Resenha | Uma coisa absolutamente fantástica (Hank Green)

Uma Coisa Absolutamente Fantástica
Hank Green
R$ 30,59
ISBN-13: 9788555340758
ISBN-10: 8555340756
Ano: 2018 / Páginas: 384
Idioma: português 
Editora: Seguinte

Em seu aguardado livro de estreia, Hank Green traz a história original e envolvente de uma jovem que se torna uma celebridade sem querer — mas logo se vê no centro de um mistério muito maior do que poderia imaginar. Enquanto volta para casa depois de trabalhar até de madrugada, a jovem April May esbarra numa escultura gigante. Impressionada com sua aparência — uma espécie de robô de três metros de altura —, April chama seu amigo Andy para gravar um vídeo sobre a aparição e postar no YouTube. No dia seguinte, a garota acorda e descobre que há esculturas idênticas em dezenas de cidades pelo mundo, sem que ninguém saiba como foram parar lá. Por ter sido o primeiro registro, o vídeo de April viraliza e ela se vê sob os holofotes da mídia mundial. Agora, April terá de lidar com os impactos da fama em seus relacionamentos, em sua segurança, e em sua própria identidade. Tudo isso enquanto tenta descobrir o que são essas esculturas — e o que querem de nós. 


Gente, tem título mais chamativo que esse?? Como não querer ler Uma coisa absolutamente fantástica? Só o título me chamou a atenção e editora Seguinte ainda fez um belo marketing em cima desse livro que teve seu lançamento simultâneo em vários países e por isso ele furou a fila de leitura.
É a primeira obra do escritor Hank Green, mas com esse sobrenome conhecido entre os leitores, a expectativa estava alta, porque Hank além de ser irmão do John Green, também é conhecido pelo  Vlogbrothers, canal no youtube que tem com o irmão entre outros projetos.

Sabe quando você lê um paragrafo do livro e quer mostrar pros amigos, pra que despertem o interesse para que eles queiram ler logo também? Foi exatamente isso o que o primeiro paragrafo de Uma coisa absolutamente fantástica despertou.  Adorei a forma que o Hank começou a história deixando bem claro o que esperar dessa leitura. Aventura, mistério, quase morte, morte e um pouco mais. Me lembrou a narrativa do Rick Riordan, escritor que eu adoro e fiquei bem empolgada com o que estava por vir.

 April May vê sua vida mudar quando está voltando do trabalho de madrugada e se depara com uma escultura gigante em formato de robô e junto com seu amigo Andy, grava um vídeo que ele posta no youtube. Quando April acorda, descobre que esculturas idênticas a que viu estão espalhadas pelo mundo todo. O vídeo que ela chama o robô de Carl viralizou e por ter sido a primeira a falar sobre esse assunto, todos passam a se referir as esculturas como Carl.

Gosto quando o personagem fala com o leitor, sinto como se estivesse fazendo parte da história e pelo tema abordado isso foi ótimo e a April May, conta o que aconteceu com ela mas como se eu soubesse o que tinha acontecido em âmbito global, como se eu também tivesse vivido tudo isso, o que foi bem legal. Me senti como se fosse mais um personagem da história.

A narrativa é boa, a leitura flui e o mistério que envolve o surgimento dos Carls prende a atenção, porque no decorrer da leitura vão surgindo outras coisas. Sério, o mistério que envolve o aparecimento dos Carls vai ficando maior, novas coisas vão surgindo deixando a população mais envolvida com toda a situação. Uns adorando o mistério e achando fantástico as coisas que ele proporciona que aconteçam e outras temendo tudo que está por trás disso e o que vai acontecer na sequencia.

Também acompanhamos como a April May ficou perdida em meio ao caos que sua vida se transformou. Acho que o autor conseguiu passar bem como uma pessoa que do nada torna-se tão importante aos olhos do mundo lida e a maneira que isso afeta seus relacionamentos, no caso da April, principalmente o seu relacionamento com a namorada.

A história aborda pontos interessantes sobre a importância das pessoas se unirem para um bem comum, sobre teorias de conspiração, intolerância, o poder da internet e como a fama instantânea muda a cabeça das pessoas e de como os valores ficam de lado em busca de mais visualizações e curtidas. Uma boa crítica ao que vemos acontecer diariamente.

Não foi uma leitura absolutamente fantástica, mas eu gostei do livro. Foi intrigante durante grande parte da história, o que me incomodou foi o final que ficou em aberto. As vezes eu gosto de finais em aberto, mas nesse caso eu queria respostas. Por outro lado vejo como uma boa jogada do autor também, porque como eu disse anteriormente, a April narra como se o leitor tivesse visto e vivido as coisas que aconteceram e durante boa parte da história April também está perdida.

Recomendo porque com uma escrita simples e um acontecimento grandioso, Hank conseguiu me proporcionar boas horas de leitura com uma história misteriosa mas que também traz muita coisa real. Coisas que vemos no nosso dia a dia, que se tornaram tão comum que muitas vezes não damos a devida atenção. Um livro divertido que também traz uma boa reflexão.

Por Renata Kerolin

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!