Resenha | Sem você não é verão (Jenny Han) Trilogia Verão #02

Sem você não é verão
Trilogia Verão # 2
Jenny Han
R$ 29,53 até R$ 39,99
ISBN-13: 9788551004463
ISBN-10: 8551004468
Ano: 2019 / Páginas: 240
Idioma: português
Editora: Intrínseca
A vida de Isabel Conklin é marcada pelas férias de verão. As outras estações do ano são como um intervalo, dias que passam lentamente enquanto ela espera que o sol lhe traga de volta o que mais ama: o mar, descanso, diversão e, principalmente, Conrad e Jeremiah Fisher. Os garotos da família Fisher sempre estiveram ao lado de Belly em suas aventuras. Conrad é ousado, sombrio, inteligente. Já Jeremiah, é confiável, engraçado, espontâneo. Mesmo sendo tão diferentes, os três constroem uma amizade que parece inabalável. Apenas parece... Tudo muda quando, em uma dessas férias, Conrad demonstra sentir algo por ela. O problema é que Jeremiah faz o mesmo. À medida que os anos passam, Belly sabe que precisará escolher entre os dois e encarar o inevitável: ela vai partir o coração de um deles. Na trilogia Verão, acompanhamos Belly dos 15 aos 24 anos. Em meio a descobertas e mudanças, ela se apaixona, se envolve em um triângulo amoroso, entra na universidade e descobre que amadurecer também significa tomar decisões difíceis. Primeiros romances jovens de Jenny Han, os três livros são agora relançados pela Intrínseca, com novas capas e traduções inéditas.


Ah gente, essa trilogia é tudo de bom. Tá, eu rasgo seda mesmo pros livros da Jenny Han porque eu A-M-O livros sobre verão e ainda mais livros adolescentes sobre verão. *_*
Para ler a resenha de O Verão que mudou minha vida clique AQUI.

Sem você não é verão começa um verão depois do último de Belly em Cousins, aquele em que ela fez dezesseis anos. Belly e Conrad tiveram uma briga e terminaram (namoro?). A menina está arrasada, bem como Conrad, Jeremiah e Laurel. Quem leu o primeiro livro sabe da doença de Susannah e que ela não a venceu. Cada um dos personagens está lidando com o luto de uma maneira diferente e totalmente verossímil. Belly não vê a hora de o verão, sua estação do ano preferida, acabar logo. Laurel está apática, não se importando com nada, nem com os filhos. Conrad está cada vez mais distante, fechado e parece querer desistir de tudo, o único que parece estar lidando relativamente bem, é Jeremiah, embora ele sofra muito com a perda da mãe. A maneira como Conrad e Laurel agem face ao luto é revoltante, mas completamente justificável.

Belly não quer voltar a Cousins Beach e Taylor, sua melhor amiga, está se esforçando para fazer com que a menina reaja. Então Jeremiah aparece dizendo que Conrad desapareceu e, para encontrá-lo, precisa da ajuda de Belly, que mente para sua mãe e viaja para Cousins a fim de convencer Conrad a voltar para a faculdade e fazer as provas finais.

Esse segundo volume da trilogia Verão está muito mais maduro, com conflitos totalmente plausíveis e com um começo bem intenso. Achei o início bem deprê mesmo, pois como é contado pela perspectiva de Belly, principalmente, alternando com o POV* de Jeremiah, nós conseguimos nos conectar aos personagens e até nos colocar no lugar deles. Chorei bastante em várias cenas.

Conrad está um pé-no-saco, mas um pé-no-saco-fofo-de-doer! Sério, ele age totalmente impulsivamente, fala coisas pra magoar a todos e não quer saber de nada, não quer ajuda, não quer apoio. Adorei a forma como Jenny desenvolveu os irmãos, tão diferentes e tão iguais. Jeremiah é a razão e Conrad é a emoção. Amo o jeito de ser dele, amo quando ele se arrepende das coisas que diz e pede desculpas. Belly está muito mais mulher e aprendendo a lidar com o luto e com os sentimentos em relação aos irmãos, em seu coração, que antes só havia espaço para Conrad, agora está com uma rachadura e aos poucos Jeremiah foi entrando e agora a menina está balançada. Mas ela só pode ficar com um dos dois e alguém vai ficar de coração partido.

Eu realmente me apaixonei pela trilogia do verão. A autora conduz a história com tanta maestria e sensibilidade que não tem como não se identificar ou se colocar no lugar das personagens e imaginar como seria estar na pele deles, vivendo tudo aquilo.

Bem, eu poderia escrever páginas e mais páginas sobre a história, mas não dá, isso precisa ser apenas uma resenha, risos. O que posso dizer é que vocês devem sim ler essa série, ela se tornou uma das minhas queridinhas.

"Foi quando eu finalmente entendi. Finalmente compreendi. Não era a ideia que contava. Era a prática, a demonstração efetiva de algo. A intenção por trás de tudo não era suficiente. Não para mim. Não mais. Não era suficiente saber que lá no fundo ele me amava. Você tem que de fato dizer, mostrar que se importa. E ele simplesmente não ligava. Não o suficiente."

*POV - Point of View (Ponto de vista)
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!