Resenha | A missão traiçoeira (Erin Beaty) O beijo traiçoeiro Livro #02

A Missão Traiçoeira
O Beijo Traiçoeiro # 2
Erin Beaty
R$ 37,99
ISBN-13: 9788555340710
ISBN-10: 8555340713
Ano: 2018 / Páginas: 456
Idioma: português 
Editora: Seguinte
Sage Fowler abandona seu posto como aprendiz de casamenteira e se envolve em uma nova missão secreta ao lado do capitão Alex Quinn no segundo volume da série O Beijo Traiçoeiro. 
Depois de se provar uma espiã habilidosa e uma casamenteira estrategista, Sage Fowler passou a ocupar uma posição confortável na alta sociedade, dando aulas para as princesas do reino de Demora. Quando surge a oportunidade de participar de uma nova missão secreta, porém, Sage quer aproveitar a chance para servir ao seu reino mais uma vez — e ficar mais próxima de seu noivo, o capitão Alexander Quinn. Alex não fica nada feliz com a ideia, já que está determinado a proteger a namorada de qualquer perigo. 
A insistência de Sage em fazer parte da missão faz com que eles se desentendam cada vez mais e, quando um conflito com um reino vizinho resulta em uma tragédia, os dois acabam separados. Para completar a missão de Alex — e a sua própria —, Sage precisará contar com a ajuda de aliados inesperados para sobreviver em um território inimigo e salvar o reino de Demora mais uma vez.


A missão traiçoeira é a continuação de O beijo traiçoeiro e assim como o primeiro livro foi uma leitura de altos e baixos.

A editora Seguinte fez uma bela capa, o clima do livro ficou bem representado na imagem. Assim como no livro anterior, temos os conflitos entre os reinos, então tem várias cenas de lutas entre os exércitos e infelizmente temos também um grande conflito entre Alex e Sage. O título do livro faz jus a história, porque durante a primeira metade do livro essa missão foi bem traiçoeira mesmo.

Em decorrência das coisas que aconteceram anteriormente Alex está muito abalado e vive tendo pesadelos sobre o peso de sua decisão, morrendo de medo que um dia o que acontece quando sonha vire realidade. Ele sabe, que se precisar, vai fazer tudo que estiver ao seu alcance para salvar a Sage, não se importando com as consequências, ele sabe que não vai agir de uma maneira racional e vimos como ele ficou no outro livro. Esse é o tamanho do seu amor, por isso quando recebe um novo pelotão e uma missão secreta vinda diretamente do rei, o capitão Quinn quer deixar sua noiva protegida no castelo.

Sage é tutora das princesas e recebe uma missão secreta diretamente da rainha, e como as princesas estão tendo um progresso tão grande no aprendizado, usam essa desculpa para que Sage acompanhe o príncipe Nicholas que vai ser escudeiro no pelotão do Alex. Ele diz pra ela não ir, ela diz que vai e assim foram páginas e páginas que me faziam revirar os olhos principalmente por causa das atitudes da Sage.

Entendo que ela é uma garota cheia de atitude e que não aceita baixar a cabeça por causa da opiniões dos outros e faz o que quer, nesse ponto ela está certa.  Só não gostei da maneira que ela ia sempre por cima das ordens do Alex e muitas vezes como uma espécie de vingança, mas principalmente porque ela tinha informações valiosas que poderiam ajuda-lo, mas guardou tudo pra si e depois revelou da pior forma possível. Ela só pensou nela. 

A percepção que tenho dos motivos de ambos é bastante influenciada pela maneira que a autora apresentou esses personagens. De todos os personagens do livro, Alex  é o melhor descrito. Ele é o que sinto melhor, os sentimentos dele são mais claros pra mim,  então eu consigo entender o que se passa na sua cabeça e no seu coração. Por esse motivo durante a primeira metade do livro eu ficava direto revirando os olhos pras atitudes da Sage porque não conseguia entender e aceitar a maneira que ela estava agindo.

Acho Sage uma personagem instável, tento relevar por causa da sua idade. Tem horas que ela é muito esperta, outras muito infantil. Não dá pra negar a importância que ela tem pra resolução dos conflitos entre os reinos e sim, isso se deve muito ao fato de ser impulsiva e curiosa. Ela tem uma facilidade enorme em aprender outra língua e estava trabalhando com tradução de tratados antigos junto com sua amiga Clare e esse foi o motivo da reviravolta que deu na história.

Na segunda metade do livro a leitura fluiu muito melhor em decorrência dos acontecimentos. Sage mostrou o seu lado mais brilhante e foram surgindo novos personagens e revelações. Foi interessante.
A autora tem boas ideias mas acho que não sabe trabalhar bem o desenvolvimento da história, em certos momentos não me convence  porque sinto falta de uma carga emocional bem explorada, algumas cenas deixam a desejar no quesito drama, principalmente quando se trata de morte. Fica tudo muito superficial e banal. E quando a Sage entra em cena parece ser tudo tão fácil de ser resolvido.

No balanço geral achei melhor que o livro anterior, os capítulos curtos ajudam no andamento da leitura e é bom ter capítulos alternados entre Sage, Alex e Huzar, que mesmo planejando sequestrar o príncipe Nicholas mostra um lado mais humano em suas ações. Assim como no primeiro livro algumas coisas foram desnecessárias, mas pelo menos não teve vários nadas e teve um lance bem legal se tratando dos reinos, que deve ser melhor explorado na continuação. Estou aguardando.

Por Renata Kerolin

2 comentários via Blogger
comentários via Facebook

2 comentários

  1. Oi Dana, oi Renata, tudo bem?
    Confesso que estou com altas expectativas com esse livro, pois li o primeiro e amei!
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!