Resenha | A essência do mal (Luca D'Andrea)

A essência do mal
Luca D’Andrea
R$ 26,30 até R$ 49,90
ISBN-13: 9788551002612
ISBN-10: 8551002619
Ano: 2018 / Páginas: 368
Idioma: português 
Editora: Intrínseca

Um lugar amaldiçoado.
Um caso abandonado.
Um assassino que não deixa rastros.
Jeremiah Salinger ganha a vida fazendo documentários, até que se muda com a família para uma região remota da Itália. Lá, após um acidente com o helicóptero em que está fazendo uma filmagem, passa a ser atormentado pela ideia de que existe nas montanhas ao redor uma força que não consegue entender e a que chama de A Besta.
Anos depois, em um passeio com a filha no Bletterbach — um desfiladeiro com toneladas de fósseis —, Jeremiah escuta uma conversa que lhe dá um novo foco na vida. Em 1985, três jovens foram mortos ali, e seus corpos, desmembrados por um assassino que nunca foi descoberto. Para solucionar o mistério, que marcou uma cidade inteira por décadas, Jeremiah mergulha em um quebra-cabeça macabro e fascinante.


É um título instigante? É. 
Se a sinopse atrai? Realmente atrai...
Agora se a história é boa? Aí precisamos conversar!!

Salinger é um documentarista que ao lado de Mike, produziu quatro temporadas de Road Crew, porém ao decidir se mudar com a esposa e filha para uma região pequena da Itália, ele começa a descobrir todos os segredos que há por trás daquela pequena comunidade, já que ele decide fazer um documentário sobre os socorristas da região. Porém, após sofrer um acidente ele fica paranoico por ter visto um animal, chamando-o de “a besta”, e esse é o inicio de uma inigualável busca por respostas, e é nisso que iremos focar... A frenética e chata investigação de Salinger por isso!

Sabe aquelas velhas chatas da rua que vivem fofocando sobre a vida alheia? Achei que o protagonista poderia ser uma delas hahaha... A leitura inicia bem arrastada porque lemos o passado dele, no decorrer acabamos conhecendo a família dele, Annelise e Clara (amei a filha de Salinger, muito inteligente), e Werner seu sogro, que é um dos personagens mais instigantes da história.

O relacionamento de Salinger com sua esposa, para mim, deixou muito a desejar, porém o dele com a filha era bem fofinho, e uma parceria muito forte com seu sogro, que se intensifica após começar a obsessão em descobrir os segredos do ano de 1985. Durante todo o livro, a busca por respostas fica bem parada, não tem nenhuma novidade que nós já não tenhamos lido, apenas no final, que aí sim, ficamos de boca aberta.

Por ter um título chamativo, e uma edição bonita em capa dura, a história já foi comparada a obras de Stephen King, o que achei beeeeeem desnecessário, ainda não está nesse nível. Talvez por eu ser fã do estilo, não me senti tão surpreendida neste livro, já imaginava 80% dos acontecimentos, além de que o final passou bem rápido, não houve ‘O’ acontecimento, mas uma reviravolta agradável a leitura.

Por 363 páginas em que a história se desenvolve, Salinger é um protagonista ao extremo ou você gosta demais ou odeia demais... Os personagens secundários são sim bem mais interessantes com suas histórias, do que ele... Ele é só o ponto de vista, apenas no fim ele vai ter um papel indiscutível.

Ame Clara, chore com Annelise, conte histórias como Werner, seja doidão como o Mike... Mas uma parte de você vai odiar Salinger, acho que muito da história poderia ter sido mais rápida, e diversas cenas mais bem desenvolvidas... Uma história boa, porém com muitas páginas, o que deixa ela um pouco arrastada... Se você tiver lido, comenta aqui o que você achou. 

Por Carol Sousa
1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Oi Dana, tudo bem?
    Eu vi a edição e ela está linda. Honestamente, se fosse apenas pelo visual do livro, eu teria comprado, mas já havia lido algumas críticas não muito positivas sobre ele e a sua reforçou a ideia.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!