Resenha | Contos de Terror, de Mistério e de Morte (Edgar Allan Poe) Coleção Clássicos de ouro


Contos de Terror, de Mistério e de Morte 
Clássicos de Ouro
Edgar Allan Poe
Tradução: Oscar Mendes
R$ 19,99 até R$ 39,90
ISBN-13: 9788520938935
ISBN-10: 8520938930
Ano: 2017 / Páginas: 240
Idioma: português 

Editora: Nova FronteiraCom esta coletânea, o leitor entrará em contato com alguns das melhores histórias da obra de Edgar Allan Poe, considerado o criador do conto policial. Nelas, associam-se medos reais a casos extraordinários, e o resultado é espetacular e surpreendente. Neste Contos de terror, de mistério e de morte estão reunidas algumas de suas melhores narrativas e, dialogando com elas, ao final do volume, o aclamado poema “O corvo”, que se tornou emblemático da produção literária do autor norte-americano. Como resultado temos uma coletânea em que se associam medos reais a casos extraordinários, o espetacular e o surpreendente em concentradas doses do mais puro terror.



Falar de Edgar Allan Poe não é muito difícil. Não é à toa que ele é um clássico. Edgar Allan Poe é considerado o pai do gênero policial. Um dos primeiros contistas americanos, foi o primeiro a tentar ganhar a vida como autor, o que resultou numa vida financeira pra lá de difícil. Poe vivia na pindaíba e se embriagando por aí. Até que morreu, em 1849, segundo o que li, uma das possíveis causas de sua morte foi a bebida. 

Ele se dedicou ao gênero terror, apostando no sobrenatural, macabro e gótico. O conto que me fez virar fã de Poe foi O coração denunciador, que outrora conheci como O coração delator, e na faculdade li em seu original, The tell tale heart.

Antes de pegar esta edição eu já tinha lido a maioria destes contos antes, boa parte na faculdade de Letras. Não vou me estender a todos os contos pois a resenha ficaria imensa e vocês iriam querer me bater. Vou focar apenas em três histórias que eu altamente recomendo para qualquer pessoa que nunca leu nada de Edgar Allan Poe. Depois destas, se você for um apreciador de boas histórias, obviamente, tenho certeza de que lerá tudo que encontrar de Poe por aí. 

Preciso começar dizendo que só um gênio poderia escrever um texto que iria chocar a muitos e causar catarse em tantos outros, e depois escreveria um ensaio autopsiando este texto minuciosamente, e ensinando como escrever um texto para emocionar o leitor. Foi o que ele fez em A filosofia da composição. Ele simplesmente descreveu seu método de escrita em O CORVO, onde afirma que o escritor deve calcular todas as ideias e sentimentos. Este texto é maravilhoso. Se você ficou curioso, dá um google aí que tem disponível online. 

Mas voltemos ao livro. O primeiro conto é um dos melhores e mais maravilhosos que já li. Um pouco perturbador, é claro, mas falando em Edgar Allan Poe isso não é novidade. Fantástico, no sentido literal da palavra. Berenice. O conto fala sobre um homem, Egeu, que está prestes a se casar com sua prima Berenice. Egeu tem tipo uns períodos onde ele meio que alucina e fica "fora do ar", o que ele chama de períodos de "intensidade da atenção", que é tipo um interesse obsessivo sobre qualquer coisa, um objeto, uma mancha, uma chama, qualquer coisa mesmo. Apenas uma sombra era capaz de prender o interesse de Egeu por horas a fio, deixando-o paralisado. Berenice fica doente e a única parte do seu corpo que ainda é saudável são seus dentes. E então, Egeu desenvolve a monomania pelos dentes da moça. A moça morre e é enterrada. Então, um criado acorda Egeu e avisa que o túmulo de sua noiva foi profanado. O final vocês devem imaginar, mas eu não vou contar. Gente, esse conto é bizarro. 

Outro conto absurdamente perturbador é um dos mais conhecidos do autor, O gato preto, que fala sobre um homem que tinha um gato chamado plutão e uma noite, embriagado, com uma raiva inexplicável do gato, arranca-lhe um olho. Após o animal se curar, em outro acesso de raiva o homem enforca o gato e pendura numa árvore. Uns dias depois ele está numa taverna e dá de cara com um gato bem parecido com o seu, a culpa o consome e ele decide levar este gato pra casa. Logo sua esposa se encanta pelo gato e ao mesmo tempo, a antipatia do homem cresce. Ele tenta matar o gato novamente mas acaba acertando sua mulher com um machado no meio da cabeça. O final não vou revelar, mesmo sendo um conto super antigo, sempre penso que alguém ainda não leu. O final é sensacional. 

O último conto que vou falar um pouco é sobre o meu favorito, O coração denunciador. Fala sobre um homem que trabalhava para um velho que tinha um olho azul que era envolto por uma membrana que deixava a cor diferente do outro olho. Segundo o narrador, (este não tem nome, como quase nenhum dos narradores dos contos de Poe) o velho nunca lhe fizera mal nenhum. Entretanto, o narrador, que não é nem um pouco confiável (nenhuma novidade!) nutre uma verdadeira abominação pelo olho do velho. PELO OLHO. Em uma noite ele adentra o quarto do velho e o mata. Ele esquarteja o cadáver do velho e esconde sob o assoalho. No outro dia, o sumiço do velho é notado e a polícia segue até a casa para investigar. Tudo parece perfeito. Seria um crime perfeito... Se não fosse por um detalhe. Você já deve aí estar imaginando o que, e mais uma vez, não vou revelar o final! 

É comum os narradores de Poe não serem nomeados, serem meio loucos, paranoicos, e desconfiados. É uma característica muito comum, e neste conto em especial, O coração denunciador, é interessante a  maneira como o narrador conversa conosco e como conta sua história como se ele fosse inocente, fazendo o possível para nos convencer da crueldade do olho do velho. Sensacional. 

Gente, os contos são maravilhosos e esta versão da Nova Fronteira, está maravilhosa. Alguns contos eu li no original e posso dizer que a tradução não deixa em nada a desejar, e digo mais, esta tradução comparada a outras que já li, está bem mais refinada, usa palavras mais rebuscadas, o que combinou com o luxo da edição física, que é linda.

Enfim, o livro é perfeito! Amei do começo ao fim! Sei que tem gente que não costuma ler notas preliminares mas é sério, leiam essa do tradutor Oscar Mendes, pois ele conta um pouco sobre Poe e sua obra, bem como cita inúmeros autores importantíssimos, que se você for como eu, vai catar várias indicações de leitura.

Recomendo que leiam também os contos: A queda do solar de Usher, A máscara da Morte Rubra (massa!!!), O poço e o pêndulo (incrível!), O retrato oval e O barril de Amontillado. São contos que eu gosto muito e recomendo fortemente a leitura. 

Esta da Nova Fronteira tá linda demais, capa dura, tem a imagem de um corvo e a lombada é dourada. A diagramação é simples, porém bem cuidada e a revisão, impecável. Páginas amarelas que proporcionam um conforto maior à leitura, apesar da fonte ser bem pequena. Pode ter certeza de que se houvesse uma versão suavizada dos contos de Poe eu leria para os meus filhos toda noite - se os tivesse- haha. Recomendo demais!!! Leiam!!! 
1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Oi Dana, tudo bem com você?
    Não conheço essa edição, mas gosto bastante das obras de Poe.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!