Resenha | Até o fim (Harlan Coben)

Até o Fim
Uma noite trágica. Uma vida inteira de segredos.
Harlan Coben
R$ 24,99 até R$ 25,90
ISBN-13: 9788580419382
ISBN-10: 8580419387
Ano: 2019 / Páginas: 272
Idioma: português
Editora: Arqueiro
Coben é conhecido como “o mestre das noites em claro" e é o único escritor a ter recebido a trinca de ases da literatura policial americana: o Anthony, o Shamus e o Edgar Allan Poe.
O detetive Nap Dumas nunca mais foi o mesmo após o último ano do colégio, quando seu irmão Leo e a namorada, Diana, foram encontrados mortos nos trilhos da ferrovia. Além disso, Maura, o amor da vida de Nap, terminou com ele e desapareceu sem justificativa.
Por quinze anos, o detetive procurou pela ex-namorada e buscou a verdadeira razão por trás da morte do irmão. Agora, parece que finalmente há uma pista.
As digitais de Maura surgem no carro de um suposto assassino e Nap embarca em uma jornada por explicações, que apenas levam a mais perguntas: sobre a mulher que amava, os amigos de infância que pensava conhecer, a base militar próxima a sua antiga casa.
Em meio às investigações, Nap percebe que as mortes de Leo e Diana são ainda mais sombrias e sinistras do que ele ousava imaginar.


Harlan Coben é meu autor preferido nesse gênero, embora eu não leia muitos livros nesse estilo. Quando vi essa capa, que foge do padrão das capas anteriores e a frase "Uma noite trágica. Uma vida inteira de segredos." presente na capa fui ler a sinopse e logo esse livro entrou para lista de leitura.

O prólogo já me deixou chocada e super curiosa para saber o que viria a seguir, a escrita do Coben é ótima e a leitura flui. No primeiro capítulo somos apresentado ao detetive Nap Dunas, ele não é um policial convencional, entre outras coisas ele é daquele tipo que em alguns casos não espera que o sistema faça justiça, em certos casos ele faz o que acha certo para punir um culpado e esse é um ponto legal que a história aborda, o que é certo e o que é errado em certos casos?

A trama começa quando após 15 anos sem notícias de sua namorada da época do ensino médio, Mauren, Nap descobre que ela está envolvida na cena de um crime. O assassinato do policial Rex que estudou com eles. E para deixar as coisas mais interessantes, ficamos sabendo que Maura sumiu na mesma noite em que o irmão gêmeo de Nap, Leo e sua namorada, Diana, foram encontrados mortos nos trilhos do trem. 

Na época, com 18 anos, Nap fez tudo o que estava ao seu alcance para encontrar Maura, ele a amava, porque ela fugiu? Ele precisava de respostas. Ela sabia alguma coisa sobre a morte de Leo e Diana? Ele não queria acreditar que seu irmão combinou um suícidio com a namorada ou que foi apenas um descuido deles, afinal a perícia confirmou que eles haviam usado drogas. Essas foram as justificativas que surgiram para a causa das morte. Para ele nada fazia sentido e foi por causa do luto que Nap se aproximou do delegado Augie, pai de Diana, que foi seu mentor e deu o apoio para ele entrar para a polícia e de Ellie, melhor amiga de Diana e que se tornou a melhor amiga de Nap. Gostei da relação deles.

Mas mesmo passados 15 anos, Nap não superou a morte do irmão e o amor e o sumiço da namorada. E com o assassinato do policial Rex, acredita que tem uma pista para finalmente descobrir o que aconteceu aquela noite. A partir daí vamos juntos com o Nap tentando ligar os pontos para descobrir quem eram os membros do Clube da Conspiração, se os que permanecem vivos estão correndo perigo, no que estavam envolvidos, o que descobriram, afinal tinha uma base militar do governo no bosque e eles gostavam muito de ficar rondando por lá.

"Hank gostava de imaginar essas grandes operações secretas do governo. Maura apreciava o mistério, o perigo, a adrenalina. E você... bem, acho que você queria mesmo era estar com os amigos numa aventura no bosque, mais ou menos como num livro de Stephen King."


Myron Bolitar faz uma pequena participação nesse livro e foi bem legal revê-lo. Gostei da narrativa, a todo o momento que Nap tenta se lembrar daquela época, ou quando pensa em suas teorias, sempre se direciona ao Leo e esse fato mostra como ele sente falta do irmão. Ele conversa com o Leo, achava que eram próximos, que conhecia o irmão, que não tinha segredos entre eles mas percebe que não o conhecia tão bem assim. Poderia ter feito algo diferente? Deveria ter prestado mais atenção no irmão? Essas mortes teriam sido evitadas caso ele tivesse agido diferente?

"Nunca escondi nada. Mas às vezes fico me perguntando: e você, Leo? Escondia alguma coisa de mim?"

Como é difícil escrever o que eu senti quando enfim a verdade apareceu, quando enfim descobrimos porque Maura fugiu, o porque de Leo e Diana estarem naquele trilho, porque o policial foi morto depois de 15 anos. Se as coisas estavam relacionadas, por que essa demora toda? Que fator novo surgiu para que novas pessoas virassem alvo? Essas perguntas e outras coisas mais passam pela cabeça do Nap, a medida que novos elementos vão surgindo nessa história.

O que posso dizer, sem que induza sua percepção quando for ler é que eu fiquei decepcionada quando li a explicação de tudo, confesso que não esperava por essa resolução dos fatos, e isso pode ser considerado uma coisa boa, afinal fui surpreendida, mas eu estava esperando algo maior, uma explicação mais complexa, só que terminei essa leitura sentindo que faltou algo para fazer sentido, uma coisa não me convenceu e isso fez com que o livro perdesse seu encanto. Acabou sendo uma leitura ok.

Por Renata Kerolin


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!