Featured Slider

Por que você deveria ler "A vida mentirosa dos adultos" novo livro de Elena Ferrante



E aí quarenteners, tudo bem? Por aqui tudo em ordem... Mas vamos falar de coisa boa! Não é tekpix mas é o melhor clube de assinaturas da internet, que em junho traz o novo livro de Elena Ferrante. A obra inédita chega no Brasil com exclusividade ao intrínsecos.
Em seu novo livro, A vida mentirosa dos adultos, Elena Ferrante explora a transição crucial entre a juventude e a vida adulta.
A obra será adaptada para uma série da Netflix pela mesma produtora de A amiga genial, da HBO, baseado na Tetralogia Napolitana da autora.
Faça parte do intrínsecos e receba o livro inédito em casa.

Assine o Clube Intrínsecos através do link abaixo até 31/05 e garanta A vida mentirosa dos adultos


/



NA JANELA: FESTIVAL DE NÃO FICÇÃO da Companhia das Letras



Vamos falar sobre não ficção? 🌆
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Durante a segunda edição do Na Janela, doze escritores da casa participam de uma série de bate-papos on-line sobre literatura de não ficção em nosso canal no YouTube (youtube.com/CompanhiadasLetras). Além disso, o festival terá uma pré-estreia especial na quinta-feira, 21, quando lançaremos a gravação do evento realizado com Yuval Noah Harari em novembro do ano passado.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Confira abaixo a programação completa do #NaJanelaFestival:
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
📅 Quinta-feira, 21 de maio
19h | Pré-estreia: Uma entrevista com Yuval Noah Harari. Mediação de André Petry.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
📅 Sexta-feira, 22 de maio
17h | A república em frangalhos
Lilia Moritz Schwarcz e Heloisa M. Starling. Mediação de Patrícia Campos Mello.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
📅 Sábado, 23 de maio
15h | Cultura popular e repressão
Laura Mattos e Adriana Negreiros. Mediação de Thiago Amparo.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
17h | Feminismos
Heloisa Buarque de Hollanda e Djamila Ribeiro. Mediação de Giulliana Bianconi.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
19h | Histórias negras
Flávio dos Santos Gomes e Wlamyra R. de Albuquerque. Mediação de João José Reis.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
📅 Domingo, 24 de maio
15h | Biografias brasileiras
Mário Magalhães e Lira Neto. Mediação de Karla Monteiro.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
17h | Sonhos para adiar o fim do mundo
Ailton Krenak e Sidarta Ribeiro. Mediação de Carol Pires.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A participação é livre e os leitores poderão contribuir com perguntas no evento do Facebook, no Twitter usando a #NaJanelaFestival ou no próprio YouTube, durante a conversa. Para se manter atualizado sobre lives e novos conteúdos, inscreva-se no canal e ative as notificações apertando no sininho.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
E não deixe de conferir também a página do festival na Amazon Brasil, com descontos em mais de 100 títulos de não ficção: https://amzn.to/2Y1a4yp

Resenha | Daqui pra baixo (Jason Reynolds)

Daqui Pra Baixo
Jason Reynolds
R$ 35,93
ISBN-13: 9788551004982
ISBN-10: 8551004980
Ano: 2019 / Páginas: 320
Idioma: português
Editora: Intrínseca
Will perdeu o irmão para a violência. Agora, precisa enfrentar sua realidade e descobrir se a vingança é capaz de aplacar sua dor.
Aos 15 anos, Will conhece intimamente a violência. Ela está à espreita no dia a dia de seu bairro, nos avisos para que não volte tarde para casa, nos sussurros dos vizinhos sobre mais uma pessoa que foi morta. Dessa vez, os sussurros são sobre seu irmão mais velho. Shawn foi assassinado na rua onde a família mora.
Contado do ponto de vista de Will, Daqui pra Baixo é uma narrativa ágil que se passa em pouco mais de um minuto — o tempo que o elevador do prédio leva para chegar ao térreo. Esse é o tempo que Will tem para descobrir se vai seguir as regras de sua comunidade ou se é possível não perpetuar o ciclo de violência.
A regra número 1 é não chorar. A número 2, nunca dedurar alguém. A terceira, a crucial: se fazem algo com você ou com os seus, é preciso se vingar. A curta trajetória do elevador é ritmada pelas paradas em cada andar e por aqueles que aos poucos ocupam a cabine e os pensamentos de Will. Cada rosto tem uma história de vida e de morte. Will, em questão de segundos, vai definir a dele.
Originalmente escrito em prosa, depois em verso, Daqui Pra Baixo faz a emoção — a confusão, a revolta, o medo — de um garoto armado que sai para vingar o irmão crescer também no peito de quem lê. Um livro impossível de ignorar.

Daqui pra baixo, do autor Jason Reynolds, foi lançado primeiramente na edição exclusiva para os assinantes do clube Intrínsecos e alguns meses depois foi lançada a edição para o público em geral. Na foto abaixo você pode ver a edição do Intrínsecos e mais parte do conteúdo da caixa. 

Caso você ainda não saiba o que é o Clube Intrínsecos, clique AQUI para conhecer um pouco desse projeto maravilhoso!

E caso você já saiba o que é e decidiu assinar, pode acessar o site do Intrínsecos por AQUI e torne-se membro através do nosso link aqui do blog. :)

Foto: @livrosdalucy_
Tenho visto bons comentários sobre o Jason, desde o lançamento de Fantasma, que já está na minha lista de leitura e confesso que ainda não sei porque não li, mas quando vi a edição de Daqui pra baixo e a maneira que a história é narrada, foi impossível adiar essa leitura, ainda mais porque eu estava em busca de um livro pequeno, que poderia ser lido facilmente em um dia. Recomendo que vocês façam isso, leiam ele em um único dia. Garanto que quando começarem, não vão conseguir largar até terminar.

Por mais que estivesse com boa expectativa para essa leitura, não imaginei que o impacto dessa história seria tão grande em mim, que ela se tornaria uma das melhores leituras que já tive e que faria parte daquela listinha dos livros que sempre recomendo.

A história é narrada em versos, o que eu achei incrível. Logo nas primeiras linhas já me vi envolvida, curiosa e encantada com a narrativa. É o primeiro livro que leio dessa forma. Mas essa, infelizmente, não é uma história bonita. É uma história cruel, uma história real, uma história que vemos com frequência nos noticiários, uma história de vidas perdidas por causa da violência.

Will tem 15 anos e seu irmão mais velho, Shawn, foi assassinado. A capa do livro tem tudo a ver com a história, pois acompanhamos a descida do Will no elevador. Ele precisa se vingar. Foi isso que aprendeu. Essa é uma das regras.

"Se alguém que você ama
aparece morto,
encontre a pessoa
que matou
e mate também."

No decorrer do livro vemos como era a relação de Will com seu irmão, com sua família e como as coisas funcionam no seu mundo. Sabemos um pouco mais sobre seu passado, sobre as pessoas que fizeram parte de sua vida.

"mas se o sanguedentro de você corre dentrode outra pessoa,você nunca vai quererver esse sangue correrfora deles."

A cada andar, vamos mergulhando mais na mente do Will, sentindo sua dor e seu desespero. A cada andar, novos personagens aparecem e Will vai refletindo sobre como funciona a vida no seu mundo. Como todos são conduzidos pelas regras.

"As Regras nunca devem ser quebradas. As Regras são feitas pra gente quebrada seguir."

A cada andar eu me via mais envolvida na vida de Will, na vida de todos que estão envolvidos nessa história, todas as ligações. E na nossa vida, quantos seguem essas regras? Quantos não conhecem outra vida além dessa? Como acabar com esse ciclo de violência?

A cada nova informação, a cada descoberta, eu ficava mais curiosa para saber qual seria o destino do Will. Como disse anteriormente, desde o início me envolvi com o personagem, então senti tudo de uma forma bem intensa. A maneira que os personagens foram sendo introduzidos na história é muito legal. O final foi incrível. Na verdade o livro todo foi. Minha vontade era de aplaudir o autor, porque ele escreveu uma belíssima obra. Queria que todos lessem esse livro e se envolvessem tanto quanto eu.

Leia! Sinta o impacto!