Crítica | Missão Impossível: Efeito Fallout (2018)


Título original  Mission: Impossible - Fallout
Distribuidor PARAMOUNT PICTURES
Data de lançamento 26 de julho de 2018 (2h 28min)
Direção: Christopher McQuarrie
Elenco: Tom Cruise, Henry Cavill, Rebecca Ferguson mais
Gêneros Ação, Espionagem
Nacionalidade EUA

Obrigado a unir forças com o agente especial da CIA August Walker (Henry Cavill) para mais uma missão impossível, Ethan Hunt (Tom Cruise) se vê novamente cara a cara com Solomon Lane (Sean Harris) e preso numa teia que envolve velhos conhecidos movidos por interesses misteriosos e contatos de moral duvidosa. Atormentado por decisões do passado que retornam para assombrá-lo, Hunt precisa se resolver com seus sentimentos e impedir que uma catastrófica explosão ocorra, no que conta com a ajuda dos amigos de IMF.


Mais uma vez a franquia do Tom Cruise consegue surpreender e estar à altura de toda uma trama de sucesso.

Mais uma vez acompanhamos o agente secreto Ethan Hunt (Tom Cruise na mais perfeita forma) e sua equipe da IMF (Alec Baldwin, Simon Pegg, Ving Rhames) e dessa vez precisam correr conta o tempo para deter a detonação de uma bomba nuclear após um deslize em sua última missão. Mas como sempre, nada para Ethan é fácil, alguns fantasmas do passado voltam para assombrar. E para ajudar com esse caso a equipe da IMF vai contar com a ajuda de Sloane (Angela Basset) e o agente Walker (Henry Cavil).


Com cenas de tirar o folego e uma trama cheia de reviravoltas, o diretor Christopher McQuarrie conduz muito bem o filme, amarrando todas as pontas soltas e colocando sequências de tirar o folego (as cenas na Itália e o embate final são de cair o queixo).


Mas quem ganhou minha total atenção foi Henry Cavill, que para quem não sabe é o atual Superman. E foi por causa desse filme que rolaram umas polêmicas no filme da Liga da Justiça, que devido a alguns problemas algumas cenas precisaram ser regravadas, mas Cavill já estava nas filmagens de Missão Impossível, e a produtora não autorizou a retirada do famigerado bigode. Então em algumas cenas de LJ o bigode do Superman precisou ser retirado com computação gráfica, e acabou ficando bem bizarro. Mas a dedicação de Cavill a Missão Impossível valeu a pena. Henry deu vida um personagem carismático apesar de tudo.


Mas Tom Cruise não fica nada atras. Tom ainda está em forma e como sempre dando um show, o que prova que o homem merece toda a fama e sucesso que tem.

Veredito final: O bigode do Hanry Cavil valeu a pena.


Missão impossível: Efeito Fallout estreia nos cinemas 26 de julho de 2018.

Por Eddy Silva
1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Oi Dana, tudo bem com você?
    Ainda não assisti a esse filme, mas sinceramente, depois de ler Henry Cavill na sua crítica, não precisei ler mais nada para saber que irei conferir o filme rs.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!