Crítica: 10 segundos para vencer (2018)


Crítica- 10 segundos para vencer
País: Brasil
Estreia: 27 de setembro de 2018-09-19
Direção: José Alvarenga Jr.
Elenco: Daniel de Oliveira, Osmar Prado, Ricardo Gelli, Sandra Corveloni, Keli Freitas, entre outros.

Conhecido como "Galinho de Ouro", por ter sido eleito o maior peso galo da história do boxe, Eder Jofre é considerado um dos maiores boxeadores de todos os tempos. Nem a infância difícil no bairro do Peruche, em São Paulo, conseguiu deter Eder, que se consagrou campeão mundial em 1961, nos Estados Unidos.

Desde sempre o ringue atrai diversas pessoas para o cinema por causa de histórias se superação, todos são apaixonados por aquelas tramas que começam com muitas dificuldades e sofrimento e termina com a realização de um sonho, com o sucesso e salvação!

Então, eis que surge no cinema nacional a história de um grande herói! Um dos maiores pugilistas do Brasil até que enfim ganhou sua cinebiografia, que é o filme “10 Segundos Para Vencer”, com direção de José Alvarenga Jr.



O filme conta a história do lutador Eder Jofre, que ficou conhecido como “Galinho de Ouro”, pois foi eleito o maior peso galo do boxe mundial, conta desde a sua infância sofrida até sua consagração nos Estados Unidos, depois suas escolhas de vida e seu afastamento até seu retorno ao ringue.

É um filme que gira todo em torno da superação dos limites, físico e psicológico. O ponto alto do filme é quando ele sacrifica tudo, sua vaidade, prazeres da vida e seus próprios sonhos para pôr comida dentro de casa, pagar o tratamento do irmão e agradar o pai/treinador. E essa relação
de pai e filho é que move o roteiro de “10 Segundos para Vencer’” e faz com que ele seja um bom filme.


Como pontos fracos nesta trama fica a cargo das maquiagens, que a começar pela da esposa de Eder Jofre com os cílios saindo em determinada cena e da maquiagem do próprio protagonista não passar a
credibilidade devida a marcas de golpes que alguém que luta possui deixou bastante a desejar, outro ponto é a trilha sonora que é quase inexistente na trama e alguns excessos nos diálogos tornam a narrativa um pouco cansativa.


A roteiro nos traz algumas falas que trazem grandes reflexões como:  “Lutadores lutam, campeões vencem”, “Qual o propósito de ser campeão e não comer pudim?”,  “No meio de gente burra, a liberdade não dura muito”,  “Ganhe a luta amanhã que o cardápio mudará”, “Treino difícil, luta
fácil”, “Boxe também é estudo”, entre outros.

O elenco está maravilhoso e foi escolhido a dedo! Todos mostram grande potencial em suas cenas, mas, o destaque é da dupla Daniel de Oliveira, que trouxe ao cinema mais uma perfeita atuação e Osmar Prado, onde dá vida a um homem rígido, com métodos ortodoxos para atingir os seus objetivos, mas, que no fundo tinha um bom coração.


Osmar Prado é sem dúvida um ator sensacional! 10 Segundos Para Vencer é uma linda homenagem a Eder Jofre, um filme para agradar toda a família, e irá com certeza cativar o público!


Crítica por Tycianna Araújo.
1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Oi Tycianna, oi Dana, tudo bem? Eu gostei muito desse filme. Os atores fizeram um trabalho excepcional e deram um show de atuações.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!