pai e ser a única assim em uma cidadezinha do interior.

A ideia geral do livro é boa, é um livro curto e é possível ler em apenas um dia, talvez por isso mesmo faltou profundidade em todos os aspectos. Através das listas é que temos um vislumbre maior do que cada um pensa e sente, mas não passa disso. Terminei a leitura pensando o que a autora queria passar com essa história. Vi vários adolescentes fazendo coisas idiotas, até aí nenhuma novidade neh...rs. Só que eu esperava que pelo menos algo de mais profundo surgisse, que talvez, depois de passar por essa experiência, eles realmente virassem amigos, se sentissem abertos a falar sobre seus medos, seus sonhos, se sentissem acolhidos. Que fosse apresentado soluções para alguns dos poucos conflitos gerados, mas nada disso acontece. O que ainda tem um início é o romance que começa com pequenos gestos. O livro acabou e eu fiquei com aquela sensação de pra que eu li tudo isso mesmo? Vi algumas resenhas positivas sobre Enfim, capivaras, mas para mim não funcionou.

por Renata Kerolin Lima