Resenha | O jardim esquecido (Kate Morton)

O Jardim Esquecido
Kate Morton
R$ 33,90 até R$ 35,80
ISBN-13: 9788580418590
ISBN-10: 8580418593
Ano: 2018 / Páginas: 496
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Kate Morton já vendeu mais de 10 milhões de livros no mundo.
Nova edição do livro de maior sucesso da autora.
Uma criança abandonada, um antigo livro mágico, um jardim secreto, uma família aristocrática, um amor negado. Em mais uma obra-prima, Kate Morton cria uma história fantástica que nos conduz por um labirinto de memórias e encantamento, como um verdadeiro conto de fadas.
Dez anos após um trágico acidente, Cassandra sofre um novo baque com a morte de sua querida avó, Nell. Triste e solitária, ela tem a sensação de que perdeu tudo o que considerava importante. Mas o inesperado testamento deixado pela avó provoca outra reviravolta, desafiando tudo o que pensava que sabia sobre si mesma e sua família.
Ao herdar uma misteriosa casa na Inglaterra, um chalé no penhasco rodeado por um jardim abandonado, Cassandra percebe que Nell guardava uma série de segredos e fica intrigada sobre o passado da avó.
Enchendo-se de coragem, ela decide viajar à Inglaterra em busca de respostas. Suas únicas pistas são uma maleta antiga e um livro de contos de fadas escrito por Eliza Makepeace, autora vitoriana que desapareceu no início do século XX. Mal sabe Cassandra que, nesse processo, vai descobrir uma nova vida para ela própria.
Publicado originalmente como O Jardim Secreto de Eliza.


Que livro bom!!!

Esse foi meu primeiro contato com a autora Kate Morton e não poderia ter sido melhor. Ela conseguiu me envolver completamente na sua história, e quanto mais eu lia, mais eu queria ler.
Eu adoro livros que intercalam presente e passado, mas ainda não tinha lido um que contasse fatos das vidas dos personagens em tantos anos diferentes e isso, a principio, fez com a leitura no começo fosse um pouco lenta, mas depois que eu peguei o ritmo e consegui visualizar os mesmos personagens com idades diferentes, fazendo a ligação dos seus relacionamentos e a medida que mais coisas iam sendo descobertas, a leitura começou a fluir e minha vontade era de ler sem parar.

A história de O jardim esquecido se passa em um período de mais de 100 anos. Narrado em terceira pessoa nos mostra a vida de alguns personagens em determinadas épocas  e quanto mais avançamos nas descobertas no presente mais voltamos ao passado para saber como as coisas aconteceram.
O livro se inicia em 1913 quando uma garotinha de 4 anos é deixada sozinha em um navio rumo a Austrália. Em 1930, no seu aniversário de 21 anos, Nell descobre que seu pai a encontrou no porto. A partir desse momento sua relação com a família que a criou muda e ela se sente incompleta por não conhecer sua verdadeira origem.

Em 2005, Cassandra, que está passando por um período difícil, recebe de herança da sua avó Nell um chalé na Inglaterra. Nell nunca contou pra Cassandra que tinha ido para a Inglaterra. Com a morte da avó, suas tias-avós contam que Nell foi abandonada quando criança e só em 1975 quando o pai delas faleceu é que entregaram pra Nell uma pequena mala que estava com ela quando ele a encontrou. Dentro da mala havia um livro de contos de fadas de uma autora chamada Eliza Makepeace.

O livro de Eliza é o ponto de partida em busca de encontrar o passado tanto pra Nell em 1975 quanto pra Cassandra em 2005. E vamos acompanhando a descoberta de ambas quando chegam na Inglaterra.

Em 1900 conhecemos a Eliza com 13 anos, uma jovem contadora de histórias que perdeu a mãe e vive em situação precária com seu irmão gêmeo.

“- Você não deve esperar que alguém venha salvá-la - continuava mamãe, com um olhar distante. - Uma moça que espera ser salva nunca aprende a se salvar. Mesmo que tenha os meios, não terá coragem. Não seja assim.”

Em 1907 temos um panorama de como a vida foi difícil para a jovem sonhadora Rose, que vivia doente. Os capítulos vão se intercalando durante todos esses anos, em uma narrativa fluida e cheia de acontecimentos. Os personagens são cativantes e foi fácil me envolver nas suas histórias, torcer e temer por eles. A autora amarrou bem todas as peças que vão sendo encontradas para descobrirmos o que levou alguém a abandonar a pequena Nell. E junto com esse mistério outros vão surgindo a medida que as páginas iam avançando. No início do livro tem um mapa da propriedade sinalizando a casa principal, o chalé do penhasco, um labirinto e o jardim que dá título ao livro, uma boa maneira para visualizarmos o cenário onde se passa boa parte da história.

Uma das coisas que mais gostei foi poder ler os contos presentes no livro da Eliza. Foi mágico ver como as coisas estavam ligadas. Na busca do passado da avó, Cassandra acaba encontrando o caminho para seguir em frente e ter um futuro.

Terminei esse livro com aquela sensação boa de ter passado um tempo na companhia desses personagens, com uma vontade de conhecer esse jardim secreto, com pesar por alguns, feliz por outros. O final foi lindo! O livro todo foi. Recomendo demais e espero em breve poder ler outras obras da autora.

Por Renata Kerolin
2 comentários via Blogger
comentários via Facebook

2 comentários

  1. Oi Dana, oi Renata, tudo bem com vocês?
    Estou intrigada com a premissa desse livro e espero realizar a leitura em breve. Lendo a sua resenha, tenho a impressão de que vou gostar bastante.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carol
    Espero que goste tanto quanto eu.
    Eu gostei mais do que imaginava.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!